Segunda-feira, Abril 6, 2020
Autores Posts by Silvia Guimaraes

Silvia Guimaraes

2506 POSTS 0 COMENTÁRIOS

0

No atual contexto pandémico que Portugal vive e tendo em conta o impacto na economia mundial em particular nos setores hoteleiro e turístico, a ADHP – Associação dos Diretores de Hotéis de Portugal promove, dia 2 de abril, pelas 10h30, a Web Conference sob o tema “O impacto do Covid-19 no Turismo e Hotelaria”. 

Esta conferência contará com a presença do professor João Duque do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG),  António Ceia da Silva, presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo, Ana Jacinto secretária-geral da AHRESP, António Marques Vidal, presidente da APECATE,  Álvaro Covões, vice-presidente da APEFE, Raúl Ribeiro Ferreira, presidente da ADHP e ainda Ruben Obadia, ex-jornalista e diretor da Message in as Bottle como moderador, com o objetivo de partilharem a sua visão sobre o que se tem perdido mas também quais os desafios que se avizinham, num debate aberto na procura de soluções e estratégias.

Para o presidente da ADHP, Raúl Ribeiro Ferreira, “estes dates via digital revestem-se de uma grande importância dado que nos dias que correm todos temos de unir esforços para vencermos esta pandemia mundial, sendo o isolamento uma das nossas principais armas.É tempo também para refletir e analisar que caminhos podemos escolher para que o Turismo continue a ser um dos principais setores de proveito para a economia nacional”.

2 de abril, quinta-feira a partir das 10h30 através do link:

https://www.youtube.com/channel/UC91SnYZI_zAwDOlvTmdYFAg?

0

Mais de 2.000 empresas candidataram-se à Linha de Apoio à Tesouraria para Microempresas do Turismo, com um valor próximo dos 20 M€. Destas candidaturas, o Turismo de Portugal já concedeu 3,7 M€ de incentivo. Esta foi uma das medidas implementadas pelo Turismo de Portugal no âmbito do programa Turismo#PorTodos, para apoiar o setor e minimizar os impactos da redução da atividade turística durante a situação extraordinária que o país atravessa.

As microempresas que solicitaram este apoio são de áreas tão diversas como Restauração e Bebidas (32%), Alojamento Local (24%), Animação Turística e Organização de Eventos (19%), Agências de Viagens (18%), Empreendimentos Turísticos (6%) e Rent-a-Car (1%).

Com uma dotação de 60 milhões de euros, podem candidatar-se a esta Linha de Apoio as empresas e empresários em nome individual, com menos de 10 postos de trabalho e cujo volume de negócios anual ou balanço total anual não exceda os 2 milhões de euros, com atividade em território nacional e certificação PME. O apoio financeiro é calculado tendo em conta o número de trabalhadores existente na empresa em fevereiro de 2020, multiplicado por 750 euros por cada trabalhador e pelo período de três meses, até ao montante máximo de 20 mil euros por empresa. Este apoio não vence juros e é reembolsado no prazo de 3 anos, incluindo um período de carência de 12 meses. As candidaturas são submetidas através de formulário a preencher no Portal Business do Turismo de Portugal.

Novas Linhas de Financiamento

As empresas do setor têm agora também à disposição três novas linhas, com uma dotação de 1.700 milhões de euros, criadas pelo Governo para minimizar os impactos provocados pela pandemia COVID-19.

Podem candidatar-se microempresas, PME, Small MidCap e MidCap, com comprovada situação líquida positiva no último balanço aprovado, situação líquida negativa e regularização em balanço intercalar aprovado até à data da operação, ou independentemente da respetiva situação líquida, iniciado atividade há menos de 12 meses contados desde a data da candidatura.

A Linha de Apoio a Empresas do Turismo (incluindo Empreendimentos Turísticos e Alojamento para Turistas) tem uma dotação de 900 M€; já a Linha de Apoio a Empresas de Restauração e Similares conta com uma dotação de 600 M€; e a Linha de Apoio a Agências de Viagens, Animação Turística, Organização de Eventos e Similares com 200 M€. Mais informações no Portal Business do Turismo de Portugal.

Na área do Apoio ao Empresário e ao Cliente, o Turismo de Portugal reforçou a sua capacidade de resposta contando com: Centro de Atendimento especializado que deu resposta, em primeira linha, a mais de 3.000 contactos; Serviço de consultoria especializada aos empresários, que respondeu a mais de 1.800 pedidos de informação nas duas últimas semanas; Programa de consultoria online para Empresas, desenvolvido pelas Escolas do Turismo de Portugal e que envolve cerca de 100 pessoas (entre coordenadores e Formadores Especialistas), procurando garantir resposta a todas as solicitações em menos de 24 horas. Nas primeiras duas semanas de funcionamento, este serviço já recebeu cerca de 300 pedidos de apoio, na sua maioria das áreas da Animação Turística (23%), Restauração (20%) e Alojamento Local (16%). O tipo de apoio solicitado direciona-se principalmente para as áreas de Promoção, Marketing e Vendas (26%), Soluções Criativas de Apoio à Sustentabilidade (23%) e Gestão Operacional em Turismo (13%) e Alojamento (11%).  As empresas podem continuar a aceder a este programa nos portais do Turismo de Portugal e das Escolas do Turismo de Portugal, do preenchimento do formulário online Suporte Online | Empresas de Turismo ou através do endereço escolasonline@turismodeportugal.pt.

O Turismo de Portugal reforçou a monitorização dos principais mercados emissores para Portugal, mobilizando as sua equipas no estrangeiro e disponibilizando diariamente no TravelBI informação sobre a dinâmica dos mercados e, ainda, research sobre os impactos da pandemia COVID-19 no setor.

Turismo#PorTodos é também uma mensagem de esperança na retoma de um setor que tanto tem contribuído para a economia nacional e que mostra agora a sua resiliência. Foi neste sentido que o Turismo de Portugal criou o vídeo #CantSkipHope, que já foi visto por mais de 2 milhões de pessoas em 14 mercados.

0

A AHP – Associação da Hotelaria de Portugal diz-se “satisfeita com as medidas apresentadas pelo Governo, sobretudo com a aprovação do Decreto-Lei n.º 10-G/2020 que veio esclarecer as condições de acesso das empresas e os procedimentos que devem ser adotados quando aplicadas as medidas excecionais e temporárias de proteção dos postos de trabalho”.

Em comunicado, a associação afirma que “tem estado em permanente contacto com o Governo, com quem já reuniu por diversas vezes sobre esta e outras matérias, como também tem informado e esclarecido os seus associados, quer através de contacto telefónico e email, quer através da análise e resposta a perguntas frequentes no âmbito da divulgação de medidas extraordinárias e alterações legislativas”.

Para Raul Martins, presidente da AHP, “tanto as medidas agora anunciadas, como as alterações às medidas de lay off vêm ao encontro das propostas que têm vindo a ser apresentadas pela AHP, pelo que tranquilizam bastante os empresários do setor”. No entanto, o dirigente associativo garante que apelaram “para que os pagamentos e os reembolsos às empresas, que têm de avançar com os salários dos trabalhadores e depois esperar pelo reembolso da parte da Segurança Social, fossem rápidos”.

O empresário e hoteleiro avança ainda que, pela informação que dispõem, “o Governo está a ter isso em consideração, sendo que os primeiros reembolsos estão previstos para 28 de abril”. Por outro lado admite: “todos sabemos que a situação é muito complicada para as empresas do setor, mas as respostas têm chegado e todas as nossas propostas têm sido atendidas. Consideramos, por isso, que as medidas, até agora anunciadas, são corretas e ponderadas e vão ao encontro do que é necessário para continuar a garantir os postos de trabalho e assegurar que teremos capacidade no futuro para retomar a nossa atividade,  mantendo os nossos excelentes profissionais”.

Raul Martins disse que a AHP está preocupada “quanto ao ritmo de retoma da atividade das viagens e turismo, que vai ser lenta e difícil. É, por isso, necessário alargar os prazos de reembolso das empresas quanto às linhas de apoio vigentes, permitindo-lhes vir a retomar a sua atividade em condições de honrar os seus compromissos”. Para isso, revela que irão propor ao Governo que os reembolsos dos financiamentos possam ser alargados para cerca de três anos.

Para dar resposta aos seus associados, a AHP criou uma linha específica de atendimento por email ou telefone, bem como uma plataforma aberta a toda a comunidade hoteleira – covid-19.hoteis-portugal.pt – onde se encontram os principais documentos e orientações divulgados pelas entidades oficiais e pela própria AHP, bem como respostas às perguntas mais frequentes colocadas pelos hoteleiros e que têm impacto na organização e na operação das empresas e das unidades hoteleiras.

0

A Norwegian Cruise Line Holdings Ltd., empresa que opera as marcas Norwegian Cruise Line, Oceania Cruises e Regent Seven Seas Cruises, anunciou hoje a extensão da suspensão voluntária anunciada anteriormente para todas as viagens em cruzeiros para incluir agora viagens das suas três marcas com data de embarque entre 12 de abril e 10 de maio de 2020.

“Com a COVID-19, que continua a ter um impacto significante nas comunidades de todo o mundo, iremos estender a nossa suspensão temporária de viagens em cruzeiros em todas a nossas três marcas até 10 de maio,” disse Frank Del Rio, presidente e diretor executivo da Norwegian Cruise Line Holdings Ltd. “Embora entendamos que esta interrupção poderá incomodar os nossos leais hóspedes e os nossos valiosos parceiros de viagem, estamos comprometidos principalmente em proteger a segurança, proteção e bem-estar dos nossos hóspedes, tripulação e comunidades que visitamos. Agradecemos a vossa compreensão continua, à medida que navegamos por estes tempos sem precedentes e fazemos a nossa parte para ajudar os esforços globais para conter a pandemia”, referiu ainda.

Os passageiros que tenham reservas atualmente com data de embarque entre 13 de março e 10 de maio de 2020 numa das três companhias de cruzeiros do grupo deverão, segundo a empresa, “entrar em contacto com o seu agente de viagens ou com a linha de cruzeiros para obter mais informações”.   

0

O Algarve acaba de lançar uma campanha para circular nas redes sociais que apela a que os portugueses fiquem em casa para depois poderem regressar à região com ainda mais saudade, num futuro esperançoso pós-pandemia Covid-19. «Adie as férias, mas não o coração. Afinal, haverá sempre Algarve», sugere o destino turístico no novo vídeo, disponível na página do Fabebook do VisitAlgarve.

«Hoje não te tenho aqui, mas oiço-te de cor e sei que amanhã sou o teu beijo outra vez. Lembra-te de mim. Algarve» é uma das mensagens da campanha que está ativa desde ontem nas redes sociais da Região de Turismo do Algarve (RTA) para que os portugueses não se esqueçam do seu destino de férias preferido nesta altura de distanciamento social.

Através da assinatura «Lembra-te de mim. Algarve», o vídeo deixa uma mensagem especial como reação ao surto do Covid-19, utilizando imagens de arquivo ao longo de dois minutos que tentam recordar os motivos pelos quais vale a pena esperar para voltar a visitar a região após a pandemia.

O vídeo – que será alvo de um investimento em social media advertising, Youtube e displays em canais de media – é uma produção da New Light Pictures, com voz off do ator algarvio João de Brito, «que a título gratuito cederam as suas capacidades e a quem a RTA agradece penhoradamente!», expressa o presidente da RTA, João Fernandes.

«Quisemos transmitir aos portugueses neste momento tão delicado que fiquem em casa e em segurança, adiando as férias, já que o Algarve e os algarvios continuarão no mesmo sítio para os receber de braços abertos quando tudo passar», explica ainda João Fernandes.

Além desta campanha, a RTA tem em curso a iniciativa «Ontem, como hoje, estamos cá para ajudar» destinada às empresas turísticas algarvias, em particular às PME, com o objetivo de esclarecer sobre os novos apoios disponíveis para mitigar as consequências económicas do novo coronavírus numa região que depende do turismo.

0

No âmbito dos condicionalismos impostos pelo novo Coronavírus, COVID-19, a editora MediaPearl e a Associação dos Diretores dos Hotéis de Portugal, vão disponibilizar de forma livre o acesso digital a todos os conteúdos das próximas edições impressas da revista Dirhotel (a publicação oficial da Associação) na página de Facebook da ADHP ou através de https://adhp.org/revista-dirhotel-acesso-digital-livre/.

A ADHP está igualmente a criar uma área no site da Associação dedicada ao COVID-19 onde irá disponibilizar todas as informações oficiais sobre a evolução da situação e todas as medidas a implementar. A Associação está também disponível para prestar todos os esclarecimentos e fornecer informações pertinentes a todos os associados.

“Num momento excecional da vida de todos os cidadãos e em particular no que toca a todos os que trabalham no setor da Hotelaria, a ADHP reforça a partilha de informação, uma das formas mais eficazes de combate ao vírus e está diariamente ao lado dos seus associados para tomarem as medidas necessárias neste momento e as que deverão ser tomadas num futuro que desejamos seja demasiado próximo”, referiu Raúl Ribeiro Ferreira  presidente da ADHP.

0

Um workspace digital na plataforma Slack é o novo espaço de partilha desenvolvido pelo NEST – Centro de Inovação do Turismo, onde os agentes do setor podem colocar as suas dúvidas, partilhar documentos e outra informação relevante, numa lógica colaborativa. Esta é uma das iniciativas do programa Tourism Now!, que inclui também a realização regular de webinars de acesso livre, desenvolvido pelo NEST para apoiar o setor nestes tempos de incerteza.

Prosseguindo a missão de estimular redes e contribuir para a transferência de conhecimento, o NEST tem por objetivo permitir uma resposta imediata dentro do ecossistema do turismo – que conta já com a participação de mais de 400 entidades, entre startups, PME’s e empresas do setor – através da identificação de necessidades e o desafio direto para desenvolvimento de serviços. Esta é também uma oportunidade para as startups se darem a conhecer ao setor e usarem os seus serviços para colmatar as necessidades prementes, sendo-lhes dada a possibilidade de apresentarem e-pitches que são depois também divulgados no portal e canal YouTube do NEST.

Numa segunda fase, pretende-se que o NEST Slack se assuma como uma ferramenta colaborativa para preparar a retoma do setor, promovendo uma relação dinâmica entre startups e empresas que permita estabelecer relações comerciais.

Ainda numa lógica colaborativa, o NEST está a organizar um conjunto de webinars de participação gratuita, na plataforma Zoom, para apoiar o setor nas mais variadas áreas. O primeiro realiza-se a 3 de abril, sexta-feira, às 11h00, com Carlos Gonçalves (AvilaSpaces) dedicado ao tema “Ganhos de produtividade criando um escritório virtual”, sendo necessária inscrição. O vídeo da sessão é depois disponibilizado no portal e canal YouTube do NEST.

O NEST – Centro de Inovação do Turismo orgulha-se de pertencer a um ecossistema dinâmico e inovador, que cria pontes, promove o espírito colaborativo e um Turismo#PorTodos, ao adaptar os seus serviços para encontrar soluções aos desafios atuais do setor e da sociedade.

São disso exemplo, os projetos desenvolvidos pela startup Infraspeak, que criou a comunidade e movimento Tech4Covid; a Luggit, com o serviço WeMovIt que permite o envio de bens entre familiares e amigos, sem necessidade de sair de casa; a Secret City Trails criou um jogo virtual gratuito de visita virtual a locais em Portugal; a Fast-MP colocou a sua tecnologia à disposição de restaurantes, de modo a poderem servir os seus clientes em segurança em regime de take-away ou entrega em casa; a Moov-pt tem um projeto a decorrer no Tech4Covid19 de transporte de médicos e pessoal de saúde, continuando a procurar operadores de mobilidade, como rent-a-car, para executar o serviço, de utilidade pública; a startup Climber – Covidografia.pt permite fazer um auto-diagnóstico de ajuda, reportar e saber a evolução da pandemia na área da residência; e a HiJiffy e a GuestCentric que criaram um novo portal de reservas para acomodação de trabalhadores da área da saúde, sem custo, o www.roomsagainstcovid.com

0

A MSC Cruzeiros decidiu prolongar a suspensão das novas partidas em toda a frota até 29 de maio, à luz das circunstâncias extraordinárias que o mundo continua a enfrentar, relacionadas com a emergência de saúde global do vírus Covid-19.

A companhia já tinha anunciado a suspensão temporária de todos os seus navios em todo o mundo até 30 de abril. Como os governos de todo o mundo reforçaram ainda mais as medidas de saúde e segurança pública em terra para proteger as populações locais e conter a propagação do vírus, a decisão de hoje da MSC Cruzeiros de estender esta medida extraordinária visa refletir e apoiar ainda mais a eficácia destes esforços.

Ao fazer este anúncio agora, a companhia afiram que “pretende disponibilizar aos agentes de viagens e passageiros, com reservas nos cruzeiros afetados, o máximo de tempo possível para que possam alterar essa mesma reserva para um futuro cruzeiro.

A MSC Cruzeiros oferece ainda aos viajantes afetados por esta medida extraordinária a oportunidade de transferir o valor total pago pelas suas férias canceladas, além de um generoso crédito adicional para um futuro cruzeiro à escolha dos passageiros para qualquer data até o final de 2021.

0

Como resultado das restrições de viagens sem precedentes impostas pelos governos em resposta à pandemia do novo Coronavírus e à implementação de bloqueios nacionais em muitos países europeus, a easyJet parou hoje totalmente toda a sua frota.

Nos últimos dias, a companhia tem ajudado a repatriar clientes, tendo operado quase 650 voos de resgate até o momento, trazendo de volta a casa mais de 45.000 clientes. O último desses voos de resgate foi operado no domingo, 29 de março. Vamos continuar a trabalhar em parceria com os governos para operar mais voos de resgate, caso nos seja solicitado.

Nesta fase, e sem a certeza da data para o reinício de voos comerciais, está a ser avaliada continuamente a situação. Com base nas regulamentações e na procura, será atualizada toda a informação ao mercado.

A com+anhia assegura em comunicado que esta “a tomar todas as medidas para controlar custos e despesas não determinantes para o negócio a todos os níveis, de forma a mitigar o impacto da COVID-19. A suspensão das operações de toda a frota reduz os custos de forma significante”.

Por outro lado, pode-se ler que “a easyJet mantém-se forte do ponto de vista financeiro, sem refinanciamentos de dívida com vencimentos até 2022. Mantém-se as discussões com os investidores, que reconhecem a robustez do seu modelo de negócio”.

0

A AHP – Associação da Hotelaria de Portugal recebeu, este sábado, dia 28 de março, um pedido urgente dos Hospitais Curry Cabral e São José, em Lisboa. Em duas horas conseguiu 80 quartos para acolher profissionais de saúde. 

Depois da hotelaria nacional, através da AHP, ter equipado o Hospital de Campanha, que abriu também no passado sábado, no Estádio Universitário de Lisboa com mais de 3 mil bens (num total de 36 mil bens que já foram recolhidos e doados), entre lençóis, édredons, atoalhados, almofadas e fronhas, volta agora a mostrar a sua generosidade. Hoje, o Hotel My Story Tejo, na Praça da Figueira, o Hotel Turim Ibéria, na Avenida 5 de Outubro, e o Hotel Vip Berna, na Av. António Serpa, abriram generosamente as portas para acolher 80 profissionais de saúde.

Para Cristina Siza Vieira, CEO da AHP, “este é um momento de união e de entreajuda. Por todo o país, muitos e muitos hotéis, dos mais modestos aos de luxo, têm anonimamente oferecido a sua ajuda, acolhendo profissionais e doando muitos bens, equipamento e produtos. Havemos de lhes agradecer a todos, a cada um individualmente. Hoje, porém, queremos sublinhar a pronta disponibilidade destes três hotéis nossos associados, que estando já fechados, vão reabrir a suas custas e acolher gratuitamente estes profissionais que precisam de acolhimento. Os empresários hoteleiros, apesar da séria situação em que se encontram, estão sempre disponíveis para servir o País.”