Segunda-feira, Janeiro 21, 2019
Autores Posts by Francisco Duarte

Francisco Duarte

436 POSTS 0 COMENTÁRIOS

0

A campanha promocional “Turismo Centro Portugal – Visitar e Ficar é Ajudar”, do Turismo Centro de Portugal, foi uma das grandes vencedoras dos prestigiados Prémios Internacionais de Viagem e Turismo “International Travel & Tourism Awards”, atribuídos em Londres. A campanha recebeu o Gold Award, equivalente ao primeiro lugar, na categoria “Best National Tourism Board / Destination Marketing Organisation Campaign” (Melhor Campanha de Entidade Turística ou de Destino Nacional). A gala de atribuição de prémios decorreu na noite desta terça-feira.

 

“Ficamos extremamente orgulhosos por esta conquista inédita em Portugal. É um galardão muito importante. Estamos todos de parabéns, por um prémio que prestigia o nosso país, o setor do Turismo e a marca Centro de Portugal, que concorreu ao lado de candidatos tão fortes como os Estados Unidos”, sublinhou Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, minutos depois de receber o prémio.

“Esta distinção mostra também que no meio da tragédia nasce a esperança. A esperança renovada num destino, na sua atratividade, bem espelhada nesta campanha. Deixo uma palavra especial para os nossos parceiros que se envolveram ativamente neste projeto, como a Agência Regional de Promoção Turística Centro de Portugal, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, o Turismo de Portugal ou a Secretaria de Estado do Turismo, além das Câmaras Municipais e dos nossos empresários. São entidades e pessoas que nos quiseram ajudar, desde a primeira hora, e que hoje alcançaram um prémio tão prestigiante. A equipa do Turismo Centro de Portugal não poderia estar mais orgulhosa: é o prémio mais importante de sempre que recebemos”, acrescentou.

Os International Travel & Tourism Awards distinguem o trabalho de organismos de turismo em todo o mundo. Os vencedores foram escolhidos por um painel independente de jurados de todo o mundo, e representam o melhor que se faz internacionalmente nas viagens e do turismo.

A competição é organizada pelo World Travel Market (WTM London), com a colaboração da Organização Mundial de Turismo (UNWTO). O WTM London é um evento internacional que junta a indústria de viagens entre os dias 5 e 7 de novembro, em Londres, e que é o mais importante a nível mundial nesta área de negócios.

Este foi o primeiro ano de atribuição destes prémios. Os vencedores, nas 13 categorias a concurso, foram anunciados para uma audiência de mais de 500 líderes da indústria do turismo, incluindo governantes, durante a gala que decorreu no Tobacco Dock, em Londres.

A campanha do Turismo Centro de Portugal foi uma das oito finalistas na sua categoria, derrotando candidaturas dos Estados Unidos, do Japão, do Peru, do Egito, da Jordânia, da Estónia, da Finlândia e das Ilhas Faroé.

“Ficámos encantados com a resposta da indústria do turismo a estes prémios e verdadeiramente impressionados com a quantidade e qualidade dos concorrentes. Todos os finalistas representam a essência destes prémios: celebrar o sucesso das entidades de turismo nacionais, regionais e locais e reconhecer as extraordinárias empresas privadas do setor”, destacou Paul Nelson, co-fundador dos International Travel & Tourism Awards”.

Recorde-se que a campanha “Turismo Centro Portugal – Visitar e Ficar é Ajudar” foi criada na sequência dos incêndios que afetaram a região em 2017, e teve como objetivo principal reafirmar o Centro de Portugal como destino seguro e de confiança. Concretamente, incidiu na promoção das regiões mais afetadas, através de outdoors, reportagens na imprensa e spots de rádio, entre outras iniciativas. Os resultados foram extramente positivos, uma vez que esta região registou um crescimento recorde na procura no ano passado.

 

0

Encerra hoje mais uma edição do World Travel Market 2018, que decorre desde a passada segunda-feira, dia 5, no centro de exposições do Excel, em Londres.

No stand de Portugal, estiveram presentes 98 empresas portuguesas, para além das sete Agências Regionais de Promoção Turística.

O Turismo de Portugal fez-se notar pela ausência, resultado da providência cautelar entreposta contra o concurso para a construção do stand que irá passar a representar o País nas feiras internacionais de turismo.

A revista VIAJAR esteve, igualmente, presente com a edição The Best of Portugal, integralmente em Inglês, através da qual deu a conhecer aos visitantes muitos dos argumentos que tornam Portugal num destino turístico de topo a nível mundial.

 

Galeria de fotos

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

 

0

A Comissão Executiva da Região de Turismo do Algarve, liderada por João Fernandes, ex-vice-presidente da Entidade, acaba de tomar posse para um mandato de cinco anos.

 

A aposta centra-se no reforço da estratégia de diversificação e rejuvenescimento da oferta, com foco no desenvolvimento sustentável da região, na captação e fixação de talentos e de investimentos e na modernização tecnológica. O Algarve reforça assim o seu posicionamento de diferenciação pela qualidade e excelência da oferta turística.

Tendo presente a defesa dos interesses da região e do setor, João Fernandes deixou claro que o Algarve pretende manter uma linha de diálogo e colaboração com o Governo e Assembleia da República. Segundo João Fernandes: «Tendo em conta os resultados, podemos dizer com convicção que o Algarve não concorre com outras Regiões do país. O Algarve disputa aquele que é o espaço internacional mais competitivo do turismo à escala global – o mediterrâneo.»

O novo presidente da RTA garantiu a continuidade de projetos como o Cycling & Walking, a Algarve Nature Week, o 365 Algarve e o Algarve Cooking Vacations, os quais têm contribuído para preencher vazios na região e alterar perfis de consumo.

No entanto, traz novas ideias: «A região tem de desenvolver novas motivações de visita, nomeadamente, através do Turismo de Negócios, Turismo Náutico, Turismo Acessível e a Captação de Estágios e de Provas Desportivas. Queremos ser agentes ativos de captação de investimento, que ajude a requalificar a oferta e que traga inovação nos produtos e nos serviços. Para o efeito, estamos a trabalhar na constituição de um portfólio do edificado devoluto ou em estado degradado em zonas turísticas, para juntamente com o Turismo de Portugal, divulgá-lo junto de potenciais investidores”, explica João Fernandes.

Acrescenta ainda: «A RTA está já a colaborar ativamente com a ATA para uma definição comum do novo Modelo de Promoção Externa, que balizará nos próximos três anos o reforço e a captação de novas rotas aéreas. Queremos ainda reforçar a nossa cooperação com a CCDR e os municípios no que diz respeito a questões como a mobilidade, a nova regulamentação do Alojamento Local e definição das anunciadas Taxas Municipais Turísticas.»

Com 44 anos, João Fernandes assume a Presidência da RTA depois de passar por várias organizações como a Associação de Turismo do Algarve (ATA), as Escolas de Hotelaria e Turismo do Algarve (Turismo de Portugal), Universidade do Algarve, entre outras.

Num período em que se registam várias mudanças no panorama do turismo mundial, marcado pelo Brexit e a reemergência de mercados como a Turquia, Tunísia e Egito, o Turismo do Algarve tem vindo, ainda assim, a revelar a solidez e consistência de um destino maduro, consolidando uma procura extraordinária de anos recentes.

Para fazer frente aos novos desafios, João Fernandes conta com uma equipa constituída por Fátima Catarina enquanto vice-presidente da RTA (presidente do conselho de administração da Infralobo – Empresa de infraestruturas de Vale do Lobo) e por Nuno da Silva Monteiro (diretor-geral do hotel Cerro Mar e vice-presidente da Associação dos Industriais Hoteleiros e Similares do Algarve – AIHSA). O presidente da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve, Elidérico Viegas, assume a presidência da Mesa da assembleia-geral da RTA e Isolete Correia (diretora-geral da Marina de Vilamoura) é empossada secretária da Mesa.

 

 

0

A euroAtlantic airways (EAA), propriedade do empresário Tomaz Metello, este mês a comemorar 25 anos de existência, já iniciou a tradicional série anual de 10 voos semanais para Cayo Coco, em Cuba, que se prolongam até 10 de setembro, operados por Boeing B767-300ER, ao serviço do operador turístico Sonhando. A EAA prevê que mais de dois mil portugueses visitem este destino, onde, recorde-se, está localizado o Pestana Cayo Coco Beach Resort.

O presidente do Conselho de Administração e Chairman da EAA, Tomaz Metello, afirmou sobre esta operação: “A marca euroAtlantic já faz parte do património das palavras cubanas. Anteriormente, já exportávamos serviços ACMI (aluguer de Aeronave, tripulação, manutenção, seguro) para a companhia Cubana de Aviácion, depois da única visita, a meu convite, que o ainda Ministro do Turismo de Cuba, Manuel Marrero, fez a Lisboa. Após conversa com o presidente do Grupo Pestana, Dionísio Pestana, concluímos enviar uma missão a Cuba, afim de identificarmos oportunidades de negócios nas áreas da aviação, hotelaria e operação turística. Espero que a EAA, com a operação em curso, continue a construir novas pontes para o estreitamento das nossas relações bilaterais, comerciais, culturais e históricas”.

Noutro quadrante, há já 10 anos que a euroAtlantic airways constrói pontes entre Portugal e São Tomé e Príncipe, detendo a maior fatia do capital social da STP Airways (40,61%) e a gestão da companhia nacional são-tomense. Os seus aviões operam semanalmente para a STP Airways ,em voo directo de Lisboa, tendo transportado nos primeiros seis meses do ano 17.236 passageiros. Para 2019, há previsões de crescimento no tráfego interno, relacionado com as comemorações mundiais dos 100 Anos da Teoria da Relatividade de Albert Einstein, comprovada na Roça Sundi, local onde também terá sido plantada, em 1822, a primeira planta de cacau no arquipélago do Golfo da Guiné.

 

 

 

0

A Hi Fly, a 14ª operadora do icónico avião de passageiros de fuselagem larga de dois andares, mostrou pela primeira vez o seu A380 no Farnborough International Airshow 2018. O avião estará em exibição de 19 a 22 de julho em exposição estática.

A Hi Fly, especialista em wet lease em Portugal, fornece aviões para companhias aéreas com tripulação, manutenção e seguro. A empresa selecionou o A380, abrindo assim um novo modelo de negócios.

A Hi Fly opera uma frota de 12 aviões Airbus composta por um A321, quatro A330, sete A340 e agora um A380.

 

0

A Air Malta retomou as suas ligações diretas para Lisboa com dois voos semanais, à quinta-feira e domingo. O sucesso da procura levou a companhia aérea a garantir “mais dois voos, num total de quatro a partir do próximo ano”, revelou José Espartero, Regional Sales Manager da companhia aérea Air Malta, num encontro com jornalistas em Malta. 

 

Crónica de Sandra Silveira

 

Com 80% dos passageiros a visitarem o arquipélago em lazer, o governo maltês procedeu a uma “reorganização da companhia aérea”, apostando “a sua localização geográfica numa estratégica para se tornar um hub mediterrâneo”, fazendo a ligação entre o Este e o Oeste, com o objetivo de se tornar na “companhia aérea do Mediterrâneo.”

A voar para 25 destinos na Europa, Norte de África e Médio Oriente, com uma frota de 9 aeronaves, a companhia de bandeira, que transporta 1,7 milhões de passageiros/ano, voa ainda para cerca de 150 destinos em regime de code share com outras companhias aéreas.

 

Um pouco de história

Malta é um dos países mais pequenos do mundo, mas enorme em termos de história e de património, com a capital, Valeta, as catacumbas de Malta e Gozo e os Templos Megalíticos a figurarem como Património Mundial da UNESCO. E não é difícil perceber o porquê, quando passeamos pelo arquipélago.

Civilizações como fenícios, árabes ou romanos passaram pelas ilhas, até à chegada da Ordem de Rodes, mais tarde denominada por Ordem de Malta, em 1530, através de cedência daquele território por parte de Carlos V de Espanha. Quando se dá o Grande Cerco e a vitória da Ordem sob os otomanos, em 1565, Malta assiste à construção repentina de cidadelas, muralhas, torres de vigia e à construção de uma nova capital, junto ao mar, facilitando a defesa em caso de novos ataques. Nasce assim Valeta, em homenagem ao grão-mestre da ordem e herói do Grande Cerco, Jean Parisot de la Valette.

 

Locais a visitar

Em Valeta, as ruas borbulham de turistas quer nas esplanadas das praças quer num dos cerca de 320 monumentos que tem para se conhecer. O mais icónico é a co-catedral de S. João. Construída em quatro anos, em estilo barroco, os tetos têm a particularidade de efeito a 3D em algumas figuras, e no chão, 406 túmulos decorados em mármore colorido dos principais cavaleiros da Ordem. Nas laterais, oito capelas dedicada a cada uma das línguas dos Cavaleiros. Esta é, aliás, a razão pela qual a Cruz de Malta tem oito pontas. No oratório encontra-se a famosa obra de Caravaggio, a Decapitação de S. João Baptista, pintada durante o período em que o pintor viveu na ilha, antes de ser expulso.

A partir dos Jardins Upper Barrakka tem-se uma vista panorâmica do Porto Grande e das 3 Cidades: Birgu ou Vittoriosa, Senglea e Cospicua, mas é possível conhecê-las de perto utilizando os tradicionais barcos malteses, dghajsa. Em Birgu, entre as ruas estreitas e silenciosas, encontra-se o antigo quarteirão onde os Cavaleiros tinham os seus albergues.

Este ano, Valeta é capital europeia da cultura e, para além de tudo o que por si já tem para oferecer, tem ao longo deste ano um acréscimo de iniciativas e atividades que vale a pena conhecer e explorar.

Mdina foi a primeira capital de Malta, antes da construção de Valeta. A 11 quilómetros da capital e localizada no ponto mais alto da ilha, é hoje conhecida como a Cidade Silenciosa, por contar entre muralhas com apenas 300 habitantes e ser interdito automóveis no seu interior, exceto de moradores e de emergência. E é real: o silêncio impera. A arquitetura, em estilo barroco e medieval, com pátios, becos e ruas estreitas para proporcionarem sombra, guiam-nos até ao seu ex-libris, a catedral de S. Paulo. Percorrer estas ruas é mergulhar na história, sendo ainda possível visitar as antigas catacumbas e passagens subterrâneas de Mdina.

O país é extremamente católico devido a S. Paulo que, após naufragar em Malta, introduziu aquela religião no país, mantendo-se até hoje. É, por isso, o padroeiro do arquipélago. Com cerca de 365 igrejas, catedrais e basílicas, é possível visitar uma diferente todos os dias do ano.

A sul, a vila piscatória de Marsaxlokk, com os seus barcos de pesca tradicionais, os luzzus, barcos coloridos com olhos pintados na proa, uma tradição que se mantém desde o tempo dos fenícios e que pretende proteger o barco e pescadores. Cabe às esposas vender no mercado o que os maridos pescadores apanham. Perto, e também acessível através de barco, está a piscina natural de S. Paulo. Para quem prefere o conceito de praia com areia, as mais conhecidas são a de Golden Bay e Ghajn Tuffieha, onde as águas claras permitem a prática do snorkeling.

A caminho do ferry para uma travessia de 25 minutos até à ilha de Gozo, uma rápida paragem para contemplar Popeye Village, cenário construído de propósito para o filme e que serve de atração turística. O turismo cinematográfico é um dos grandes fortes do país, com Malta a servir de cenário para mais de uma centena de filmes e séries ao longo dos anos, como The Game of Thrones, o Gladiador ou o Conde de Monte Cristo.

 

Gozo, a irmã mais nova

A segunda maior ilha do arquipélago, Gozo, é uma ilha mais pacata, mais verde, mas tão vibrante quanto Malta. Terra de lendas e mistérios, o périplo começa pelos Templos de Ggantija, considerado Património Mundial da UNESCO. Trata-se das estruturas neolíticas mais antigas do mundo, com mais de 6000 anos e, segundo crenças locais, foi construída por gigantes.
Vitoria é a capital da ilha de Gozo e no seu ponto mais alto estende-se a imponente cidadela, uma fortificação desde o Neolítico, 1500 a.C., e que foi sendo adaptada ao longo dos séculos pelos vários povos que conquistaram o arquipélago. No seu interior, encontram-se os Museus da Ciência, da Arqueologia, do Folclore e as velhas prisões. Mas o momento alto é quando, entre uma rua estreita que desemboca numa pequena praça, se ergue de forma majestosa a Basílica de S. Jorge. É ainda possível percorrer a extensão das muralhas para uma panorâmica da ilha.
Com água clara e quente, Gozo é um dos destinos de eleição para a prática de desportos aquáticos e para o mergulho, com grutas, recifes e destroços para explorar. Um desses locais é em Dwejra, onde se encontra o Buraco Azul e é possível mergulhar para ver a Janela Azul, um dos marcos naturais da ilha que desmoronou no último ano e que agora contribui para a biodiversidade marinha local. Não com o mesmo impacto, mas igualmente impressionante, é aquela a que se pode chamar irmã da Janela Azul, a Janela Wied il-Mielah, igualmente um arco natural de calcário que se estende sob o mar. Se as condições o permitirem, é possível descer até junto do arco.
Cavadas à mão em rocha calcária, as salinas de Qbajjar resistem ao fim de 350 anos e continuam ainda hoje em funcionamento com o mesmo procedimento do início.

 

Onde comer e onde ficar

Com uma vasta oferta em hotelaria e restauração com preços acessíveis, as opções são variadas e disponíveis para vários tipos de carteira. Perto de Valeta, fica St. Julian’s, uma cidade à beira mar com vida noturna badalada. Junto à praia, o InterContinental é uma das opções. É também nesta cidade que se encontra o restaurante Wigi’s Kitchen, que serve pratos tradicionais mediterrâneos.
Após o percurso de barco pelas 3 Cidades e antes de percorrer Birgu, a sugestão é um almoço leve no Cargo, que fica na zona pedonal frente ao mar.
Na ilha de Gozo, dentro da cidadela e para repôr energias antes de percorrer as muralhas, uma refeição no Ta’Rikardu com pratos locais. O coelho é uma das especialidades do arquipélago.
Para descansar, o The Kempinski Hotel San Lawrenz perto de Dwejra.

A história tem passado por Malta e deixado as suas marcas que o país tem sabido utilizar para se projetar e dar a conhecer ao mundo. Após um curto domínio francês de dois anos, pela conquista por parte de Napoleão Bonaparte, em 1798, que levou à expulsão dos Cavaleiros de Malta, os malteses com ajuda britânica reconquistam o arquipélago,mantendo-se sobre domínio inglês até à sua independência, em 1964. A par do Maltês, o Inglês é a segunda língua oficial.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

0

A momondo, motor de busca de viagens, hotéis e carros de aluguer, analisou os dados das pesquisas sobre hotéis e constatou que o alojamento é um dos itens essenciais sempre que pensamos em viajar. De acordo com o primeiro Hotel Travel Report realizado pela momondo.pt, cerca de metade dos portugueses prefere o conforto de um hotel às outras opções existentes no mercado, sendo que 51% dos hotéis pesquisados ficam situados em território nacional.

“O alojamento é o nosso lar quando estamos longe de casa”, afirma Margarida Gameiro, Country Manager da momondo para Portugal. No entanto, “cada pessoa tem expetativas diferentes para a sua ‘casa’. Por isso, decidimos analisar o viajante português para perceber onde se situam os hotéis que pesquisam, consoante a duração da estada, o valor que gasta e as suas preferências. Os resultados são fascinantes, em particular a forte tendência para fazer férias em Portugal, com o Algarve a dominar claramente as preferências dos portugueses,” refere Margarida Gameiro.

Principais conclusões do Hotel Travel Report 2018 da momondo:

  • Destinos populares: as escapadinhas urbanas com vista para o mar são as mais populares para férias curtas. Os destinos com mais pesquisas de hotéis em Portugal são Lisboa, Albufeira e Porto, ao passo que na Europa as cidades escolhidas são Amesterdão, Paris e Londres. Para viagens até duas semanas, sobressai a devoção ao mar: Albufeira, Monte Gordo e Alvor são os três destinos mais populares em território luso. Na Europa, quatro das cinco cidades mais pesquisadas são costeiras e espanholas: Palma de Maiorca, Benidorm, Salou e Maspalomas.
  • Destinos mais em voga: os dados revelam que quatro em cinco (80%) portugueses prefere fazer férias na Europa, mas na verdade 51% dos hotéis pesquisados ficam em Portugal. A tendência de ir para fora cá dentro reflete-se nos destinos que registaram o maior aumento em pesquisas de hotéis ano após ano. A líder nas pesquisas é a cidade de Albufeira, com um aumento de 241%. Na Holanda, o encanto de Amesterdão é visível com um crescimento de 245% nas pesquisas de hotéis para essa cidade. Nos destinos de longo curso, o Sudeste Asiático coloca três cidades nas quatro mais pesquisadas (Bangecoque, Seul e Singapura), mas Nova Iorque lidera as preferências com um acréscimo de 147%.
  • Reservas e planificação: depois do stress de segunda-feira, os portugueses gostam de aproveitar uma parte do dia seguinte para planear as próximas férias. A terça-feira é o dia em que são feitas mais pesquisas de hotéis para os destinos mais populares, sendo que os aspirantes a viajantes passam, em média, 4 minutos a navegar na página.
  • Preferências: quando se trata de preferências, os hotéis de 4 estrelas são a categoria mais popular. De acordo com o International Travel Study (ITS) da momondo, é possível perceber que a localização é outro dos itens mais importante na hora de escolher um hotel, uma vez que, 53% revelam procurar hotéis próximos dos sítios que querem visitar.

0

O novo modelo voará sobre sedes europeias da Airbus e passará também por 15 cidades em todo o mundo para testar a sua habilitação para as operações aéreas.

O A330neo da Airbus embarcou numa tour mundial para demonstrar a sua capacidade para as operações das companhias aéreas. Como etapa final da fase de certificação de aviões, o modelo que será estreado pela TAP Air Portugal irá fazer testes de operação e fiabilidade. Depois de sobrevoar as sedes europeias da Airbus, o A330neo dirigir-se-á para 15 aeroportos em cinco continentes, com o objetivo de atingir 150 horas de teste de voo em três viagens.

Os testes de certificação são realizados com o primeiro avião de produção A330-900, totalmente equipado com a cabine Airspace by Airbus e com as cores da TAP Air Portugal. O avião voou pela primeira vez no dia 15 de maio de 2018, realizando testes de voo para verificar os sistemas da cabine.

Estes testes de certificação fazem parte dos últimos testes necessários para a Certificação de Tipo programada para o verão de 2018.

Atualmente, dois aviões de teste A330-900 e o avião da TAP Air Portugal estão envolvidos no programa intensivo de testes de voo, que atingirá as 1000 horas de voo durante a visita às instalações da Airbus.

 

0

A Air Canada inaugurou a 16 de junho o seu serviço sazonal direto entre Lisboa e o seu aeroporto principal de Montreal, o Aeroporto Internacional Montréal-Trudeau, com uma celebração no Aeroporto Humberto Delgado – Lisboa. O novo serviço da Air Canadá Rouge é efetuado por um Boeing 767-300, com três voos por semana, até 27 de outubro.

 

Assinalando a ocasião, convidados, colaboradores e tripulação da Air Canada encontraram-se com Jeffrey Marder, Embaixador do Canadá em Portugal, Margaret Skinner, siretora de Vendas EMEAI da Air Canada, Maximiliano Campos, gestor de Vendas de País para Portugal e Espanha da Air Canada e Nuno Ferreira, diretor-adjunto do Aeroporto de Lisboa para uma celebração especial na porta de embarque antes da partida do voo AC1961 para Montreal.

“O nosso novo serviço direto entre Lisboa e Montreal irá proporcionar aos nossos clientes portugueses de lazer e negócios um novo e excelente destino para visitar e um conjunto de novas possibilidades de ligação convenientes, através do nosso aeroporto principal de Montréal Trudeau”, referiu Maximiliano Campos.

“Estamos efetivamente entusiasmados em receber esta nova operação da Air Canada no Aeroporto de Lisboa.  Dado o rápido crescimento do mercado canadiano em Lisboa, Montreal é uma operação cujo desenvolvimento seria expectável depois do lançamento da rota de Toronto o ano passado. Este novo serviço irá ajudar a dar resposta à forte procura de passageiros em lazer e em visita a familiares e amigos e facilitará os interesses de negócios portugueses e canadianos, criando maior conectividade às oportunidades que estão a nascer nos dois continentes”, afirmou João Nunes, sDiretor do Aeroporto de Lisboa.

 

Horários dos voos Lisboa-Montreal

*sujeito a alteração

 

Voo Partida Chegada Frequência
AC1961 Lisboa           09:45h Montreal   12:10h Sábado, segunda-feira, terça-feira
AC1960 Montreal     20:45h Lisboa         08:10h (+ 1 dia) Sexta-feira, domingo, quarta-feira

 

Todos os voos permitem acumulação e trocas no programa Aeroplan, benefícios recíprocos da Star Alliance e, para clientes elegíveis, check-in prioritário, acesso ao Lounge Maple Leaf no aeroporto principal de Montreal, embarque prioritário e outros benefícios.

O Boeing 767-300 que será utilizado no novo serviço da Air Canada Rouge entre Lisboa e Montreal possui uma configuração de cabina dupla, com 24 lugares Premium Rouge na cabina dianteira e 258 lugares Economy na cabina traseira.

 

A Air Canada em Portugal

A companhia área de lazer da Air Canada, a Air Canadá Rouge passa agora a servir dois aeroportos em Portugal. Para além do seu novo serviço sazonal direto entre Lisboa e Montreal, opera serviços sazonais diretos de Lisboa e Porto para Toronto. Todos os voos são calculados de forma conveniente para se adequarem às ligações nos aeroportos principais da Air Canada, com uma rede extensa de serviços para destinos nas Américas. Para mais informações e para reservar voos, visite www.aircanada.com ou ligue para as Reservas através do número 00 800 669 92222.

0

Numa altura em que muitos europeus estão já a planear as suas férias de verão, a momondo, motor de busca de viagens, hotéis e carros de aluguer, revela que no topo das preferências dos portugueses estão as cidades europeias, com Paris a liderar o ranking dos mais populares destinos. Os dados são do International Travel Study (ITS), estudo anual de viagens da momondo, realizado a utilizadores de 26 países, incluindo Portugal, sobre os hábitos de viagens.

Margarida Gameiro, Country Manager da momondo para Portugal, sublinha que, de acordo com o estudo, “este ano, 52% das pessoas em todo o mundo preferem férias de praia, um número que em Portugal é superior (67%) à média, mas na verdade são as capitais europeias que continuam a assumir o topo dos destinos mais pesquisados para o verão”. No caso em concreto do turista português, Margarida Gameiro reforça que “é um consumidor que continua a ser muito sensível ao preço e, como tal, as cidades europeias, sendo um destino mais acessível, acabam por liderar a preferência dos portugueses”.

Capitais europeias continuam no topo das preferências

Paris é o destino que apresenta mais pesquisas no estudo anual de viagens momondo, registando a segunda tarifa ida-volta mais baixa (127€), seguido de Londres, Nova Iorque, Roma e Barcelona. Este ano, a capital italiana destronou Amsterdão, que se encontrava entre os 5 destinos mais procurados para o verão em 2017.

No que diz respeito a destinos nacionais, o consumidor português continua a eleger a ilha de São Miguel, nos Açores, como o local ideal para passar as suas férias. Funchal e Porto Santo, no arquipélago da Madeira, a ilha Terceira, também nos Açores, e Lisboa encerram a lista, mantendo-se como os cinco destinos preferidos.

Margarida Gameiro acrescenta que “o curioso nestes dados é que os portugueses, quando viajam para o estrangeiro no verão preferem conhecer outras cidades, ao contrário do que acontece quando viajam internamente em que dão preferência às ilhas, onde podem estar em contacto com paisagens naturais incríveis e praia, ao mesmo tempo.”

Contudo, os destinos que apresentam o maior crescimento, em termos de procura, face ao ano passado, são opções mais exóticas, quentes e conhecidos pelas suas praias. A liderar surge São Tomé e Príncipe, com um crescimento de 138%, acompanhado por Malta (96%), Ilha do Sal (53%), em Cabo Verde, e Los Angeles, nos Estados Unidos da América (41%). A exceção desta lista é Moscovo (65%), na Rússia, a única capital europeia a figurar nesta lista, devido ao facto de ser o país anfitrião do campeonato de jogos de futebol.

Poupar durante o ano para gastar no verão

O estudo anual mostra ainda que os portugueses são poupados nas suas viagens. Quando questionados sobre como poupam para poderem assegurar as suas viagens, 60% dos portugueses responderam que colocam dinheiro de parte regularmente. Paralelamente, já durante as suas férias, 38% dos inquiridos nacionais preferem economizar nas compras, para manter os custos das viagens mais baixos, enquanto apenas 18% dizem fazê-lo ao cortar nas excursões e passeios turísticos de autocarro.

Portugueses preferem hotéis com pequeno-almoço

O alojamento é um ponto importante para os turistas portugueses, que preferem a comodidade de ficarem alojados em hotéis (48%), de preferência com pequeno-almoço incluído (84%). Além disso, a possibilidade de ter Wi-Fi grátis (66%) e ficar num hotel perto da praia (49%) são outros dos requisitos que os portugueses mais procuram.

Os destinos mais populares e em crescimento para os Portugueses, neste verão*

Posição Mais populares (international) Preço médio voo Mais populares (nacionais) Preço médio voo Em crescimento (+ aumento nas pesquisas de voos em % face a 2017) Preço médio voo

1

Paris, França

€127

Ponta Delgada, Açores

€150

São Tomé, São Tomé e Príncipe (+138%)

€672

2

Londres, Reino Unido

€142

Funchal, Madeira

€160

Malta, Malta (+96%)

€220

3

Nova Iorque, EUA

€515

Terceira, Açores

€134

Moscovo, Rússia (+65%)

€307

4

Roma, Itália

€163

Porto Santo, Madeira

€507

Sal, Cabo Verde (+53%)

€421

5

Barcelona, Espanha

€97

Lisboa

€106

Los Angeles, EUA (+41%)

€783

Dados do estudo anual de viagens da momondo

998 portugueses responderam às questões da momondo, sobre os seus hábitos de viagem, de um universo total de 26.216 pessoas inquiridas.

  • 67% dos portugueses estão a planear férias com praia, para 2018

  • 36% dos portugueses preferem gastar dinheiro a viajar

  • 60% dos portugueses colocam dinheiro de parte, regularmente, para poder pagar as suas férias

  • 38% dos portugueses poupam nas compras, durante as suas viagens, mas apenas 18% poupam em excursões ou passeios de autocarro turísticos

  • 48% dos portugueses preferem ficar alojados num hotel

  • No que toca aos requisitos essenciais de um hotel, o top 3 é: 1. ter pequeno-almoço incluído (84%), 2. ter Wi-Fi grátis (66%), 3. estar perto da praia (49%)

Os dados têm por base pesquisas de voos ida-volta, em classe económica, no site www.momondo.pt, entre os dias 07/10/2017 e 07/04/2018, para viagens entre os dias 01/06/2018 e 31/08/2018, e em pesquisas efetuadas entre 07/10/2017 e 07/04/2017 para viagens entre 01/06/2017 e 31/08/2017. Estes destinos fazem parte de uma lista dos 50 destinos mais pesquisados. Preços podem variar e as ofertas já não estarem disponíveis.

O International Travel Study da momondo tem o objetivo de mostrar quais os hábitos de viagens em todo o mundo. Em 2018 foram questionadas 26.216 pessoas de 26 países diferentes. No que diz respeito a Portugal, foram questionados 998 portugueses, com idades entre os 18 e os 65 anos. Este estudo ocorreu entre 9 e 17 de janeiro de 2018 através de uma pesquisa eletrónica pelos painéis da Cint.

Os destinos mais desejados são baseados num top 100 de destinos com um mínimo de 2.500 pesquisas. Todos estes dados foram adquiridos por pesquisas de viagens realizadas na plataforma da momondo com datas compreendidas entre 25 de Setembro de 2017 e 25 de fevereiro de 2018.

Os preços dos hotéis baseiam-se em pesquisas na KAYAK entre 25 de Setembro de 2017 e 25 de fevereiro de 2018 para datas de viagem entre 1 de julho e 31 de agosto. Os preços são baseados numa taxa média por noite num quarto duplo em um hotel de 3 ou 4 estrelas. Todos os preços estão sujeitos a alteração, podem variar ou podem já não estar disponíveis.

Os preços de voo foram obtidos a partir de pesquisas na plataforma da momondo entre 25 de Setembro de 2017 e 25 de fevereiro de 2018 para voos de ida e volta entre 1 de julho e 31 de agosto, em classe económica. Todos os preços estão sujeitos a alterações, podem variar ou podem já não estar disponíveis.