Gerês: Terras abençoadas aquelas com que a Natureza nos presenteia (galeria de fotos)

Rio Cávado

Por Sílvia Guimarães (texto) e Miguel Moura (fotos)

Umas mais verdes outras nem tanto, bem lá no Norte de Portugal, o toque da Mãe-Natureza foi, sem dúvida, especial e único. Por aquelas terras brotam maravilhas. Nascentes de águas límpidas e refrescantes. Trilhos inigualáveis. Cascatas de nos fazer querer voltar e voltar vezes sem conta. Poços e piscinas naturais que revitalizam corpo e mente. Miradouros de cortar a respiração.

Mas que se desengane quem pensa que por ali há apenas águas gélidas. Nas montanhas do Gerês correm águas quentes, que apenas chegam ao cimo da montanha a cada cem anos, a uma temperatura superior a 70ºC, ideais para curarem males e mazelas provocados pelas intempéries da vida.

Quem chega ao Parque Nacional da Peneda-Gerês, considerado pela UNESCO como Reserva Mundial da Biosfera, deve ficar a saber que muito há para fazer e visitar. Entrando por Terras de Bouro, para quem vem dos lados do Porto, Guimarães ou Braga, nada melhor que se deixar encantar pelas margens do Rio Caldo, um pequeno rio que nasce na Serra do Gerês e que desagua na margem direita do rio Cávado, na freguesia de rio Caldo.

Para os amantes de desportos náuticos e outros demais aquáticos, este é o local perfeito para começar a explorar a região. O Centro Náutico e a Marina de Rio Caldo são estruturas turísticas muito procuradas, quer pela sua beleza paisagística, quer pelas excelentes condições de prática desportiva que oferece. Deixe-se levar pelo prazer de um minicruzeiro fluvial, possível em embarcação da própria autarquia, contemplando as margens montanhosas e verdejantes, ou então opte por um calmo passeio de “gaivota” ou, quem sabe ainda, se é adepto de adrenalina, optar pelos variados desportos radicais que o centro náutico pode proporcionar.

Não se retraia na hora de explorar a região. Suba e desça montanha. Procure lugares nunca por si vistos. E encante-se pelas histórias e cresças que por ali deambulam. Procure passar pela Albufeira de Vilarinho das Furnas, que esconde a sua aldeia histórica, submersa há anos, e, se quiser ficar a saber um pouco mais sobre esta aldeia e as suas gentes, visite o Museu Etnográfico de Vilarinho das Furnas. Dirija-se ainda ao Santuário de São Bento da Porta Aberta, o segundo maior local de culto e devoção de Portugal [após, claro, o Santuário de Fátima], para onde muitos portugueses também se dirigem em peregrinação todos os dias do ano.

Cascatas

Se gosta de aproveitar o sol e banhos refrescantes de água doce, este é igualmente o destino ideal. Na Albufeira da Caniçada procure as majestosas Cascatas do Arado ou as Cascatas de Fecha de Barjas, estas últimas mais conhecidas como Tahiti, e deixe-se deslumbrar. A Cascata do Arado, localizada em Vilar da Veiga e situada a 900 m de altitude, é uma das cascatas mais altas do Gerês e talvez a mais fotogénica. O rio Arado, um afluente do rio Cávado, desenvolve aqui uma série de lagoas e pequenas quedas de águas que dão origem a esta deslumbrante cascata.

Daqui parta para o Poço Azul, a 1h30m de distância, por trilhos, montanhas e vales, deslumbrante pelas suas águas cristalinas… a verdadeira cereja no topo do bolo após uma valente caminhada [sim, esta é a única forma de acesso], recomendada apenas a quem tenha alguma boa forma, dado a sua dificuldade ser média/alta. Mas, nada de dramas, até os mais pequenos o conseguem fazer, sempre com muita calma e boa disposição. Se tiver receio pode sempre optar por contratar uma empresa especializada, como a GerêsMont, dotada de diversos programas em grupo ou individual.

E para terminar o dia em grande, e de volta à Cascata do Arado, o melhor será seguir para as famosas Cascatas do Tahiti. Considerada por muitos a cascata mais bonita de Portugal, descer até ela requer algum cuidado e perícia, mas no final o esforço recompensa, quer pelos banhos refrescantes que poderá proporcionar quer pelo seu vasto caudal.

Gastronomia

Como quem vai até ao Minho não pode sair sem uma barriga farta, nada melhor que colocar de lado as dietas e deixar-se levar pelo que melhor a gastronomia daquela região tem para oferecer. Desde a costeleta de vitela grelhada ao suculento cabito assado, da vitela também assada que se desfaz na boca ao cozido de feijão, tudo é de comer e chorar por mais. A acompanhar, está claro, os famosos vinhos verdes, brancos ou tintos, conforme o gosto de cada um, produzidos naquela região do país. Uma coisa é certa: de Terras de Bouro e de toda a região do Gerês ninguém sai desiludido com a gastronomia. Se quer a nossa opinião, passe pela Adega do Ramalho, pelo Cantinho do Antigamente e ainda por O Abocanhado, vai ver que não se arrepende. Do melhor que pode encontrar na restauração da região.

Quando estiver na Adega do Ramalho, no lugar de Assureira, aproveite ainda para visitar, a poucos metros do restaurante, o Banco do Ramalho, dedicado a Ramalho Ortigão, contruído cinco anos após a sua morte, no mesmo lugar onde o escritor tinha por hábito se sentar e inspirar para escrever as suas obras. O banco de pedra, foi edificado em formato triangular, com cada um dos ângulos virados para os três pontos de interesse possíveis de alcançar desde aquele ponto: o Miradouro da Junceda, o Miradouro da Pedra Bela e o Rio Cávado.

Alojamento

Na hora de descansar, os alojamentos turísticos, de diversas categorias, são, na sua maioria, de elevada qualidade. É o caso do Hotel Agrinho Suítes & Spa Gerês, situado na margem da albufeira da Caniçada.

Este empreendimento, envolvido num ambiente idílico e romântico, com a paisagem recortada pela albufeira da caniçada, proporciona-lhe momentos ímpares de descanso e diversão, num ambiente de ruralidade, com todas as comodidades e conforto.

Se pretende alugar uma casa no Gerês para passar umas férias ou fins de semana em família, pode usufruir das infraestruturas do hotel com piscina exterior, piscina interior com jacuzzi, Spa com sauna e massagens.

Com alojamentos com todo o conforto e design moderno, este hotel reúne todas as condições para umas férias de sonho, escapadinhas românticas ou termas no Gerês.

O Hotel Termas do Gerês é a nossa segunda sugestão de alojamento, sobretudo para quem preferir ficar instalado na Vila do Gerês ou para quem está a fazer tratamentos termais.

As águas termais do Gerês são ideais para quem tem problemas do foro gástrico ou para quem tem por objetivo a perda de peso. Apesar de funcionarem também como Spa, ideal para quem passa o dia em atividades pelas montanhas, é na cura de doenças gástricas que as Termas do Gerês centram a sua atividade, através da ingestão diária da sua água medicinal e perante um programa de, no mínimo, dez dias.

Raia Termal

E porque o Gerês não é só português, passa além-fronteiras, para terras galegas, municípios contíguos, mas separados por uma fronteira internacional, Terras de Bouro, Melgaço e Ourense uniram-se em torno de uma valência comum, as suas águas termais, para desenhar um projeto transfronteiriço que irá potenciar a economia deste território. Com os rios Minho e Lima, uma via milenar e o Parque Nacional da Peneda-Gerês como património natural intermunicipal, a Raia Termal implica a promoção e comercialização de um Destino Turístico Termal único.

O projeto é promovido pela Confederação Hidrográfico do Miño-Sil e Governo provincial de Ourense, e pelas Câmaras Municipais de Melgaço e Terras de Bouro, envolve a revitalização de espaços de lazer, bem-estar e culturais, requalificação de infraestruturas e de cursos de água. Neste espólio conta-se património nos três municípios.

O projeto Raia Termal ‘Desenvolvimento do destino turístico termal de fronteira galego-português mediante a valorização de espaços naturais termais, a gestão e a comercialização conjunta do destino’ é cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do Programa Interreg V-A España Portugal (POCTEP) 2014-2020. Enquadra-se no eixo prioritário número 3 sobre o ‘crescimento sustentável através da cooperação transfronteiriça para a prevenção de riscos e melhor gestão dos recursos naturais’.

Raia Termal visa valorizar recursos naturais termais e estruturar de maneira conjunta as iniciativas de gestão e de comercialização para criar um único destino termal de fronteira e assim contribuir para o desenvolvimento do termalismo e favorecer o turismo de qualidade na zona transfronteiriça entre Galiza e o norte de Portugal, o qual sairá fortalecido como elemento dinamizador da economia desta região.

Artigos relacionados: https://viajarmagazine.com.pt/geres-as-maravilhas-de-terras-de-bouro-em-video/

*A Viajar Magazine esteve em Terras de Bouro a convite da BDC e da autarquia local

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here