78% das medidas do plano “Reativar o Turismo. Construir o Futuro” já com iniciativas lançadas

Um ano após o lançamento e aprovação em Conselho de Ministros, o Turismo de Portugal fez hoje o balanço da implementação e desenvolvimento do plano de ação “Reativar o Turismo. Construir o Futuro”, (PRT), numa sessão presidida pelo Ministro da Economia e do Mar, António Costa Silva, e que contou com a presença da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, da Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques, e do Presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo.

Num momento em que o desempenho turístico evidencia um crescimento do setor já em linha com o registado em 2019, antecipando em um ano as previsões do PRT (as receitas acumuladas a abril de 2022 superam as do período homólogo em 2019), o Presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, deu nota de que das 52 medidas constantes do plano, 40 têm já iniciativas lançadas ou em curso. Este nível de cumprimento coloca o Plano “Reativar o Turismo | Construir o Futuro” com uma implementação acima de 78%, e a que corresponde um investimento em termos de medidas lançadas de 2,1 mil milhões de euros, cerca de 36% da dotação inicial do plano (6 mil milhões de euros).

Deste montante, 825 milhões de euros foram disponibilizados às empresas nos diversos pilares de atuação do PRT em medidas como: Linha de Apoio ao Turismo, Linha de Apoio à Qualificação da Oferta (reforço), Linha de Apoio a Tesouraria de MPEs (reforço), programas Banco Português de Fomento Recapitalização estratégica e Consolidar, Programa Transformar Turismo, Programa Adaptar Turismo, Portugal Events e Programa Portugal Ventures call for tourism.

Contando já com cerca de 22.300 entidades aderentes, o Selo Clean &Safe entrou numa outra fase de desenvolvimento, em parceria com a Direção-Geral da Saúde (DGS) e a NOVA Medical School. Nesta sua nova versão, o Selo Clean&Safe vem dotar as empresas de capacidade de reação rápida a outras potenciais crises de saúde pública ou outras possíveis situações de risco decorrentes de fenómenos extremos e/ou de constrangimentos internacionais.

Das várias ações lançadas especificamente orientadas para a comercialização de produtos turísticos diferenciados, importa salientar o lançamento do Portuguese Wine Tourism (Enoturismo) e o Portuguese Books (Turismo Literário), para além das iniciativas lançadas ao nível do Turismo de Saúde. São projetos de cariz promocional e estruturação de oferta que envolvem diversos parceiros da esfera pública e privada e o lançamento de plataformas digitais dedicadas.

Também a Campanha internacional de promoção de Portugal enquanto destino turístico ‘Time to Be’, desenvolvida em 2021, enquadra-se neste Plano de Ação. Focada sobretudo nos mercados que demonstraram abertura para viagens turísticas e oportunidade de crescimento esta campanha internacional impactou mais de 80 milhões de pessoas em 6 mercados.

A destacar também o Programa Empresas Turismo 360°, uma iniciativa ambiciosa que incentiva as empresas a reportarem o seu desempenho em sustentabilidade através da integração dos fatores ESG – Environmental, Social and Governance na cultura organizacional e na estratégia de negócio. Já aderiram ao programa 74 empresas de diferentes dimensões e com atividades nas áreas do alojamento, restauração, animação, termas, agências de viagem e rent-a-car – que, no seu conjunto, representam um volume de negócios global de cerca de 2 mil milhões de euros e um universo superior a 15 mil colaboradores.

De igual modo, a formação e qualificação dos profissionais do turismo tem sido uma das preocupações deste Plano de Ação onde se enquadra o projeto Formação +Próxima. Com o objetivo de descentralizar a formação em turismo e adaptá-la às necessidades locais por todo o território nacional, este projeto já formou mais de 3.500 trabalhadores de 85 municípios com quem o Turismo de Portugal estabeleceu protocolos de cooperação e colaboração.

Estes são apenas alguns exemplos do conjunto de programas, iniciativas e ações que o plano de ação “Reativar o Turismo | Construir o Futuro” integra e que estão já em curso. A execução do plano pode ser consultada a qualquer momento no PowerBI, atualizado em tempo real, que a partir de hoje fica disponível para todos através do link: https://travelbi.turismodeportugal.pt/politicas-e-estrategia/monitorizacao-do-plano-reativar-o-turismo/

O Ministro da Economia e do Mar, António Costa e Silva, salientou no decurso da sessão “a importância para Portugal de termos um setor do turismo em plena atividade o mais rapidamente possível, pois o seu efeito irá fazer-se sentir também num conjunto vasto de outros setores da nossa economia. Considerou ainda que o PRT é um instrumento muito poderoso para esse efeito e manifestou-se confiante de que o mesmo continuará a ser executado a bom ritmo, como tem acontecido desde o seu lançamento em junho de 2020”.

Por seu lado, Rita Marques, Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, enfatizou a necessidade de o setor aproveitar a oportunidade que este plano Reativar o Turismo | Construir o Futuro oferece às empresas nacionais do turismo, para que definitivamente enveredem pela dupla transição verde e digital, de modo a se ajustarem às necessidades e exigências dos novos turistas e se tornarem mais resilientes a choques conjunturais, como aqueles que vivemos nestes dois últimos anos”.

Aprovado em RCM em junho de 2021 o PRT pretende ser um guião orientador para o setor turístico, público e privado, cujas ações estão totalmente integradas com os objetivos do Plano de Recuperação e Resiliência e da Estratégia Portugal 2030, assegurando assim uma estratégia concertada para a retoma da economia nacional.

Alinhado com a ET2027, e incorporando os novos desafios decorrentes do impacte da pandemia no setor, nas suas múltiplas vertentes, o plano de ação prevê o investimento de 6 mil milhões de euros até 2027, através de 52 medidas distribuídas por 4 Pilares, com especial enfoque nas Empresas e Pessoas (Colaboradores, Residentes e Turistas).

Este plano tem por objetivo ultrapassar os 27 mil milhões de euros de receitas turísticas em 2027 de uma forma sustentável, gerando riqueza e bem-estar em todo o território, ao longo de todo o ano e apostando na diversificação de mercados e segmentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here