ANCAT convida candidatos à CML para reunião-passeio de sensibilização

A ANCAT (Associação Nacional de Condutores de Animação Turística e Animadores Turísticos) tem vindo a convidar os candidatos à Câmara Municipal de Lisboa para uma reunião em formato de passeio turístico pelas ruas do centro histórico da capital. Já alguns dos partidos confirmaram esta viagem com o propósito de identificar no terreno os principais problemas e indicar soluções para animação turística. O PS declinou o convite.

Perante a inércia da CML em assumir o compromisso de restituir ou recolocar os 56% dos lugares de estacionamento extintos, a associação que representa os condutores de animação turística está a avançar no terreno con diversas ações para que esses mesmos lugares possam ser restituídos. 

“Pretende-se que os candidatos tenham conhecimento de como se trabalha no terreno na dinamização turística da capital e conheçam os principais problemas dos nossos profissionais. Esperamos que, com um bom entendimento entre partes, tal resulte numa cidade mais viva e com melhor qualidade para todos: os que nela trabalham, os que nela habitam e os que a visitam”, pode ler-se em comunicado da ANCAT.

Desde a sua fundação, em 2017, a ANCAT (Associação Nacional de Condutores de Animação Turística e Animadores Turísticos) tem tentado encontrar soluções alternativas para a questão do turismo junto do Departamento e Mobilidade da Câmara Municipal de Lisboa e do respetivo vereador, Miguel Gaspar.

Informe-se que, em 2015, a Câmara Municipal de Lisboa emitiu o Despacho nº123/2015 direcionado à Animação Turística, que vedava o acesso das viaturas turísticas ligeiras às zonas residenciais, mas, em troca, atribuiu 116 lugares para o exercício desta atividade.  Não obstante o número de viaturas ter quadruplicado, em 2018, 40% dos lugares de estacionamento existentes haviam sido extintos, permanecendo, nessa altura, apenas 70 em funcionamento.

Agora, com os constrangimentos provocados pela pandemia e ainda a reestruturação rodoviária em Lisboa, restam apenas 51 dos 116 lugares originais. “O executivo camarário recusou-se terminantemente em se comprometer repor sequer os lugares extintos com a pandemia, apesar do alivio das restrições”, refere o mesmo comunicado

Após reunião da ANCAT com Departamento de Mobilidade, no mês passado, “não foi possível obter qualquer garantia ou indicação de que esta situação seria resolvida nem de considerar propostas para novos de lugares de estacionamento de modo compensar os extintos”, conclui o documento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here