APECATE e ISCTE são parceiros de ferramenta que visa relançar os modelos europeus de turismo inteligente e sustentável

Lançado este mês, o RESETTING – financiado por fundos europeus através do Programa COSME – tem por objetivo ser uma ferramenta para “relançar os modelos europeus de turismo inteligente e sustentável através da digitalização e tecnologias inovadoras”. O RESETTING quer ajudar a promover a competitividade das Pequenas e Médias Empresas (PME) europeias e visa facilitar a transição das empresas de turismo europeias para modelos operacionais mais resilientes, circulares e sustentáveis, através do teste e integração de soluções inovadoras de base digital que reduzem encargos desnecessários, melhoram a qualidade da experiência turística, contribuem para a descarbonização do setor do turismo e para um crescimento económico mais inclusivo (não apenas para as pequenas e médias empresas, mas também para os residentes dos destinos).

Este projeto vai ajudar a competitividade de 60 PME de cinco países europeus – Portugal, Espanha, Itália, Albânia e Grécia – onde estão localizados os oito parceiros do consórcio RESETTING, que vão receber, globalmente, um milhão de euros de financiamento atribuído pela Agência Executiva para as Pequenas e Médias Empresas (EASME) da Comissão Europeia.

A iniciativa facilita a cooperação transnacional e aposta na co-criação e na inovação e vai permitir superar as diferenças e unir os empreendedores em torno de objetivos comuns: como tornar o turismo mais sustentável e inteligente – o que se alinha com a dupla transição digital e ecológica a que assistimos atualmente. Ao co-criar, implementar soluções piloto e otimizar soluções tecnológicas sofisticadas e inovadoras, o projeto vai ajudar a superar o desafio das PME que muitas vezes carecem de recursos e capacidade para acompanhar o desenvolvimento tecnológico e, consequentemente, introduzir soluções inovadoras.

O RESETTING vai permitir às PME implementar novos modelos de negócio, através do reforço e melhoria das suas capacidades e competências na utilização das novas tecnologias, que previsivelmente irão disseminar-se por toda a Europa. Ao envolver PME de diferentes países europeus na criação e teste deste conjunto de novas soluções, o projeto vai promover soluções inovadoras que podem ser aplicadas em diferentes contextos turísticos.

A participação de associações empresariais e do setor público, bem como universidades, conduz também à facilitação do diálogo e da colaboração entre os diferentes atores público-privados. Assim, dada a natureza do consórcio e a participação de instituições académicas e de investigação, o projeto vai promover a colaboração entre instituições de conhecimento e empresas, de forma a estimular a inovação empresarial na área do turismo na Europa. O  projeto é coordenado por Ignacio de las Cuevas da Eurecat – Centro Tecnológico da Catalunha e tem como parceiros portugueses o ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa e a APECATE – Associação Portuguesa de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here