Quinta-feira, Dezembro 13, 2018
Tags Post com a tag "TAP"

TAP

0

A TAP Air Portugal quer duplicar a sua operação na América do Norte nos próximos anos e volta a expandir a sua rede de destinos nos Estados Unidos, com o anúncio do lançamento de duas novas rotas, para Washington e Chicago, com início em junho de 2019.

Com este anúncio, a TAP, uma das 10 companhias aéreas do mundo com maior crescimento em 2018, mantém a tendência de forte aumento da sua atividade e de superação continuada dos recordes nos seus indicadores operacionais.

A partir de 1 de junho, a TAP oferece cinco frequências semanais entre Lisboa e Chicago O’Hare. Os voos partem de Lisboa às 13:05 e chegam a Chicago às 16:05 do dia seguinte. No sentido inverso, as partidas do aeroporto O’Hare verificam-se às 18:05 e a chegada ao aeroporto Humberto Delgado é às  7:50 do dia seguinte.

A ligação com voos diretos entre Lisboa e Washington – Dulles começa no dia 16 de junho, com cinco frequências semanais entre as capitais portuguesa e dos Estados Unidos da América. Nesta rota, os voos saem de Lisboa às 16:30 e aterram em Dulles às 19:40 do dia seguinte. No regresso, a partida de Washington é às 22:40 e os voos chegam a Lisboa às 10:50 do dia seguinte.

A TAP é a primeira Companhia do mundo a voar o novo Airbus A330-900neo, um avião moderno e sofisticado, e vai receber 19 unidades da nova coqueluche da Airbus até final de 2019. Este crescimento significativo da frota permite que a TAP lance novos destinos e aumente a sua rede e oferta.

O Airbus A330neo está equipado com a nova cabina Airspace by Airbus, com a classe económica a oferecer duas categorias, Economy e EconomyXtra. A configuração e design dos interiores de cabina oferece aos passageiros um ambiente inovador, mais confortável, com maior reclinação dos assentos e novos revestimentos.

A nova classe Executive da TAP nos Airbus A330neo tem uma configuração que inclui 34 novas poltronas full-flat, com mais de 1,80m quando totalmente reclinadas.

A TAP equipou as novas poltronas de Executive com ligações USB e tomadas elétricas individuais, ligação para headphones, luzes individuais de leitura e mais espaço, incluindo pequenos armários de arrumação.

“Servimos 10 das principais cidades brasileiras com voos diretos desde Portugal e acreditamos que é possível atingir o mesmo número, ou até superá-lo, nos Estados Unidos. Temos planos para voar para várias outras cidades norte-americanas. Os EUA são já o nosso terceiro maior mercado e ainda tem muito potencial de crescimento. A nossa rede de destinos na Europa e África também continua a crescer. Oferecemos neste momento 55 destinos na Europa e 17 em África e a maioria dos nossos passageiros voa com a TAP para destinos para além de Portugal”, afirma Antonoaldo Neves, CEO da TAP.

A TAP lançou o programa Portugal Stopover em 2016 para atrair os passageiros com voos de ligação em Portugal para outros destinos, permitindo que estes usufruam de até cinco noites em Lisboa ou Porto antes de viajarem para o destino final e sem custos tarifários adicionais.

O Portugal Stopover compreende uma rede de mais de 150 parceiros que oferece vantagens exclusivas aos clientes Stopover, como descontos em hotéis ou compras, ou a oferta de garrafas de vinho nos restaurantes parceiros.

 

0

A TAP Air Portugal recebeu hoje o primeiro Airbus A330-900neo do mundo, tornando-se a primeira companhia aérea a beneficiar das suas  características económicas imbatíveis, de maior alcance, e da nova versão da cabina Airspace, que representa um novo conceito ajustado à ambição da Companhia de oferecer o melhor produto da indústria aos seus Clientes. Até ao final de 2019, a TAP receberá mais 19 aviões Airbus A330-900neo.

O primeiro Airbus A330-900neo tem 298 assentos dispostos numa confortável configuração de cabina com três classes: 34 assentos em executiva, 96 em classe económica plus e 168 em classe económica. A nova cabina Airspace by Airbus, entre outras novidades, oferece mais espaço a cada Cliente, compartimentos de bagagem maiores, um inovador sistema de iluminação de cabina, um sistema de entretenimento a bordo e conectividade de última geração, com wi-fi disponível. O novo avião veio para reforçar e expandir a operação do longo curso da TAP.

A cerimónia de entrega teve lugar esta tarde, em Toulouse, sede da Airbus.

“Estou muito satisfeito com a chegada do primeiro Airbus A330-900neo à nossa frota que está em franca expansão. A sua economia e eficiência imbatíveis vão impulsionar o nosso negócio. Os novos Airbus A330-900neo consomem cerca de 20% a menos de combustível do que a nossa atual frota. No final do próximo ano,  37% da nossa frota do médio curso será constituída por estes aviões de nova geração e, na frota do longo curso, mais de 70% das block hours serão voadas por estes novos aviões”, referiu Antonoaldo Neves, presidente executivo da TAP. “O A330-900neo traz um aumento em termos de  flexibilidade operacional devido às suas características comuns com as restantes aeronaves Airbus da frota da TAP. Esta aeronave será a primeira equipada com a nova cabina Airspace, um novo conceito que faz jus à nossa ambição de oferecer o melhor produto da indústria aos nossos Clientes”.

“Entregar o primeiro A330-900neo a um cliente de longa data como a TAP Air Portugal, é um marco muito importante para a Airbus”, afirmou Guillaume Faury, presidente da Airbus Commercial Aircraft. “Através de inovações contínuas, o A330-900neo, a nossa mais recente aeronave wide body, oferecerá o máximo de valor e eficiência aos nossos Clientes e um conforto superior aos seus passageiros. Esta ocasião é mais um passo em frente para alcançar o nosso objetivo de uma indústria de aviação sustentável”, acrescentou.

O novo Airbus A330-900neo é uma aeronave de última geração desenvolvida com base no sucesso do Airbus A330 e impulsionada pela tecnologia A350XWB. O novo avião incorpora a última geração de motores Rolls-Royce Trent 7000, altamente eficientes e uma nova asa de maior envergadura com otimização 3D e com novos sharklets para proporcionar o melhor desempenho aerodinâmico. Em conjunto, estes avanços trazem uma redução significativa no consumo de combustível na ordem dos 10-12% em comparação com aeronaves concorrentes de tamanho similar que pertencem à geração anterior. Também as novas nacelles de compósito de última geração (suportes dos motores, fixados na asa), pilar estrutural de titânio e uma tecnologia de entrada de ar com painéis acústicos sem juntas, proporcionam melhorias ao nível da aerodinâmica e do ruído.

A relação entre a Airbus e Portugal é já longa, datando do ano de 1987, altura em que a TAP  encomendou três aeronaves Airbus do modelo A310. Atualmente, a TAP opera uma frota de 72 aviões de fabrico exclusivo Airbus – 18 A330, quatro A340 e 50 da família A320. Só este ano, a TAP já recebeu seis aviões novos das Airbus: um A319ceo, um A320ceo, um A320-251neo, dois A321-251neo – o último dos quais na passada semana – e recebe agora o primeiro Airbus A330neo, para a sua frota de longo curso.

0

A APAVT – Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo  distinguiu, esta quinta-feira, em Ponta Delgada, na inauguração do seu 44° Congresso Nacional, Ana Paula Carvalho, que exerceu o cargo diretora de vendas da TAP Portugal até ao ano passado, antes de passar à reforma. A antiga responsável das vendas da Transportadora Aérea Nacional foi distinguida com o título de Associada Honorária da APAVT.

O segundo nomeado foi Michel de Blust, secretário-geral da ECTAA – Confederação Europeia das Associações de Agências de Viagens e Operadores Turísticos, que recebeu a Medalha de Ouro de Mérito Turístico da APAVT.

 

* por Sílvia Guimarães, em Ponta Delgada a  convite da APAVT

 

0

O presidente da APAVT apontou o dedo à TAP, na sessão de inauguração do 44° Congresso da associação, que decorre em Ponta Delgada até dia 25, pela degradação do serviço da Transportadora Aérea Portuguesa, que têm obrigado os agentes de viagens a “gerir a insatisfação crescente” dos clientes. “Temos hoje menos pontualidade, experiência menos feliz no embarque, menor qualidade de serviço a bordo”, frisou.
Pedro Costa Ferreira enalteceu o facto das relações com a TAP não estarem em melhor maré, frisando que há cada vez “menos diálogo” entre a APAVT e a companhia aérea de bandeira.
O dirigente afirmou que “foi através de longos anos de diálogo, num clima de compreensão e respeito mútuo, e através de muito trabalho e criatividade, que juntos, APAVT e TAP, modernizámos o setor” e reafirma “esta vontade de dialogar, naturalmente”, garantindo que todos têm a ganhar com isso.

 

* por Sílvia Guimarães, em Ponta Delgada a  convite da APAVT

 

0

A TAP Air Portugal assinou um Memorando de Entendimento com a L3 Commercial Aviation, uma empresa que presta serviços de formação de pilotos. Este acordo tem como objetivo promover a cooperação entre as duas empresas, proporcionando oportunidades de emprego aos formandos da L3, possibilitando também a qualificação de Type Rating do Airbus A320 pela L3 aos novos pilotos contratados pela TAP.

Para Antonoaldo Neves, presidente executivo da TAP, “com uma companhia aérea em rápido crescimento, a garantia de um pipeline de novos pilotos bem treinados e de alta qualidade não poderia ser mais importante. Esta parceria ajudará a garantir o fornecimento dos melhores pilotos, ajudando a manter os nossos altos padrões de exigência”.

“Estamos muito satisfeitos por trabalhar mais de perto com a TAP Air Portugal”, afirmou Mário Spínola, Director da L3 Airline Academy, na Europa. “O acordo permite-nos oferecer mais oportunidades de emprego para os nossos formandos nesta companhia aérea líder, apoiando ao mesmo tempo o crescimento da TAP e oferecendo treino inicial de classe mundial para os seus novos pilotos.”

O Memorando de Entendimento estabelece a intenção da oferta, pela TAP, de uma potencial carreira futura aos formandos atuais da L3, bem como o recrutamento de pilotos que constem da bolsa de pós-graduados da L3.

Ainda como parte do acordo assinado, a TAP selecionará a L3 como fornecedor para o treino de qualificação de tipo Airbus A320 para os seus novos pilotos. A formação para Type Rating em Airbus A320 começou já este mês e decorrerá nos centros de treino da L3 em Southampton e Gatwick, no Reino Unido.

0

Tripulantes de Cabina da TAP apresentaram, esta sexta-feira, no Mercado de Campo de Ourique, em Lisboa, as novidades que a companhia vai oferecer aos seus passageiros, já a partir de 28 de Outubro. São novas refeições de bordo, a pensar nos passageiros que viajam em classe económica, nos voos do médio curso da TAP.

A companhia continua a transportar a imagem de Portugal nos seus aviões e, agora, ainda mais sabores da nossa terra. São mais de 30 combinações diferentes de refeições que resultam em ementas completas, variadas, frescas e mais portuguesas, reforçando a missão de promover o País no mundo. Por mês, nos voos do médio curso, estarão a bordo mais de 315 mil delícias da pastelaria típica de Portugal, mais de 195 mil maçãs de origem nacional e cerca de meio milhão de queijos portugueses.

Estas novas refeições, concebidas após um inquérito aos clientes e tripulantes de cabina, passaram ainda pelo crivo dos colaboradores da companhia, com o objetivo de melhorar a experiência de voo dos passageiros, com produtos frescos e saudáveis.

Mantendo a sua aposta na promoção de Portugal e do que melhor se produz no nosso País, a TAP faz questão de ter a bordo refeições produzidas em Portugal. A portugalidade da Companhia é desde sempre uma realidade, mas a TAP tem vindo a enaltecer essa qualidade, de múltiplas formas, como por exemplo, através da carta de vinhos da Companhia, exclusivamente nacional.

Agora, também na classe económica dos voos do médio curso, a TAP quis elevar a experiência proporcionada aos seus passageiros. Trabalhámos com especialistas em nutrição e estruturamos novos menus de classe económica adaptados à hora e duração do voo, com refeições mais completas e saborosas.

Nos voos mais curtos, como por exemplo os da Ponte Aérea ou Madrid, ao pequeno almoço serão oferecidos croissants, pasteis de feijão e de grão, queijadas de cenoura, e os emblemáticos pastéis de nata. Já nos voos da tarde serão servidos queijos portugueses e, no verão, gelados.

Em voos de média duração, como por exemplo Madeira, Açores, Norte de África ou Espanha, os passageiros vão poder provar ao pequeno almoço combinações de fruta e vegetais, frutos secos, bolachas de cereais, queijos portugueses, grissinos com diferentes pastas, ou sandes e pastelaria portuguesa. E, à tarde, wraps variados acompanhados de queijos.

Nos voos de maior duração, por toda a Europa, como Londres, Milão, Viena ou Amsterdão, o pequeno almoço vai contar com uma variedades de sandes, de pão de malte ou multicereais, com queijos variados,  fiambre de aves, entre outros, acompanhadas de uma deliciosa pastelaria tradicional. À tarde, serão servidos seis diferentes tipos de wraps, de frango ou atum, feitos com massa de tomate ou de espinafres, com recheio de cogumelos, ovo, beringela ou queijo.

Além de deliciosas, as novas refeições permitem também uma maior eficiência da utilização do espaço a bordo, contribuindo para a redução do consumo de combustível e das emissões de CO2. A preocupação com o ambiente revela-se também pela utilização de materiais recicláveis e mais ecológicos. Mais de 20 milhões de misturadores de bebida que eram de plástico são agora de madeira. Os copos utilizados a bordo, mais de 40 milhões por ano, passarão a ser de material reciclado.

 

0

A TAP continua a crescer fortemente em todos os indicadores de tráfego, atingindo em setembro um total de 1,48 milhões de passageiros transportados. No acumulado dos primeiros nove meses de 2018, a Companhia já ultrapassou a marca dos 12 milhões de passageiros, continuando a bater recordes sucessivos na sua atividade principal. Uma marca que já superou os 11,7 milhões de passageiros transportados pela Companhia em todo o ano de 2016.

Com este registo, a TAP transportou até ao final de setembro quase um milhão e meio de passageiros a mais do que no período homólogo de 2017.

A taxa de ocupação dos lugares oferecidos foi de 82,3 por cento em Setembro, em linha com a média de 82,4 por cento registada de janeiro a setembro do ano corrente.

As rotas entre Lisboa e Porto, Madeira e Paris são as três em que a TAP mais passageiros transportou em setembro, num total de mais de 191 mil passageiros.

Também na Carga, a TAP teve em setembro um mês de crescimento. A companhia transportou 6 813 toneladas de carga e correio, o que representa um aumento de 8,5 por cento face ao período homólogo de 2017.

0

Os resultados financeiros do primeiro semestre mostram que a TAP continua em crescimento, tendo aumentado em 18% as suas vendas globais. Destacam-se os mercados português, brasileiro e norte-americano que, no conjunto, cresceram aproximadamente 15% e representaram 56% do total das vendas da TAP. Outros mercados que também apresentaram evoluções muito positivas face ao período homólogo do ano anterior foram a Áustria (44%), a Alemanha (42%), o Reino Unido (28%) e Espanha (19%).

A reestruturação da TAP ME Brasil teve um avanço significativo, com redução total de aproximadamente 1000 colaboradores, praticamente metade do quadro de funcionários da subsidiária no início deste processo. Ao ajustar a capacidade da operação à procura atingiu-se uma elevada utilização que, juntamente com uma nova política comercial e diversas iniciativas de corte de custos, permitiram à subsidiária registar um lucro operacional, excluindo custos com reestruturação, de aproximadamente 1 milhão de euros.

Durante o primeiro semestre, a TAP fechou acordos salariais com a maioria das classes profissionais da Companhia, que também se traduziram em aumentos salariais importantes, garantindo a paz social para os próximos cinco anos.

Ao longo dos primeiros seis meses do ano, a TAP efetuou também diversos investimentos para melhorar a pontualidade da operação, nomeadamente a contratação de mais tripulantes, a disponibilidade de aviões de reserva, a contratação de um estudo de melhoria da capacidade aeroportuária em Lisboa e o desenvolvimento de novos processos internos.

O primeiro semestre da Companhia foi desafiador em função do forte aumento do preço dos combustíveis (+36%), pela volatilidade nas moedas dos principais mercados da TAP e por irregularidades operacionais. Gastos não-recorrentes totalizaram 40 milhões de euros e tal impacto negativo contribuiu para um resultado operacional de -47 milhões de euros (face a um resultado operacional de -43 milhões de euros em igual período do ano anterior) e um prejuízo líquido de 90 milhões de euros no semestre (face a prejuízo líquido de 54 milhões de euros no primeiro semestre de 2017). Excluindo o efeito de itens não-recorrentes, o resultado operacional teria sido -7 milhões de euros (face a um resultado operacional recorrente de -59 milhões de euros no primeiro semestre do ano anterior) e o prejuízo líquido teria sido 58 milhões de euros (face a prejuízo líquido de 67 milhões de euros em igual período de 2017).

O segundo semestre terá, como é habitual, uma contribuição fundamental para o resultado anual da TAP. Além de tradicionalmente mais forte, este semestre beneficiará ainda dos planos da Companhia para minorar irregularidades, designadamente, a contratação e formação de mais pilotos e tripulantes de cabina, bem como alterações à estrutura de planeamento de escalas e medidas para incrementar a pontualidade. Por outro lado, o segundo semestre de 2018 vai ser também um período de expansão, uma vez que a Companhia irá receber novos aviões, nomeadamente o novo A330neo, do qual a TAP será a primeira operadora mundial e que permitirá à Companhia lançar mais novas rotas em breve.

0

O A330-990 recebeu a sua Certificação de Tipo da Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA). O avião conta com motores Rolls-Royce Trent 7000 e a TAP Air Portugal será a companhia de lançamento a nível mundial. A certificação de tipo foi assinada pelo diretor de Certificações da EASA, Trevor Woods, e entregue pelo diretor de Certificação de Aviões Grandes, Ludovic Aron, ao diretor de Engenharia para Aviões Comerciais, Jean-Brice Dumont. A expectativa é de que a certificação da Administração Federal de Aviação (FAA) seja recebida dentro de pouco tempo.

“O A330neo incorpora o espírito de inovação da Airbus. Este avião de última geração tem uma eficiência sem igual e flexibilidade de rotas entre pequeno e longo curso, apresentando imenso potencial de mercado,” disse Guillaume Faury, presidente da área de Aviões Comerciais da Airbus. “Estamos desejosos de entregar nas próximas semanas o primeiro avião equipado com a cabine Airspace ao nosso cliente de lançamento, a TAP Air Portugal.”

Conforme acordado com a TAP Air Portugal, o primeiro avião construído esteve em exibição pelo mundo fora, visitando mais de 12 países. Em conjunto com os dois aviões de teste A330-900, a campanha de voos de teste foi completada com sucesso após cerca de 1.400 horas de voos, tendo o primeiro voo ocorrido no dia 19 de Outubro de 2017.

0

A TAP não está preocupada com a nova operação iniciada este mês de setembro pela LATAM, com cinco voos semanais, entre São Paulo e Lisboa. Mário de Carvalho, responsável pela Transportadora Aérea Portuguesa no Brasil, afirmou aos jornalistas portugueses, à margem da ABAV Expo 2018, que “na realidade a TAP concorre com todas as transportadoras europeias para a Europa”, dando como exemplo que, no passado, já existiram voos diretos da Varig que também concorriam com os da TAP e “não se tratou de uma questão de concorrência mas sim de custos”.

O responsável relembrou que “Portugal é um mercado muito restrito, muito pequeno e uma linha aérea sustenta-se com alimentação em ambos os pontos e a TAP tem a vantagem de concentrar em Portugal todos os europeus que venham para o Brasil”, devido à sua favorável posição geográfica. Esse trabalho para as restantes transportadoras aéreas, incluido as brasileiras, é visto por Mário de Carvalho como “mais difícil”.

Segundo o profissional, a grande maioria das rotas da TAP para o Brasil tem uma “ocupação maioritariamente de cidadãos brasileiros”, com um load factor “em torno dos 87%” e com a classe executiva “quase sempre nos 100%”, e afirma que para a temporada de inverno, que está prestes a começar, irão ter um total de 82 voos nestas rotas, ou seja, “mais ou menos o mesmo do que já existe atualmente”, embora com “18% a mais que no ano passado”.

Em relação à receita, o dirigente adiantou que “está com um pequeno crescimento em dólares em relação ao ano passado, já em reais, com a desvalorização cambial, está muito maior”.

Tendo em conta o programa de Stopover da companhia aérea, Mário de Carvalho diz que, até agora, “mais de 60% dos passageiros, dos cerca de 140 mil que utilizaram o programa desde o seu início, têm proveniência no Brasil”.

 

*A VIAJAR na ABAV Expo 2018 a convite da TAP e da organização do certame