Grupo Barceló Viajes inaugura duas agências B the travel brand em Portugal...

Grupo Barceló Viajes inaugura duas agências B the travel brand em Portugal (galeria de fotos)

0

Foi inaugurada esta quinta-feira a primeira loja da B the travel brand em Portugal. O momento contou com a presença da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, de Constantino Pinto, diretor da rede de agências para Portugal, Juan Miguel Morales, diretor comercial da B the travel brand, e Diamantino Pereira, diretor-geral da Barceló Viajes em Portugal, grupo a que pertence esta rede de agências.

Aberta ao público desde o princípio de junho de 2016, a loja fica situada no número 6 da Rua Joshua Benoliel, perto das Amoreiras, e resulta de um investimento de “180 mil euros”.

A juntar-se a esta, está já uma outra loja B the travel brand na Rua Sá da Bandeira, no Porto, que será inaugurada esta sexta-feira e que apenas abriu ao público a 23 de janeiro de 2017, tendo o investimento sido de “quase 300 mil euros”.

As duas lojas portuguesas assinalam o ponto de saída para a internacionalização da rede de agências de viagens espanhola.

Conceito diferenciador

Constantino Pinto, em entrevista à Viajar, à margem da inauguração da loja de Lisboa, explicou um pouco como surgiu esta rede e qual o seu conceito. “A B the travel brand é o corolário da Barceló Viajes na área do retalho, que tem vindo a perfeiçoar-se e a crescer desde há muitos anos. Com o investimento avultado na área da tour operação nos últimos anos, assim como na área da aviação, com a Evelop e a Orbest, o grupo conheceu um crescimento bastante acentuado, mas no retalho mantinha a rede tradicional de agências Barceló Viajes. No entanto, começámos a achar fundamental estudar melhor o caso e voltar a trazer para a ribalta e fazer os agentes de viagens de protagonistas. Andamos a queixar-nos do online há já muito tempo, este é um segmento que nos tem vindo a roubar mercado, mas não temos que deixar necessariamente que assim seja. O estudo que se fez permitiu-nos concluir, de forma muito rápida, que a expetativa do cliente em relação à agência de viagens era claramente agoirada. As pessoas não gostavam de ir à agência de viagens porque achavam enfadonho. Então o que fizemos? Mudámos esse conceito. Alterámos o nome Barceló para desvincularmo-nos um pouco do nome de família e criámos a B the travel brand”, esclareceu.

Abordagem 360º

Lançada em Espanha “há quase dois anos” com a B the travel brand foi criado o conceito de loja premium. “Quando decidimos entrar em Portugal, notámos que este era um fator naturalmente diferenciador. Não tencionamos abrir mais uma rede em Portugal com imensas lojas, apenas quisemos dar algo diferente a quem gosta de viajar, baseada em lojas premium, onde estão criadas as condições para que o cliente regresse à agência de viagens, permitindo que se sinta bem, se sinta apoiado, se sinta atendido e que perceba que encontra aqui profissionais que estão disponíveis para o atender de forma exclusiva. Fazemos uma abordagem 360º e estamos exclusivamente virados para o cliente, para que este possa realizar todas as suas expetativas”, avançou, quer seja ou não com produto próprio ou ainda com viagens à medida.

A escolha dos locais onde as lojas estão fixadas centrou-se na centralidade e melhor visibilidade. Em Lisboa, Constantino Pinto referiu que “o objetivo passava por encontrar um bom espaço num local muito visível. Após uma grande pesquisa e com a necessidade de equilibrar o orçamento, optámos por esta zona por ser uma das portas de entrada na cidade, para quem vai para o rato, para o centro da cidade, para as Amoreiras, para Campo de Ourique, entre outros. Com os nossos letreiros luminosos outdoor a loja está muito exposta e esta é a nossa mais-valia”. Já no Porto a intenção era que a B the travel brand ficasse localizada no centro histórico da cidade. “Foi aí que procurámos um espaço desde o início, dado que o Centro do Porto está muito revitalizado. A aposta já está ganha porque temos pessoas a entrarem constantemente”, mencionou.

Franchising é o próximo passo

Apesar de não pretenderem alargar muito a rede em Portugal, o profissional disse ainda que pretendem lançar-se no modelo de franchising. “Pretendemos estar presentes nas principais cidades portuguesas, mas vamos ser muito rigorosos na seleção, porque queremos franchisar o estilo mas sobretudo o conceito”, concluiu.

Ana Mendes Godinho justificou a sua presença na inauguração da loja de Lisboa por esta “marcar a confiança que um grupo espanhol deposita em Portugal”. Para a governante era fundamental “repensar o modelo de negócios das agências de viagens”, sobretudo perante “uma ameaça que parecia que era mortal” com o evoluir do negócio na internet.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

SEM COMENTÁRIO

Leave a Reply