Grupo Lufthansa otimiza a gestão das placas giratórias das companhias aéreas de...

Grupo Lufthansa otimiza a gestão das placas giratórias das companhias aéreas de rede e prepara-se para crescimento no verão de 2019

0
Foto: Peter Pfander/Lufthansa

O Grupo Lufthansa continua a otimizar a gestão das suas placas giratórias em Munique, Frankfurt, Zurique e Viena. O objetivo principal é o sistema flexível multi-placas giratórias: processos integrados recentemente significam que o Grupo Lufthansa está preparado para transferir as suas frotas e o tráfego sempre que as condições foram as ideais para qualidade, crescimento e eficácia de custos.

Especificamente, o Conselho Executivo da Lufthansa decidiu acelerar o seu crescimento em Munique e desenvolver a capital bávara numa placa giratória com o foco na Ásia. O Grupo Lufthansa antecipa um alto crescimento anual para as companhias aéreas de rede nesta placa giratória para 2019. Além de aumento das frequências nos voos oferecidos a partir de Munique para Seul e Singapura, irá ter lugar no verão de 2019 a primeira ligação diária de Munique para Banguecoque. E para fortalecer o portfolio de voos para a Ásia, a ligação para Osaca (Japão) será transferida de Frankfurt para Munique.

A transferência de cinco aviões Airbus A380 de Frankfurt para Munique no verão passado foi muito bem recebida pelo mercado e tem sido um grande êxito. Perante estes resultados, a Lufthansa está a ponderar transferir mais aviões A380 de Frankfurt para Munique em 2020. Três aviões Airbus A320 estão a ser transferidos da placa giratória de Frankfurt para a de Munique para apoiar a expansão do tráfego alimentador enquanto três aviões mais pequenos Bombardier CRJ900 serão transferidos de Munique para Frankfurt em troca.

Sendo um aeroporto de 5 estrelas, Munique também será reforçado com mais ofertas de First Class. Para apoiar tal, a maioria da frota A340-600, baseada em Frankfurt será transferida para Munique.

O foco estratégico da placa giratória de Frankfurt irá continuar a ser otimizada como mix de destinos em termos de mais qualidade. A Lufthansa irá moderar o seu crescimento nesta placa giratória para aumentar a pontualidade e a estabilidade operacional. Para 2019, o Grupo Lufthansa antecipa um crescimento anual mais baixo para as companhias aéreas de rede nesta placa giratória. A Lufthansa vai começar no inverno 2018/19 quatro novos destinos a partir de Frankfurt. Eilat (Israel), Agadir (Marrocos), Trieste (Itália) e Salónica (Grécia) são as novas adições ao programa de voo. A Lufthansa está também a expandir a sua rede de rotas para os EUA com uma ligação Frankfurt para Austin (EUA).

Há planos para expandir a trajetória de crescimento da placa giratória da SWISS, a companhia aérea Grupo Lufthansa com base em Zurique. Graças ao seu grande desenvolvimento nos últimos anos, o objetivo é continuar o trajeto do crescimento moderado. O foco principal é a expansão da atividade na Europa. O horário de inverno 2018/19 inclui um novo destino: Bremen. E a SWISS está agora a oferecer Bordeaux (França), Kiev (Ucrânia), Brindisi (Itália) e a ilha alemã de Sylt, como destinos anuais.

A Austrian Airlines em Viena irá expandir significativamente a sua rede de rotas europeias no horário de inverno 2018/19. A começar no final de outubro de 2018, Mais de 40 voos adicionais por semana irão descolar para 14 destinos, incluindo cidades na Alemanha como Berlim, Dusseldórfia e Hamburgo, assim como outros destinos europeus (Copenhaga/Dinamarca, Kiev/Ucrânia, Atenas/Grécia e Cracóvia/Polónia). Tal aumento é possível aumentar a eficácia na rede de rotas. Além dos novos voos europeus, a Austrian Airlines está também a aumentar as suas frequências de voos para a América do Norte e reforçar Viena como placa giratória do Grupo Lufthansa.

“O nosso sistema multi-placas giratórias, no qual as quatro placas giratórias partilham uma gestão única comercial centralizada, funcionam bem e têm êxito. Tal torna-nos possível reagir a alterações repentinas com rapidez e flexibilidade. Os nossos fatores-chave são qualidade, eficácia e controlo de custos”, disse Harry Hohmeister, membro do Conselho Executivo da Deutsche Lufthansa AG e Chefe da Gestão das Placas Giratórias. “O objetivo de toda a indústria deveria ser o aumento da qualidade. Tal significa que é também essencial que as infraestruturas em terra e no ar acompanhem o crescimento da indústria. Estamos a crescer quando custos e qualidade estão equilibrados. Por isso é que decidimos esperar até ao próximo verão para decidir, baseado no desenvolvimento das placas giratórias, de onde partirão os novos aviões Boeing 777-9 a partir de 2020. Este avião irá descolar pela primeira vez com os novos produtos da Business Class e da Premium Economy e impor novas normas para a indústria”.

SEM COMENTÁRIO

Leave a Reply