Pedro Machado apresenta recandidatura à presidência da Turismo Centro de Portugal

Pedro Machado apresenta recandidatura à presidência da Turismo Centro de Portugal

0

Pedro Machado, presidente da Entidade Regional Turismo Centro de Portugal, formalizou, esta quarta-feira, dia 9 de maio, a candidatura a um segundo mandato à frente dos destinos do organismo que rege a maior e mais diversa região turística nacional. A apresentação foi feita na sede do Turismo Centro de Portugal, em Aveiro, onde Pedro Machado entregou a lista proposta aos órgãos dirigentes. As eleições, para o período 2018-2023, vão decorrer no próximo dia 23 de maio, com mesas de voto em Aveiro, Guarda e Leiria.

A lista candidata à Comissão Executiva integra cinco elementos, sendo composta por Pedro Machado, João Azevedo (presidente da Câmara Municipal de Mangualde e presidente do Conselho Regional do Centro), José Ribau Esteves (presidente da Câmara Municipal de Aveiro e Presidente da Comunidade Intermunicipal de Aveiro), Maria do Céu Albuquerque (presidente da Câmara Municipal de Abrantes e da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo), Jorge Loureiro (empresário e vice-presidente da AHRESP – Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal). João Azevedo e Maria do Céu Albuquerque são os novos elementos na lista proposta.

Luís Correia, presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco e atual Presidente da Assembleia-Geral do Turismo Centro de Portugal, e Manuel Machado – presidente da Câmara Municipal de Coimbra, presidente da Associação Nacional de Municípios e atual Secretário da Mesa da Assembleia Geral – renovam a sua candidatura, respetivamente, a Presidente e a Secretário da mesa.

Pedro Machado destacou, na apresentação da lista, a representatividade expressa na candidatura que encabeça. “A lista traduz a representação dos 100 municípios, de todas as oito comunidades intermunicipais, e dos principais movimentos associativos regionais e nacionais. Estão presentes, de forma física, todos os territórios que compõem a marca Centro de Portugal. Há também um aumento da representatividade das várias associações nos órgãos do Turismo Centro de Portugal (a AHP – Associação da Hotelaria de Portugal, a AHRESP – Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, a Associação das Aldeias Históricas de Portugal, a ADXTUR – Associação das Aldeias do Xisto e a Associação das Termas de Portugal) e também do setor privado, representado pelo Grupo Visabeira”, disse.

“A nossa candidatura é subscrita por 91 das 100 câmaras municipais e por 19 associações, num total de 110 subscrições. Entre elas, subscrevem-na a APAVT – Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo, a ARAC – Associação dos Industriais de Aluguer de Automóveis sem Condutor, APECATE – Associação Portuguesa de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos, Associação dos Artesãos da Serra da Estrela, o NERGA – Núcleo Empresarial da Região da Guarda, o CEC – Conselho Empresarial do Centro, a Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas, a AD ELO – Associação Desenvolvimento do Baixo Mondego, o CERV – Conselho Empresarial Região de Viseu, CVR Beira Interior, CVR Dão, CVR Lisboa, ACISO – Associação Empresarial Ourém – Fátima, e a ADIRN – Associação Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Norte, quando bastavam 39 subscrições para ser validada. E são 91 câmaras, e não as 100, dado não nos ter sido possível contactar todas, presencialmente, como desejaríamos, dentro do prazo para apresentação desta candidatura. Este é um voto de confiança institucional enorme, mas também uma grande responsabilidade que nos é dada para mais um mandato”, acrescentou.

Depois, o candidato introduziu algumas das ideias-chave da sua candidatura. Em primeiro lugar, consolidar o crescimento dos indicadores do turismo no Centro de Portugal. “Nos últimos cinco anos, entre 2013 e 2017, o número de hóspedes subiu de 2,1 para 3,2 milhões e as dormidas aumentaram de 3 para praticamente 6 milhões. São números muito significativos e uma das nossas primeiras metas é consolidar este crescimento, que foi de 14% anual, acima dos 7,3% da média nacional e que é transversal a todo o território da região”, declarou.

A aposta na qualificação dos recursos humanos, tanto internamente, no que respeita aos serviços do Turismo do Centro, como entre os operadores turísticos dos vários setores da atividade, é outra das prioridades do candidato. Da mesma forma, Pedro Machado tenciona rever o plano de marketing aprovado em 2014 e pôr em prática uma agenda assente em quatro desafios: o desenvolvimento da sustentabilidade como um desígnio do turismo no Centro de Portugal; a aposta nos ativos qualificantes, de forma a melhorar a experiência dos visitantes do território; a inovação, através de redes funcionais colaborativas; e a competitividade, numa lógica de posicionamento para o Portugal 2030.

Pedro Machado agradeceu ainda o empenho, dedicação e confiança dos membros cessantes dos órgãos sociais da Entidade Regional Turismo Centro de Portugal.

SEM COMENTÁRIO

Leave a Reply