Presença portuguesa muito tímida na Feira de Turismo de Gramado

0
1188

A presença portuguesa no Festuris, que teve lugar a 6 e 7 de Novembro, foi bastante tímida. A Feira de Turismo de Gramado, no Estado brasileiro do Rio Grande do Sul, tem vindo a atrair cada vez mais destinos internacionais, incluindo europeus, mas nem o novo direto da TAP para Porto Alegre, cidade capital daquele Estado, fez com que os portugueses investissem mais no certame. Segundo uma das diretoras e fundadora do Festuris, Marta Rossi, o Turismo de Portugal tem vindo sempre a delegar a sua presença para o ano seguinte, desculpando-se com a crise. Mas, a verdade, é que nada!
Stands próprios portugueses apenas se puderam observar o dos Hotéis Vila Galé e o da Agência Abreu, ambos com presença bastante fincada no mercado brasileiro. Já os Hotéis Dom Pedro e Pestana, assim como a TAP, preferiram participar agregados a associações das quais fazem parte. No caso da TAP, a gerente regional de vendas em Porto Alegre, Maria João Raupp, marcou presença com um pequeno balcão no stand da Star Aliance. “Os preços desta feira são muito altos e, por isso, achámos por bem participarmos com a Star
Aliance”, revelou a responsável à Viajar, adiantando ainda que a operação entre Lisboa e Porto Alegre tem corrido “muito bem”, escusando-se a avançar com números.

Grande aposta no Dom Pedro Laguna

Os hotéis Dom Pedro, representados pela sua responsável comercial para o Brasil, Marisa Alves, adiantaram, à Viajar que estão já com uma procura muito forte para o Natal e Réveillon, principalmente por parte de portugueses e ainda algumas outros nacionalidades europeias.
Com os prémios recentemente obtidos pelo Dom Pedro Laguna nos World Travel Awards Latinos, como melhor resort do Brasil e melhor resort de praia da América do Sul, Marisa Alves afirmou “que ouve um acréscimo na procura pela unidade”, o que garante ser “bastante positivo” e poderá ter uma “grande influência no aumento das vendas do resort para o final de ano e para 2016”.
A taxa de ocupação do resort gira em torno de 45% por ano, com 90% dos hóspedes oriundos do Brasil, principalmente de São Paulo, Ceará, Brasília e Belo Horizonte, enquanto os 10% restantes respondem pelos portugueses e outras nacionalidades como norte-americanos, holandeses, argentinos e alemães.

“No Vila Galé [Brasil] não há crise”

A taxa de portugueses também tem vindo a crescer no Vila Galé, sobretudo agora no início do pós-crise, foi o que revelou Adriana Borges, gerente de vendas e marketing do grupo hoteleiro no Brasil.
Já com dois charters totalmente vendidos para o Vila Galé Marés no Réveillon, e como o Vila Galé Cumbuco já quase a chegar aos 100% de ocupação também para os últimos dias de 2015, a responsável garantiu à Viajar que nos hotéis Vila Galé Brasil “não há crise”. De todas as unidades do grupo português naquele país da América do Sul, a de São Salvador, na Bahia, é que tem registado mais dificuldades e, segundo Adriana Borges, “está difícil conseguir ultrapassar os números do ano passado”.
Em alguns dos hotéis do grupo no Brasil a taxa de ocupação é proveniente em 99% do mercado interno.

Produto Abreu tem uma “aceitação maravilhosa” no Brasil

A fase económica menos boa que o Brasil tem vindo a viver nos últimos tempos foi apontada, por Cristina Hoyer, representante da Abreu nos Estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, como um fator de instabilidade e desconforto nas pessoas. “Quando acontece uma situação destes as pessoas começam sempre por cortar nas atividades de lazer e temos sofrido um pouco com isso nestes últimos meses”, frisou a especialista. “Temos vindo a procurar, constantemente, oportunidades de negócio e esta feira muito importante para o mercado brasileiro e para quem vem de fora porque conseguimos efetivar negócios e planear muitas coisas para o próximo ano”, disse à Viajar.
Para o resto do ano, Cristina Hoyer mostrou-se otimista dado a procura ter aumentado significativamente a partir de Outubro, o que se irá refletir nas vendas.
Afirmando que o produto Abreu tem uma “aceitação maravilhosa” no Brasil, revelou que os destinos europeus continuam a ser aqueles que registam maior procura por parte do mercado brasileiro e a maioria é “reincidente”. O produto interno, o norte-americano, Caraíbas, América do Sul e os grandes destinos são os que se seguem.
As viagens internacionais, apesar dos números ainda positivos, registaram as maiores quebras neste processo de crise do Brasil. *

*A Viajar esteve presente no Festuris e convite da organização do evento e da TAP.
CAIXA

Festuris gera milhões em negócios e cresce em dimensão e visitantes

A 23ª edição do Festuris registou este ano um aumento de três por cento na sua área de exposição e recebeu mais de 14 mil visitantes em apenas dois dias, dos quais 36% deslocaram-se pela primeira vez ao evento.
Em conferência de imprensa realizada no final do evento, Marta Rossi, Eduardo Zorzanello e Marcus Vinícius Rossi, promotores e diretores do certame, garantiram que o Festuris 2015 irá proporcionar 200 milhões de reais (49 milhões de euros) de negócios durante o próximo ano e nos dias do evento rendeu à economia local de Gramado mais de 14 milhões de reais (3,4 milhões de euros).
TEXTO 2

Apesar do voo direto da TAP à partida de Lisboa
Porto Alegre sem verbas para se promover na Europa

Luiz Fernando Moraes, secretário municipal de Turismo de Porto Alegre, capital do Estado brasileiro do Rio Grande do Sul, garantiu à Viajar que pouco estão a fazer para promover o destino em Portugal e no resto da Europa devido à falta de verba por parte do Governo e autarquias brasileiras para a promoção externa, agora que o país está mergulhado numa profunda crise económica.
Com ligação direta entre Lisboa e Porto Alegre, há mais de quatro anos, com a TAP, o responsável afirmou, no decorrer do Festuris, que, apesar de terem parado com a promoção do destino na Europa, no início da rota aérea organizaram diversas ações tanto em Portugal como em Espanha, sobretudo pela aproximação cultural e linguística
Embora diga que não possuem informações estatísticas, demonstrou ter conhecimento, através dos centros de informação turística que “houve um aumento de procura de informações por parte dos portugueses e espanhóis para com o destino de Porto Alegre”. “Este é um indicio que muito nos satisfaz, embora saibamos que o objetivo número um TAP, com a introdução deste voo, fosse com o hemiciclo brasileiro, ou seja, levar brasileiros para a Europa”, enalteceu.
Não têm o cálculo exato de quantos turistas recebem atualmente na região por “dificuldades estatísticas”, mas estimam que o número possa rondar “entre um milhão a 1,5 milhões de visitantes”, muito motivado pelo turismo de negócios e eventos, e com a maioria da percentagem virada para o mercado interno.
“Já sabíamos, à partida, que o nosso produto seria mais difícil de vender na Europa, principalmente porque estamos localizados no sul do Brasil e não somos um produto de sol e mar. Temos um trabalho adicional para mostrar um outro Brasil, diferente, com as suas próprias características e atrativos, longe dos habituais produtos, que giram em torno do Carnaval e do samba”, explicou. Depois deixou passar que a crise vivida na Europa e agora a que está a mergulhar o Brasil também em nada têm ajudado o destino na sua promoção europeia. Mas garante que tencionam, assim que possível, “voltar a trabalhar esta conexão”.
Em primeiro lugar, Luiz Fernando Moraes aponta “uma cultura diferente” como a principal caraterística que têm para oferecer no Estado do Rio Grande do Sul e, particularmente, em Porto Alegre. A figura do gaúcho é a grande mestre de honras dessa cultura, com as suas vestes, música e folclore típicos, que associada às tradições e costumes dos povos colonizadores daquelas terras, tornam aquele Estado único e diferente dos restantes brasileiros.
A título de exemplo deixou o programa cultural que muito tem atraído o turismo interno intitulado “Noite Gaúcha”. Os participantes têm a oportunidade de participar de três oficinas temáticas: O que é, de onde vem e como se faz a famosa bebida quente da região, não alcoólica, e chamada de Chimarrão?; qual a melhor carne para um churrasco? – Como a cortar, como a escolher e como a preparar; e dança Gaúcha. No final, o programa termina com um churrasco à boa maneira gaúcha e noite animada com música e dança, onde são convidados a participar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here