Sábado, Setembro 22, 2018
Tags Post com a tag "Aviões"

Aviões

0

As entregas de aviões comerciais Airbus em 2016 aumentaram pelo 14º ano consecutivo, alcançando um novo recorde da empresa de 688 aviões entregues a 82 clientes. As entregas do ano que passou representam um aumento de 8% relativamente ao anterior recorde de 625 aviões entregues, obtido em 2015. As entregas de 2016 incluíram 545 aviões single aisle da Família A320, dos quais 68 A320neo, 66 aviões A330, 49 A350 XWB e 28 aviões A380. Mais de 40% das entregas de aviões single aisle foram de modelos A321.

A Airbus atingiu 731 encomendas líquidas de 51 clientes, dos quais 8 são novos clientes. Este montante inclui 607 aviões single aisle e 124 wide-body. No final de 2016, o backlog total da Airbus foi de 6.874 aviões, avaliados em cerca de 1 bilião de dólares, a preços de tabela.

“As nossas entregas estiveram de acordo com os nossos objectivos e num ambiente bastante desafiante, comprovando que estamos preparados para o futuro. Saúdo todas as nossas equipas for esta conquista fantástica,” afirmou Fabrice Brégier, presidente da Airbus Commercial Aircraft e COO da Airbus. “A nossa performance operacional combinada com um mercado robusto e ansioso para fazer encomendas e receber aviões novos, é um excelente trampolim para os próximos passos: impulsionar as entregas, aproveitando as vantagens da tecnologia e estendendo o nosso portefólio de serviços globalmente”, disse ainda.

Marcos assinaláveis em 2016 incluem a entrega do 10.000º avião Airbus – um A350 XWB – e o primeiro voo do maior avião do programa: o A350-1000. A Airbus começou também este ano a entrega das duas variantes de motores do A320neo. 2016 foi também o ano em que o A321neo com motores Pratt & Whitney recebeu a certificação e a primeira unidade produzida nos EUA (Mobile, Alabama) foi entregue.

Outros momentos de destaque em 2016 incluem a entrada ao serviço do primeiro A330 regional e o início da construção do centro de Completion and Delivery do A330 na China, para além de o A330neo ter começado o processo de montagem final. No ano que passou houve ainda tempo para o lançamento da cabina Airspace by Airbus, que elevou os standards da experiência em voo nos programas A330neo e A350 XWB. A Airbus lançou também no decorrer do ano o website Ifly A380, permitindo aos passageiros apoiar a diferenciação e reservar voos nos seu aviões A380 de eleição.

0

Numa primeira análise ao Orçamento de Estado para 2017, a Confederação do Turismo Português (CTP) considera “insuficientes as medidas estruturais que visam o corte de despesa do Estado, condição essencial para o crescimento económico e para uma verdadeira reforma de estado”.

A CTP destaca pela positiva as medidas que se destinam a apoiar o crescimento e a capacitação financeira das empresas, nomeadamente, a disponibilização de verbas destinadas ao investimento e créditos financeiros, a seguros de crédito, caução, e os benefícios fiscais para reforços e aumento de capital próprio.

Por outro lado, considera de “saudar a decisão de não aplicar o Adicional ao Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) aos imóveis que estejam afetos à atividade turística”.

Como nota negativa, a CTP lamenta o aumento dos impostos indiretos, que “irá refletir-se na procura, levando a uma retração no consumo e ao agravamento dos custos de contexto”.

0

Os novos A330 da TAP, que diariamente atravessam o Atlântico nas novas rotas da companhia aérea para os EUA, têm inscritos os nomes de João Vaz Côrte-Real e John dos Passos, duas personalidades de origem portuguesa ligadas ao continente americano e aos arquipélagos dos Açores e da Madeira.

Neto de madeirenses, John Dos Passos foi um dos escritores norte-americanos mais apreciados da primeira metade do século passado, sendo também reconhecido como um pintor notável. Nasceu em 1896, em Chicago, mas a sua origem é portuguesa, tendo o seu avô partido da Ponta do Sol, na ilha da Madeira, com apenas 18 anos. Após terminar a sua licenciatura em Harvard, o escritor publica a sua primeira obra em 1919, “One Man’s Initiation”. Contudo, é com “Manhattan Transfer”, publicado em 1925, romance que retrata em episódios a vida na cidade de Nova Iorque, que obtém o reconhecimento generalizado da crítica especializada.  Publicou ainda a trilogia “U.S.A.”, que inclui a obra “The 42nd Parallel”, uma das que mais expressão teve junto dos leitores norte-americanos.

Já perto do final da sua vida, John Dos Passos dedicou ainda uma obra à ‘História de Portugal: Três Séculos de Explorações e Descobertas’, publicada em 1969, em que se encontra reflectido o fascínio do autor pelas suas origens portuguesas, retratando na mesma o apogeu e queda do País enquanto potência mundial, a partir das suas próprias experiências de viagem e investigação histórica.
Muitas vezes associado a Ernest Hemingway, de quem foi amigo, Jean-Paul Sartre chega mesmo a designá-lo como “o maior escritor do nosso tempo”. Na Ponta do Sol, na Madeira, o Centro Cultural John dos Passos assinala a ligação do escritor à terra de origem dos seus antepassados.

Nascido no Algarve, cerca de 1430, João Vaz Côrte-Real distingue-se como um dos principais navegadores portugueses do século XV. João Côrte-Real terá sido um dos primeiros europeus a atingir o continente americano, entre 1470 e 1473. A sua primeira expedição terá sido realizada cerca de 1470, tendo talvez chegado à Terra Nova. Mais tarde, terá efetuado outras viagens que lhe permitiram explorar as margens do rio Hudson, na atual Nova Iorque, e as do rio São Lourenço, até ao Canadá, chegando à Península de Labrador. A Coroa Portuguesa atribuiu-lhe o título de Capitão-Donatário de Angra do Heroísmo, onde viveu grande parte da sua vida e onde viria, também, a falecer em 1496.

No âmbito do seu programa de expansão para o mercado norte-americano, a TAP homenageia, desta forma, duas singulares individualidades, inscrevendo os seus nomes nos novos aviões A330 a operar especialmente para Nova Iorque – JFK e Boston. Com interiores de cabine completamente renovados, estas aeronaves oferecem mais conforto em classe executiva, com cadeiras full flat, mas também em classe económica, com cadeiras slimline, dispondo de maior distância entre si e sistemas de entretenimento on demand.

Os novos A330 cruzam, assim, o Atlântico, dando continuidade a uma rota ancestral percorrida por portugueses há mais de 500 anos.

0

A Airbus superou os objectivos para 2015, alcançando um novo recorde com a entrega de 635 aviões a 85 clientes, dos quais 10 são novos. Estas entregas incluem 491 aviões da família A320, 103 A330, 27 A380 e 14 A350 XWB. Estes resultados significam que as entregas de aviões Airbus em 2015 aumentaram pelo 13º ano consecutivo, superando o anterior recorde de 629 aviões em 2014.

A Airbus registou ainda 1036 encomendas de 53 clientes (8 dos quais novos clientes), incluindo 897 aviões de corredor único e 139 widebodies. No final de 2015, as encomendas ascenderam a um novo recorde na indústria de 6.787 aviõe, s avaliados em 996.300 mil milhões de dólares a preço de catálogo.

Segundo Fabrice Brégier, presidente e CEO da Airbus, “estes resultados comerciais e industriais são uma demonstração inequívoca de que a procura a nível global dos nossos aviões se manteve sólida”. Acrescenta ainda que “em 2015, a Airbus definiu bases sólidas para o futuro, aumentado a capacidade e variedade de aviões que podemos oferecer aos nossos clientes”.

Em geral, 2015 foi um ano de grandes concretizações para a Airbus. Por exemplo, apenas 5 anos após o seu lançamento, o A320neo foi certificado pelas autoridades aeronáuticas de ambos os lados do Atlântico. Além disso, foi feita a entrega de 14 aviões A350, mantendo a promessa feita às companhias aéreas, que beneficiam já do avião de passageiros mais eficiente e avançado do mundo. Foram ainda feitos progressos significativos na nova versão do A350, o modelo A350-1000, cujas componentes e estruturas principais começam a ganhar forma nos vários centros de produção. Também foi iniciado o fabrico de elementos para o primeiro A330neo, com a produção dos primeiros componentes do motor da asa central. Existiram também boas notícias relativamente ao icónico A380, que 10 anos depois do 1º voo alcança um equilíbrio de rentabilidade.

Outro momento marcante de 2015 foi a abertura oficial da primeira fábrica Airbus nos Estados Unidos da América (Mobile, Alabama). Até 2018, esta unidade irá produzir 40 a 50 aparelhos da família A320 por ano. Do outro lado do Globo, na China, as encomendas suplementares de A330 vieram reforçar o projeto do novo centro de montagem e de entrega de A330 em Tianjin, e ajudar a tornar mais fluída a transição para o A330neo. Para além disto, a Airbus lançou em 2015 desenvolvimentos em três modelos: a versão long range (longo-alcance) do A321neo que estará preparada para voos transatlânticos; a versão regional do A330, otimizada para poder transportar até 400 passageiros em voos até 3000 milhas; a versão Ultra-Long-Range do A350-900, capaz de voar até 19 horas seguidas.