Maioria dos hoteleiros nacionais espera taxas de ocupação superiores a 80% no...

Maioria dos hoteleiros nacionais espera taxas de ocupação superiores a 80% no verão

0

De acordo com o inquérito da Associação da Hotelaria de Portugal “Perspetivas Verão 2017” – no qual foram analisadas as reservas já efetuadas para o período de julho a setembro – os hoteleiros nacionais esperam um verão bastante superior a 2016. Este é o terceiro ano consecutivo que os inquiridos revelam ter boas perspetivas para o Verão em todos os indicadores.

À exceção da Madeira e do Algarve, os inquiridos das restantes regiões consideram que a taxa de ocupação será melhor ou muito melhor do que no verão do ano passado. Para 66% do total dos inquiridos, a taxa de ocupação ficará acima dos 80%.

No que respeita ao ARR (preço médio por quarto ocupado) e RevPAR (preço médio por quarto disponível), as perspetivas são também francamente superiores ao ano anterior. Do total, 81% e 82% dos hoteleiros estimam que o ARR e o RevPAR, respetivamente, sejam melhores ou muito melhores do que no verão de 2016.

Todas as regiões perspetivam um melhor ARR, destacando-se 89% dos hoteleiros inquiridos nos Açores e 87% no Algarve e na Madeira que preveem um melhor ou muito melhor preço do que em igual período do ano anterior. Em termos de RevPAR, aqui também os hoteleiros dos Açores são os mais otimistas, com 100% a indicarem que será melhor ou muito melhor do que no verão de 2016.

Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP, comenta: “É interessante registar que a Madeira e o Algarve, destinos maduros, estabilizaram em alta a taxa de ocupação e estão a crescer em preços. As demais regiões perspetivam quer um crescimento da TO quer do ARR e, consequentemente, RevPAR.”

Quanto ao indicador “estada média”, registe-se que 71% dos hoteleiros nacionais estimam que será igual à do ano anterior. Do total dos inquiridos, 44% esperam uma estada média entre 1 a 3 dias e 34% entre 3 a 5 dias. Sem surpresas, a maior duração das estadas – 5 a 10 dias – é esperada no Algarve (78% dos hoteleiros inquiridos), na Madeira (69% dos inquiridos), sendo que nos Açores 89% dos inquiridos prevê uma estada média de 3 a 5 dias.

“Olhando para a procura, não podemos deixar de evidenciar o contínuo crescimento do mercado interno que, para 4 regiões nacionais, há três anos consecutivos é apontado como o principal mercado no período de julho a setembro. De destacar, também, a boa performance do mercado francês, quer a nível nacional quer por regiões. Finalmente, regista-se a melhoria contínua da performance do mercado espanhol, que este ano é apontado por 3 regiões como o segundo mercado emissor”, conclui Cristina Siza Vieira.

De destacar a previsão de crescimento do mercado interno e francês, com 49% e 58% dos hoteleiros, respetivamente, a indicarem que a evolução destes mercados será melhor ou muito melhor que no verão do ano anterior.

Analisando por regiões, no Alentejo assistimos ao crescimento do mercado espanhol, que no ano passado desceu para quinto mercado e este ano recupera a segunda posição. O Reino Unido volta a ser o principal mercado na região do Algarve, depois de no ano passado ter passado para segundo mercado. O Centro aponta como principais mercados para este verão o nacional, o espanhol e o francês. No Norte, os hoteleiros apontam como primeiro mercado o nacional, seguido do francês e do espanhol. Nos Açores, o principal mercado para este verão é Portugal ex aequo com a Alemanha (em 2016, Portugal foi o segundo mercado emissor). Neste arquipélago é de salientar a subida expressiva dos mercados americano, nacional e alemão. Em Lisboa de assinalar a subida dos mercados francês, inglês e americano, mas sem destronar os principais mercados, como o francês e o espanhol. Os hoteleiros da Madeira indicam como principais mercados ex aequo a Alemanha, Reino Unido e França.

SEM COMENTÁRIO

Leave a Reply