Quarta-feira, Março 20, 2019
Autores Posts by Silvia Guimaraes

Silvia Guimaraes

2348 POSTS 0 COMENTÁRIOS

0

O Turismo continua a exibir um grande dinamismo, que foi visível no primeiro mês de 2019. Em janeiro, de acordo com os dados divulgados pelo INE esta manhã, o número de hóspedes cresceu 7,2%, para 1,3 milhões, e as dormidas cresceram 4,7%, para 3 milhões. Para além disso, os proveitos subiram 8,7%, fixando-se nos 163 milhões de euros.

O INE passou a divulgar os dados mensais relativos ao Alojamento Local (estabelecimentos com mais de 10 camas), que indicam que também aqui há um crescimento de 6,1% nos hóspedes, para 190 mil, e de 4,4% nas dormidas, para 402 mil.

Os mercados que mais cresceram em dormidas em janeiro foram a China (+30,4%), os EUA (+23,9%), o Canadá (14,7%) e a Irlanda (+11,3%), prosseguindo a estratégia de diversificação de mercados estabelecida na Estratégia Turismo 2027.

O Reino Unido registou um crescimento de 4,3% de dormidas em janeiro.

Os resultados de janeiro mostram que se continua a abrir o mapa turístico do país e a reduzir a sazonalidade, com os maiores crescimentos em dormidas a serem registados no Alentejo (+18,3%), no Norte (+10,5%) e também no Algarve, que cresce 8% num mês da chamada época baixa.

Para a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, “estes resultados do início do ano mostram que a atividade turística continua efervescente e a crescer ao longo do território e ao longo de todos os meses, mesmo depois de um ano de recordes como foi 2018. Portugal continua a ser um destino imperdível nos 365 dias do ano, e a estratégia de diversificação de mercados, atraindo turistas que viajam ao longo de todo o ano, está a tornar a atividade turística cada vez mais sustentável”.

0

Com Brexit ou sem Brexit, Portugal quer que os cidadãos britânicos saibam que serão sempre bem-vindos no nosso país e que nunca deixaremos de estar com quem partilhamos a mais antiga aliança do mundo. Para que todos saibam disso mesmo, o Turismo de Portugal lança a campanha #BRELCOME – Portugal will never leave you.

Esta campanha integra o plano de contingência de Portugal para o mercado do Reino Unido, que inclui também uma linha de atendimento online dedicada e uma área informativa específica no portal VisitPortugal. Portugal foi pioneiro na adoção deste plano de contingência na Europa, e que garante aos britânicos que irão manter as condições de viagem de que beneficiam atualmente – designadamente isenção de vistos, criação de corredores dedicados nos aeroportos, utilização dos seguros de saúde ou reconhecimento das cartas de condução.

A campanha promove os ativos do turismo nacional e com um investimento de 200 mil euros vai estar até junho a lembrar que, apesar de mudanças que possam eventualmente estar a chegar, há sempre coisas que não mudam. As nossas praias e os nossos sabores, os nossos campos de golfe e os nossos festivais de música não deixarão nunca de acolher bem os visitantes do Reino Unido.

Para a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, “Portugal está a mostrar ao Reino Unido que, com Brexit ou sem Brexit, criámos todas as condições para continuar a acolher da mesma forma. As medidas aprovadas pelo Governo português foram muito bem recebidas pelos operadores turísticos e pelos britânicos, que são o nosso principal mercado turístico. Já com reflexo nos números turísticos de janeiro, em que o mercado britânico cresceu 4,3%”.

Para o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, “apesar de todas as incertezas, queremos deixar claro que Portugal é um país inclusivo e que todos são bem-vindos. Continuamos a apostar no Reino Unido enquanto mercado estratégico para o turismo nacional e nunca é demais reforçar a afinidade que une os dos países e as nossas culturas”.

0

A Cabo Verde Airlines vai começar a voar diariamente entre Lisboa e a Ilha do Sal, a partir do dia 1 de julho, anunciou, esta quinta-feira, na BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa, Mário Chaves, assessor do CEO para a Área Corporativa.

O responsável garantiu que este é o “único destino da companhia que vai ser servido com voo diário” e explicou que, “em relação ao Sal há um aumento de três frequências e meia, porque inclui uma perna, para sete frequências. Mas é o que já operámos no ano passado”.

Esta aposta deve-se ao facto de “no ano passado ter havido mercado para isso” e porque a “ocupação não para de crescer”, explicou o assessor, que já foi CEO da companhia aérea antes do grupo ter sido privatizado e adquirido em 51% pela Loftleidir Icelandic, pertencente ao Grupo Icelandair.

” A nossa ocupação está a crescer, a privatização aconteceu agora, as ações de marketing vão arrancar. É normal que o mercado não estivesse estabelecido, havia dúvidas de que isto iria acontecer. Agora que há certezas, estamos confiantes com todas as ações de marketing que estamos a fazer”, evidenciou ainda.

A Cabo Verde Airlines tem por objetivo aumentar a sua frota para 12 aeronaves até 2023, assim como continuar a crescer a nível de destinos internacionais, sendo que por agora soma uma dúzia, sempre a partir do hub da Ilha do Sal. No entanto, até 2020 a frota deverá ficar com “seis ou sete aviões” e neste momento está já a “operar com dois aviões da Icelandair em regime de wet lease”, com outro a chegar para abril e um outro a chegar em breve, todos eles Boeing 757.

Quanto a novos destinos, o profissional adiantou que o continente africano surgem em destaque, com Luanda em Angola e Lagos na Nigéria. Para o continente europeu a transportadora ambiciona vir a voar para as cidades italianas de Roma e Milão, enquanto que no na América a cidade de Washington, nos EUA, será também uma aposta futura.

0

A TAP, à semelhança do que já fez em Portugal, decidiu agora estender o seu programa de Stopover a alguns dos destinos para os quais tem rotas no Brasil.

O memorando de entendimento, entre a TAP e os Estados brasileiros do Rio de Janeiro, Bahia, Pernambuco, Ceará e Distrito Federal de Brasília, foi assinado durante a BTL pelo presidente da companhia aérea portuguesa, Antonoaldo Neves, e por representantes de cada um daqueles Estados.

Este programa, à semelhança de Portugal, tem por objetivo incentivar os passageiros que viagem da Europa a fazerem uma paragem antes de chegarem ao seu destino final.

“O que pretendemos é que um passageiro que viagem para São Salvador, na Bahia, possa por exemplo ficar antes uns dias no Rio de Janeiro para aproveitarem melhor a viagem”, referiu o responsável, adiantando ainda que “o programa Stopover teve um sucesso tão grande em Portugal”, e que no Brasil “vai também contribuir para o turismo em Portugal através da junção do Stopover Brasil com o da Europa”.

O passageiros que viagem com a TAP poderão passar a ficar entre uma e cinco noites no Rio de Janeiro, São Salvador, Recife, Fortaleza ou Brasília, seguindo depois para o seu destino final no Brasil sem que para isso tenham que pagar alguma penalização.

0
rptoz

O Observatório de Turismo Sustentável do Algarve foi lançado, esta quinta-feira, na BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa, pela Região de Turismo do Algarve (RTA), com o objetivo de estudar, analisar e monitorizar o desempenho turístico da região nas áreas da sustentabilidade económica, social e ambiental.

Presente na apresentação, que decorreu, esta quinta-feira, na BTL, esteve a secretária de Estado do Turismo (SET), Ana Mendes Godinho, e afirmou que este é um projeto de “referência internacional”.

“Vamos ganhar aos nossos concorrentes porque vamos passar a ter dois observatórios regionais dentro da rede mundial da OMT, o que é mais um passo para mostrarmos que lideramos também aqui”, referiu a SET.

Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, também presente na apresentação, garantiu, por outro lado, que Portugal será o “país com mais observatórios dentro da OMT”, com o Algarve a seguir-se ao Alentejo.

“É algo que nos orgulha muito. Depois do Alentejo, temos o Algarve e acreditamos que esta será uma das iniciativas que mais vai contribuir para termos um destino mais sustentável e muito mais competitivo em 2027”, referiu.

Segundo Luís Araújo, este novo Observatório será fundamental para “tomar as melhores decisões de investimento e as melhores decisões de operação e de gestão”, dado que “não se pode avançar com ideias, iniciativas ou projetos, se não conseguirmos medir aquilo que temos, se não conseguirmos medir a evolução que podemos fazer”.

O responsável frisou ainda que, “com este instrumento” será possível reunir ” mais condições para uma melhor gestão pública, para uma melhor gestão das próprias empresas, no sentido de conseguirmos ser mais eficazes a criar valor no negócio, mas também a conseguir transferir esse valor para o território e para beneficio dos nossos residentes. Para conseguirmos ter mais capacidade para valorizar, não só o nosso património local, mas também o nosso património cultural”.

O Observatório de Turismo Sustentável do Algarve é uma iniciativa da RTA mas terá o apoio da Universidade do Algarve a da CCDR Algarve.

0

O Seixal vai acolher a sua primeira unidade hoteleira de quatro estrelas, ao que tudo indica, a partir de 2021, num investimento de mais de 7,5 milhões de euros. A novidade foi avançada pelo presidente daquela autarquia, Joaquim Santos, esta quinta-feira na BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa.

Batizado de Hotel Mundet, dado vir a ficar instalado na antiga fábrica de cortiça que aí existia com o mesmo nome, o projeto foi atribuído, após concurso público, ao grupo imobiliário Libertas, sendo que o Stay UPon Hospitality Group é a marca que gere todos os hotéis da Libertas.

O primeiro empreendimento de quatro estrelas do Seixal, a ser construido na frente ribeirinha, em pleno espaço urbano, terá 84 apartamentos, piscina, bar, solário e zona lounge

Como não poderia deixar de ser, e devido à história do edifício, a cortiça dará o tema à unidade.

“O investidor está a aprimorar a proposta” para avançar com a construção que “deverá acontecer ainda este ano”, revelou aos jornalistas Joaquim Santos, à margem da apresentação.

O investimento “é só do promotor” apesar de “a Câmara Municipal deter o terreno, a visão da necessidade de existência de um estabelecimento hoteleiro no Seixal, sobretudo numa fábrica que muito diz às população do Seixal”, referiu.

Para além do Hotel Mundet, a autarquia do Seixal tem ainda mais dois projetos hoteleiros e turísticos em carteira. É o caso do Hotel Quinta da Trindade “uma espaço do município” para o qual o autarca diz estarem “à procura de parceiros” e afirma haver “alguns interessados, apesar de ainda não existir uma proposta em concreto”. Por outro lado, está ainda em perspetiva a construção de um Eco Resort, “o que tem gerado mais expetativa” e que virá a surgir “numa área de 90 hectares, reserva nacional, entre o Tejo e a Baia do Seixal”. Ao longo dos tempos o autarca garante que “têm surgido diversos interessados nacionais, mas na última segunda-feira de manhã surgiu um interessado internacional e na terça-feira à tarde um outro internacional, mas que no fundo é português”. Joaquim Santos afirma-se satisfeito com o “interesse do ponto de vista da procura”, mas alerta que “face à sensibilidade ambiental do território, todos os projetos têm que merecer um maturado estudo do ponto de vista ambiental, não só por parte da Câmara como também junto da comissão regional”.

O Seixal é o município convidado da 31.ª edição da BTL.

0

O operador turístico Sonhando, presente na BTL no satand da APAVT, aproveitou o primeiro dia do certame para apresentar a sua programação para o verão e também para o Réveillon.

Cuba continua a ser a “grande bandeira” da Sonhado, nomeadamente, como referiu José Manuel Antunes, director-geral da Sonhando, deixou claro que “Cuba é a grande bandeira” do operador e, “sobretudo, Cayo Coco.

Presente na ocasião este igualmente a nova embaixadora de Cuba em Portugal, Mercedes Martinez Valdés, que destacou o facto em 2018 “os portugueses terem conseguido atingir um recorde total”. Segundo a diplomata, viajaram para Cuba “31.869 portugueses”, num universo total de 4,7 milhões. Já este ano, “a 3 de março, já tinhamos registado o primeiro milhão de visitantes”, afirmou, adiantando que para 2019 “o objetivo será alcançar, pela primeira vez, os cinco milhões de visitantes”.

José Manuel Antunes, à parte da apresentação, disse aos jornalistas que as novidades deste ano da programação de verão são três. A primeira passa por Monastir começar a ser operado também à partida do Porto, dado que no ano passada era apenas à partida de Lisboa. No que respeita a São Tomé, o destino passa a estar disponível durante todo o ano e os voos para Malta passam de quinta-feira para domingo, “tornando o programa mais apetecível”, frisou.

Quando ao Réveillon, o responsável assegurou que as reservas antecipadas estão, cada vez mais, a surtir efeito, sobretudo para os destinos do Brasil e, em particular, para São Salvador, na Bahia. Para José Manuel Antunes, “curiosamente”, há mais reservas no momento para a “classe executiva”.

Quanto a novidades para o final de ano, Recife volta a entrar na programação da Sonhando com voo diretor, em voo Hi-Fly, a 27 de dezembro.

0

O Avis Budget Group aproveitou a sua presença na BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa para celebrar os 60 anos de presença da marca em Portugal.

Presentes na ocasião estiveram Gianluca Testa, diretor geral do grupo para a Europa do Sul, e Francisco Farrás, diretor geral ibérico do grupo, que aproveitaram para simbolicamente apagar as velas do bolo comemorativo, na presença de parceiros e clientes da rent-a-car.

Gianluca Testa garantiu na ocasião que esta já longa presença do grupo em Portugal deve-se, sobretudo, a alguns elementos que considera primordiais. “Uma das principais razões prende-se com o nosso cuidado em prestarmos um elevado serviço de qualidade aos nossos clientes. Algo que sempre fez parte do nosso ADN e que pretendemos continuar a dar primazia. Por outro lado, apesar de termos efetuado diversas mudanças nos últimos anos, a atenção que tentamos prestar aos nossos colaboradores tem sido uma das nossas maiores preocupações. E, em terceiro lugar, está a relação que mantemos com os nossos parceiros”, explicou.

Já o diretor geral ibérico do grupo acrescentou que “sendo a BTL um evento de referência no setor do Turismo em Portugal, o Avis Budget Group não podia deixar de estar presente”. Para Francisco Farrás, “esta é uma oportunidade para estabelecermos contato com os nossos parceiros e clientes num ambiente mais informal e que nos permite trocar impressões e perceber verdadeiramente as suas necessidades”.

O Avis Budget Group está presente na BTL num espaço dinâmico onde estão presentes as quatro marcas com que o grupo opera no território português: Avis, Budget, Turiscar e Turisprime.

0

Raul Martins, presidente da AHP – Associação da Hotelaria de Portugal e Maria José Guerra, vereadora do Turismo da Câmara Municipal de Viana do Castelo, assinaram, esta quarta-feira, na BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa, o protocolo que formaliza a intenção da associação em realizar o seu próximo congresso naquela que é uma das mais bonitas cidades minhotas.

A data escolhida foi de 20 a 22 de novembro e Viana do Castelo passa assim a estrear-se nas cidades que já acolheram o congresso nacional dos hoteleiros portugueses.

“A nossa associação faz sempre questão de fazer o congresso pelo país e pelas diversas regiões. Para nós, a disponibilidade da Câmara Municipal de Viana do Castelo para prosseguirmos esses objetivos e captarmos ainda mais associados naquela região é muito importante”, afirmou Raul Martins.

Já a vereadora do turismo daquela autarquia minhota frisou que “o Norte, e sobretudo o Minho e o Alto Minho, é uma região que está a crescer mais do dobro do resto do país” e garantiu: “É para nós também uma enorme honra podermos receber o vosso congresso, o congresso da hotelaria portuguesa, e de nos terem distinguido”. Para terminar, Maria José Guerra disse: “Em nome de todos os nossos hoteleiros, da nossa população, o nosso agradecimento mais profundo”.

0

Portugal vai lançar uma campanha de promoção turística no Reino Unido já na próxima semana, afirmou esta tarde aos jornalista o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, no decorrer da inauguração da BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa.

O governante garantiu que é objetivo do seu gabinete que os britânicos vejam Portugal como o destino europeu que lhes é “mais amigável”.

“Vamos acolher os turistas sem necessidade de vistos de entrada, vamos manter canais abertos nos aeroportos para que possam seguir sem interrupções, vamos manter o acesso aos canais eletrónicos de passaportes também disponíveis para os turistas que venham apenas para Portugal, vamos continuar a proporcionar o acesso ao Serviço Nacional de Saúde e ao transporte de animais de companhia. Tudo será criado para que os turistas do Reino Unido não sintam, apesar da saída do Reino Unido da União Europeia, qualquer alteração na experiência que tenham em Portugal”, garantiu.

Segundo Siza Vieira, “o mercado britânico é muito significativo para Portugal. É o mercado que mais turistas gera para o nosso país, com uma presença particular muito significativa no Algarve e na Madeira e, por isso, estamos, ao mesmo tempo, a fazer uma campanha intensa de promoção de Portugal. Estamos a contatar os operadores turísticos e as agências de viagens dando conta das condições que temos e vamos na próxima semana lançar uma campanha dirigida ao mercado do Reino Unido para mostrar aquilo que Portugal tem para oferecer”, enalteceu.

O responsável admite que “as alterações das circunstâncias podem ter algum impacto, mas o esforço de promoção e a simplificação administrativa visam mitigar esse impacto”.

Por outro lado, Pedro Siza Vieira destacou o facto de terem conseguido “repor a capacidade aérea no aeroporto de Faro, depois das falências de algumas companhias aéreas no ano anterior e nestes dois últimos meses, janeiro e fevereiro. A chegada de britânicos aos aeroportos nacionais ultrapassou os 16% face ao período homólogo do ano anterior. Isso significa que os britânicos retomaram o nível de crescimento que se tinha deteriorado um pouco. Vamos esperar com confiança a ver qual será o impacto destes efeitos”, referiu também.

As declarações de Pedro Siza Vieira tiveram lugar antes de o parlamento britânico ter rejeitado da saída do Reino Unido da União Europeia sem um acordo, embora com uma pequena margem de votos, ou seja, 312 a favor da proposta e 308 contra.

A Câmara dos Comuns irá agora votar, esta quinta-feira, um pedido de prorrogação à UE do processo do Brexit para depois de 29 de março.