Parcela Já ajuda a aumentar margens de lucro das agências de viagens

0
1458

As agências de viagens portuguesas já têm mais um produto inovador na Europa para oferecer aos seus clientes. Parcela Já surge, a partir desta semana, no mercado como uma empresa facilitadora de pagamentos no setor do turismo.

Lançada por Miguel Quintas, a Parcela Já foi esta quarta-feira apresentada publicamente à imprensa do trade, em Lisboa, e tem como objetivo colocar à disposição das agências de viagens a opção de venderem pacotes turísticos aos seus clientes com base em pagamentos parcelados nos cartões de crédito.

Segundo Miguel Quintas a mais-valia deste novo produto passa por “facilitar o pagamento ao cliente final”, além de permitir “evitar que as agências de viagens façam descontos”, uma realidade com que as agências todos os dias se deparam na tentativa de “agarrar” o cliente e conseguir assim vender-lhe um produto turístico.

A Parcela Já começa por disponibilizar o pagamento das viagens parceladas até três vezes e sem limite máximo de montante, dependendo apenas do plafond disponível do cartão de crédito do cliente. Num futuro próximo é objetivo da empresa aumentar o número de parcelas disponíveis para pagamento.

O cliente passa, desta forma, a ter uma maior disponibilidade financeira para as viagens que pretende realizar e as agências de viagens terão a oportunidade de aumentar a fidelização dos seus clientes, elevar as vendas e a faturação, reduzir os descontos e, consequentemente, aumentar as margens de negócio. A cargo da Parcela Já ficam os custos da transação do cartão de crédito, tal como todos os riscos financeiros envolvidos em cada operação.

Caso a agência de viagens consiga instalar o terminal sem que seja necessária a deslocação de um técnico não lhe será cobrado qualquer valor. A mensalidade de 10 euros pelo terminal apenas será cobrada à agência de viagens caso esta não consiga atingir ao um montante mínimo de transação no valor de 1000 euros mensais.

Processo simplificado

As agências de viagens parceiras deste projeto passarão a contar com um Terminal Ponto de Venda da Parcela Já e, de uma forma muito simples, poderão realizar o pagamento parcelado, necessitando apenas do cartão do cidadão e do cartão de crédito pessoal do cliente. Miguel Quintas explicou aos jornalistas que a juntar ao valor da viagem haverá a taxa de abertura de processo no valor de 5 euros e uma taxa de serviço no valor de 5% em relação ao montante total da viagem, ambos a cargo do cliente. No final, tanto este como a agência de viagens receberão por email uma cópia do processo. “É importante referir que apesar de 5% do total da viagem parecer um valor elevado, convém não esquecer que a Parcela Já assume dentro desta margem os custos da transação do cartão de crédito, o risco de seguro, o scoring da avaliação de crédito e os processos com as agências de viagens e os bancos”, explicou Miguel Quintas à Viajar, à margem da apresentação.

Miguel Quintas assegurou, por outro lado, que caso o cliente pretenda poderá pagar apenas uma parte do montante em parcela. Para que possa parcelar o valor que pretende o cliente terá que ter esse valor disponível no plafond do cartão, que apesar de poder ser pago até três vezes, nos três meses seguintes a partir do dia em que a compra é efetuada, fica desde logo bloqueado.

O responsável esclareceu que comprar com a Parcela Já traz maiores vantagens para o cliente final do que fazer o pagamento diretamente através do banco com o cartão de crédito, dado que “não terá juros”, permitindo ficar “mais barato do que estar a pedir ao banco”.

Após o pagamento, que é confirmado na hora, a Parcela Já afirma que a agência de viagens irá receber o valor num prazo máximo de 72 horas, para que possa de seguida terminar o processo de reserva como o tour operador em questão.

Objetivos futuros

Numa primeira fase, o pagamento através da Parcela Já está disponível para produtos de seis grandes operadores turísticos do mercado português. São eles a Consolidador.com, James Rawes, Solférias, Soltrópico, Travelplan, Nortravel e Joliday. A curto prazo Miguel Quintas diz que têm como objetivo “universalizar a operação”, mas afirma que, para já, estão “satisfeitos com os atuais fornecedores”, dado que “em termos de outgoing temos cerca de 75% do mercado”, podendo vir a estender a oferta também a centrais hoteleiras e até companhias aéreas.

Pensando no futuro, Miguel Quintas tem por objetivo chegar ao final de 2017 com “10 milhões de faturação” e abranger as mais de 600 agências de viagens espalhadas por todo o país. “Iniciámos este projeto com seis agências de viagens piloto, mas tencionamos no prazo de quatro meses chegar às 100 agências”, concluiu o profissional, deixando ainda presente que as primeiras 20 agências a aderirem à Parcela Já irão usufruir da instalação gratuita do terminal, assim como da isenção de pagamento da primeira anuidade.

Presentes na apresentação estiveram ainda César Valente e Ricardo Campanhã, diretor comercial e responsável de Operações da Parcela Já, respetivamente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here