Jorge Rebelo de Almeida: “Temos feito uma aposta no Brasil que é para durar”

por Sílvia Guimarães

Jorge Rebelo de Almeida vê como “exageradas” as imagens que passam diariamente nas televisões brasileiras sobre a criminalidade naquele país.

O presidente do Grupo Vila Galé admite saber que “há problemas de segurança”, mas que “em nada tem a ver com a imagem que vemos na comunicação social” brasileira e isso só “prejudica” a imagem que passa para a Europa e, consequentemente, para o turismo.

O gestor, que falava num encontro com a imprensa, à margem das comemorações do 20° aniversário da internacionalização do grupo no Brasil, que decorreram este sábado, dia 20 de novembro, no Vila Galé Fortaleza, assegura que “este país tem um potencial turístico enorme” e, por isso, continua a investir no país, onde tem já 10 unidades hoteleiras e prepara-se para abrir uma outra em 2022, além de outros projetos que tem em carteira.

O Vila Galé Alagoas, resort de all inclusive, com 513 quartos e localizado a cerca de 40 minutos da capital Maceió, será inaugurado, ao que tudo indica, em julho de 2022, num investimento previsto de 150 milhões de reais (cerca de 24 milhões de euros).

Mas Jorge Rebelo de Almeida afirma que “a aposta feita no Brasil é para durar”. Em fase de negociação estão novos projetos para o Cumbuco, no Ceará, onde já têm outro resort de all inclusive. “Junto ao Vila Galé Cumbuco já fizemos um empreendimento imobiliário e estamos agora a fazer um condomínio de casas, apesar de termos ainda a previsão fazer mais condomínios junto a esse”, adiantou, referindo ainda que o irá “começar, lá para maio/junho do próximo ano, o Vila Galé Collection Cumbuco, com cerca de 130 quartos e ainda sem investimento orçamentado”.

Como confessa adorar a reabilitação do património histórico, o hoteleiro disse estar “em conversações com o Governo da Bahia para a recuperação do Palácio do Rio Branco”, situado no centro de São Salvador. “Para conseguirmos ter um maior êxito e talvez uma vitória neste concurso, tomámos a iniciativa, com risco, de elaborarmos os projetos todos. Podemos perder e já gastámos o dinheiro, mas penso que vamos ganhar. O projeto está muito bem feito e o que está a faltar é o lançamento do edital e a resolução de uma questão burocrática que tem a ver com o governo”, explicou.

Para que o Brasil possa continuar a atrair turistas vindos da Europa e mesmo o turismo interno, Jorge Rebelo de Almeida diz ser fundamental que o país de Vera Cruz “faça os trabalhos de casa no que respeita aos preços do transporte aéreo. Para isso é fundamental baixar os preços, à semelhança do que se faz na Europa”, enalteceu.

Novos investimentos em Portugal

Em Portugal, durante a pandemia, o grupo Vila Galé abriu quatro hotéis (Elvas, Alter do Chão, Serra da Estrela, Douro Vineyards), num investimento total de cerca de 40 milhões de euros, e em 2023 irão abrir a primeira unidade do grupo nos Açores, a começar pela Ilha de São Miguel, em Ponta Delgada, assim como em Tomar, onde compraram um convento para recuperar. “No próximo ano vamos ainda fazer o hotel dos nossos sonhos, destinado a crianças, onde os adultos só entram se uma criança os levar. O tema será dedicados a elas e a decoração dos quartos terá papel de parede com figuras históricas que já eram génios em crianças, como é o caso do Mozart”, avançou. Por outro lado, para o Alentejo, Jorge Rebelo de Almeida afirmou que está ainda previsto um hotel para adultos, com entrada a partir dos 18 anos de idade.

*A VIAJAR MAGAZINE encontra-se no Brasil a convite do grupo Vila Galé

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here