Domingo, Maio 19, 2019
Tags Post com a tag "Turismo de Portugal"

Turismo de Portugal

0

A campanha Building Wave do Turismo de Portugal, que durante 15 dias pôs Times Square, em Nova Iorque, a ‘surfar’ digitalmente a maior onda do mundo, está nomeada para os New York Festivals Advertising Awards, nas categorias Branded Content/ Entertainment e Public Relations: Travel/Leisure.

Numa criatividade da Partners, a onda de 24,38 metros surfada na Nazaré pelo brasileiro Rodrigo Koxa foi projetada em écrans LED num edifício que tinha a mesma dimensão, localizado na mítica praça norte-americana. O objetivo foi o de promover o destino e a sua oferta diferenciadora sob a umbrella Portuguese Waves, no âmbito da Estratégia Turismo 2027, o referencial estratégico para o turismo em Portugal nos próximos anos.

Com um investimento de 240 mil euros, o Turismo de Portugal mostrou um país que beneficia de um clima temperado ao longo de todo o ano, com uma costa que se estende por mais de 800 quilómetros e ondas regulares em toda a sua extensão, os ativos que fazem do surf uma âncora da comunicação internacional de Portugal.

Os vencedores são conhecidos em maio.

0

Com Brexit ou sem Brexit, Portugal quer que os cidadãos britânicos saibam que serão sempre bem-vindos no nosso país e que nunca deixaremos de estar com quem partilhamos a mais antiga aliança do mundo. Para que todos saibam disso mesmo, o Turismo de Portugal lança a campanha #BRELCOME – Portugal will never leave you.

Esta campanha integra o plano de contingência de Portugal para o mercado do Reino Unido, que inclui também uma linha de atendimento online dedicada e uma área informativa específica no portal VisitPortugal. Portugal foi pioneiro na adoção deste plano de contingência na Europa, e que garante aos britânicos que irão manter as condições de viagem de que beneficiam atualmente – designadamente isenção de vistos, criação de corredores dedicados nos aeroportos, utilização dos seguros de saúde ou reconhecimento das cartas de condução.

A campanha promove os ativos do turismo nacional e com um investimento de 200 mil euros vai estar até junho a lembrar que, apesar de mudanças que possam eventualmente estar a chegar, há sempre coisas que não mudam. As nossas praias e os nossos sabores, os nossos campos de golfe e os nossos festivais de música não deixarão nunca de acolher bem os visitantes do Reino Unido.

Para a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, “Portugal está a mostrar ao Reino Unido que, com Brexit ou sem Brexit, criámos todas as condições para continuar a acolher da mesma forma. As medidas aprovadas pelo Governo português foram muito bem recebidas pelos operadores turísticos e pelos britânicos, que são o nosso principal mercado turístico. Já com reflexo nos números turísticos de janeiro, em que o mercado britânico cresceu 4,3%”.

Para o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, “apesar de todas as incertezas, queremos deixar claro que Portugal é um país inclusivo e que todos são bem-vindos. Continuamos a apostar no Reino Unido enquanto mercado estratégico para o turismo nacional e nunca é demais reforçar a afinidade que une os dos países e as nossas culturas”.

0

“Revitalizar Monchique – o turismo como catalisador” e SustenTUR Algarve são os dois projetos de valorização turística da região que vão ser apoiados com mais de 600 mil euros pelo Turismo de Portugal. A Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, esteve hoje em Monchique a presidir à assinatura dos protocolos entre os promotores e a Autoridade Turística Nacional.

Apoiado com um financiamento de 431.856 euros, o projeto “Revitalizar Monchique – o turismo como catalisador” é promovido pela Associação Turismo do Algarve, a Almargem – Associação de Defesa do Património Cultural e Ambiental do Algarve e o Município de Monchique, com o objetivo de dotar a região de Monchique e Silves de condições atrativas para o desenvolvimento da atividade turística através da intervenção em zonas que foram atingidas pelo incêndio que fustigou estes dois concelhos em 2018.

Até dezembro de 2019, entre as atividades a desenvolver estão o reforço da rede de percursos pedestres e cicláveis de Monchique e a implementação de uma plataforma agregadora de experiências inovadoras, culturais e criativas, articuladas com a rede de percursos pedestres, visando a valorização dos produtos turísticos e do território. Será também desenvolvida a oferta de programas e pacotes turísticos integrados, a realizar pelos agentes locais, envolvendo o Turismo de Natureza, Turismo Cultural e Criativo, bem como uma aposta na capacitação dos profissionais do setor no sentido de qualificar a oferta regional, com vista ao aumento do número de turistas e visitantes em Monchique e consequentemente, no Algarve, especialmente durante a época baixa.

Promovido pela Entidade Regional de Turismo do Algarve, o projeto SustenTUR Algarve visa a promoção da sustentabilidade do património natural e cultural da região, junto dos visitantes e residentes, em estreita parceria com atores públicos e privados, através da realização de um conjunto de ações de capacitação, informação e sensibilização, com o objetivo de fortalecer uma cultura de turismo na região. O projeto é apoiado com 204 mil euros e a sua execução decorrerá até 30 de novembro de 2020.

Para a Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, estes projetos “demostram a capacidade de o Turismo ser instrumento de mobilização do território e permitem promover o Algarve como destino de turismo de natureza, de gastronomia, cultural, com capacidade de atrair públicos ao longo de todo o ano”. 

0

A AHP – Associação da Hotelaria de Portugal, celebra hoje, dia 15 de janeiro, no Algarve, um protocolo de colaboração com o Turismo de Portugal para desenvolvimento de ações conjuntas no âmbito da formação de profissionais do Turismo e da Hotelaria, através do Programa BEST e da AHP Hotel Academy.

Este protocolo de colaboração irá permitir desenvolver ações conjuntas que visam a implementação e dinamização do Programa BEST, programa do Turismo de Portugal de capacitação dirigido a empresários, empreendedores e gestores do setor do Turismo; e do “AHP – Hotel Academy”, programa plurianual de formação da AHP, dirigido a todos os profissionais da Hotelaria.

Sendo comuns os objetivos – reforçar a qualificação dos ativos humanos do setor – e considerando o conhecimento das necessidades e experiência da AHP (só no ano de 2018 foram realizados cerca de 40 cursos que abrangeram 2000 profissionais do setor, estando já aprovados vários cursos para 2019) e as reconhecidas competências e experiência do Turismo de Portugal e das suas Escolas, esta colaboração surge não só como natural como necessária, atenta a escassez de recursos humanos, a falta de disponibilidade de tempo para formação, as necessidades de maior eficiência na utilização de recursos e maior eficácia para o cumprimento das metas da AHP e dos objetivos do Turismo de Portugal. Recorde-se que a Formação ministrada pela AHP é certificada, conta para a formação obrigatória legalmente prevista e atribui créditos para o reconhecimento das habilitações literárias no âmbito do Programa “Qualifica”.

O protocolo será assinado hoje, dia 15 de janeiro, pelas 15h30, na Escola de Hotelaria de Faro. A AHP far-se-á representar pelo seu representante no Algarve, João Soares.

0

Portugal foi eleito, pela segunda vez, «Melhor Destino do Mundo» (World’s Leading Destination), na edição de 2018 dos World Travel Awards cuja gala da entrega de prémios decorreu ontem, 1 de dezembro, em Lisboa, e onde o Turismo de Portugal foi considerado, pela segunda vez consecutiva, o Melhor Organismo Oficial de Turismo do Mundo (World’s Leading Tourist Board).

Também o portal visitportugal.com repetiu o feito de 2017 sendo eleito novamente o «Melhor Website Oficial de Turismo do Mundo» (World’s Leading Tourism Authority Website).

O facto de Lisboa ter sido escolhida para anfitriã da gala deste ano é também uma confirmação do importante posicionamento que Portugal tem vindo a assumir no sector do Turismo a nível internacional.

Os World Travel Awards são prémios atribuídos pelos profissionais do setor sendo frequentemente considerados os ‘óscares’ do turismo. Começaram a ser atribuídos em 1993, distinguindo o trabalho desenvolvido na indústria turística, de modo a estimular a competitividade e a qualidade do turismo. A seleção dos vencedores é realizada à escala mundial.

“O Turismo de Portugal ser considerado o Melhor Organismo Oficial de Turismo do Mundo pela segunda vez consecutiva é um enorme motivo de orgulho. Este reconhecimento é para todos os colaboradores do Turismo de Portugal que, diariamente, ultrapassam desafios e concretizam projeto atrás de projeto sempre com um propósito em vista: liderar o turismo do futuro. Contamos com uma equipa de excelência e esta distinção é para eles.”, afirma o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, acrescentando que “os prémios que tivemos a honra de receber nesta cerimónia confirmam o sucesso da estratégia turística e dos bons resultados que tem vindo a alcançar num esforço conjunto de todos os players do setor.»

0

Luís Araújo afirmou, esta manhã, que o Turismo de Portugal continua a não poder participar em feiras internacionais por decisão judicial, resultado da impugnação do concurso público para a construção de stands daquele organismo público em feiras promocionais.

Questionado sobre como se encontra a resolução desta situação, durante a sua participação no painel “Turismo em Portugal: Os Desafios do Crescimento”, no 44º Congresso Nacional da APAVT, o presidente do Turismo de Portugal deixou claro que “Portugal é um Estado de direito e temos tribunais, existiu uma impugnação do concurso público e uma decisão do tribunal de que nós não podíamos ir às feiras”, no entanto “continuamos a alegar” e “estamos à espera da decisão do juiz que nos permita ir às feiras e que levante a providência cautelar que foi instaurada”.

Até que a situação fique resolvida continuarão a ser as Agências Regionais de Promoção Externa a garantirem a presença de Portugal nos maiores certames internacionais de interesse promocional de Portugal enquanto destino turístico, como foi o caso recente da participação na WTM, em Londres, no início de novembro. “A participação nas feiras tem sido suportada pelas agências e pelas entidades a quem agradeço publicamente e mais uma vez e acho que é esse trabalho que deve ser cada vez mais feito”, concluiu.

 

* por Sílvia Guimarães, em Ponta Delgada a  convite da APAVT

 

0

O Turismo de Portugal está presente na 46ª edição da ABAV Expo, a maior feira de turismo do Brasil, que está a decorrer até à próxima sexta-feira, dia 28 de setembro, com um dos maiores stands do certame.
Bernardo Cardoso, representante do Turismo de Portugal naquele país, afirmou, em declarações à VIAJAR, que a promoção de Portugal no Brasil “está ótima” e isto apesar de este ser um ano de grandes diferenças cambiais no país. “Apesar de num ano tão difícil como este, que começou com expetativas fantásticas, e que, infelizmente, têm diminuído com as alterações cambiais que têm acontecido aqui no Brasil, não diminuímos a nossa presença [de promoção do destino Portugal no Brasil] e mantemos crescimentos a cima dos dois dígitos, situando-se atualmente em mais de 11,5% de crescimento”, avançou o responsável, que na sua opinião significa que “se mantém a vontade de viajar do brasileiro” e refere que este crescimento não é ainda maior porque “as indecisões políticas pelas quais o Brasil está a passar estão a provocar estas alterações que levam o brasileiro a resfriar esse seu desejo e vontade de viajar”.
Em termos estratégicos, Bernardo Cardoso adianta que o Turismo de Portugal nunca esteve “tão bem” no país de Vera Cruz e continuam a trabalhar o país centrados numa “visão global”. “Estamos a ir a quase todas as cidades fazer promoção, o que demonstra a nossa cada vez maior vontade de falar de Portugal”, disse, frisando que “as regiões com voos diretos de e para Portugal são claramente um foco, mas há outros destinos para os quais a TAP não tem voos diretos que são igualmente importantes de trabalhar”. Como exemplo deu o caso de Curitiba, por ser “um dos maiores mercados brasileiros” e no qual têm “foco de promoção”.
O que o Turismo de Portugal “tem pretendido e conseguido fazer no Brasil é, em primeiro lugar, mostrar um Portugal como um todo”, e não apenas Lisboa e Porto. “Temos feito muita capacitação, criando novos produtos, como foi o caso do “Portuguese Trails”, centrado em passeios de bicicleta, assim como outros mais direcionados ao surf, vinhos ou cultura. Esta diferenciação é o nosso trunfo e é isso que temos que mostrar aos operadores brasileiros. Queremos mostrar que Portugal tem uma oferta de produtos tão diversificada que cada viagem pode ser uma novidade”, mencionou o representante do Turismo de Portugal.
Ainda para este ano têm programado fazer promoção em “mais de uma dúzia de cidades do Brasil, entre cidades grandes e mais pequenas, de norte a sul, de este a oeste do país, como é o caso de Brasília, Blumenau, Florianópolis e Porto Alegre”.

Baixa presença das regiões portuguesa na 46ª edição da ABAV 

Nesta 46ª edição da ABAV estão apenas presentes três regiões de turismo portuguesas, ou seja, o Alentejo, Lisboa e Porto e Norte, tendo as restantes cinco optado por não estarem presentes. Segundo Bernardo Cardoso, o crescente interesse do turista brasileiro por Portugal está a fazer com que as regiões achem que “já não vale a pena apostarem no destino” dado este mercado já estar garantido. “O mercado brasileiro, por exemplo, para as regiões do Porto, Centro ou Alentejo já está classificado como o segundo ou terceiro mercado [internacional] e sempre com crescimentos a cima da média”, frisou. O responsável acrescentou ainda que teria ficado “muito feliz se todas tivessem decidido participar”, incluindo as ilhas, devido à “grande apetência dos brasileiros para com a ilhas portuguesas”. No entanto, no que toca aos arquipélagos portugueses, e referindo-se sobretudo aos Açores, o profissional considera que tem que haver uma outra forma de olharem para este mercado. “Se não considerarem este um mercado potencial, nós pouco ou nada podemos trabalhar sem que eles o desejem. O nosso trabalho também depende um pouco do trabalho das regiões”, concluiu.

 

* A VIAJAR está presente na ABAV Expo 2018 a convite da TAP e da organização do evento

0

Está aberta a 2ª fase de candidaturas ao Programa de Investimento Imobiliário Turístico em Territórios de Baixa Densidade, que ficará aberta até 31 de março de 2019 com uma dotação de 25 milhões de euros.

O principal objetivo deste Programa é apoiar o investimento na aquisição de imóveis para desenvolvimento de atividades turísticas nos territórios de baixa densidade (conforme definido no Programa Nacional de Coesão Territorial).

Nesta segunda fase do programa passam a estar abrangidas obras de adaptação, ampliação e/ou requalificação dos imóveis a adquirir.

Esta nova fase também traz novidades ao nível da tipologia dos prédios a serem adquiridos pelos fundos sob gestão da Turismo Fundos: passam a poder ser adquiridos prédios mistos ou rústicos.

As candidaturas são decididas à medida que são submetidas e podem ser apresentadas até 31 de março de 2019.

A Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, considera que “este é um instrumento muito importante para dinamizar projetos turísticos no interior, com características adaptadas especificamente para estes territórios, criando uma oportunidade para a requalificação de imóveis e para a atração de novos investidores para estas regiões.”

Para o presidente da Turismo Fundos-SGFII, S.A., Pedro Moreira, “ao alargar o âmbito do modelo de atuação das operações de investimento imobiliário, a Turismo Fundos pretende criar as condições financeiras mais adequadas para estimular o aparecimento de melhores projetos de investimento que permitam uma maior valorização do património cultural e natural localizado nos municípios de baixa densidade.”.

 

0

O Turismo de Portugal ancorou, no Festival Eurovisão da Canção, ações promocionais ao país que constituem das maiores iniciativas de promoção de sempre, destacando-se duas: uma campanha específica para os mercados de Espanha, França, Alemanha, Reino Unido e Estados Unidos da América e 43 filmes, filmados por todo o país, que levam os melhores argumentos de Portugal a um mercado de 200 milhões de espectadores.

Estes “postais” de 43 locais do nosso país são uma novidade no Festival Eurovisão da Canção uma vez que, nas anteriores edições, cada delegação gravava esse filme no respetivo país de origem. Desta vez, o Turismo de Portugal fez com que todas as delegações viessem a Portugal, numa forma de mostrar as múltiplas facetas do “Melhor Destino Turístico do Mundo” para uma audiência de 200 milhões de pessoas.

Em filmes de um minuto, Portugal mostra a diversidade e qualidade da sua oferta turística, numa ação pensada para que cada região seja promovida no mercado que mais interessa impactar, por exemplo, os Açores são mostrados pela candidata do Reino Unido, a artista finlandesa filmou no Algarve e, a delegação alemã na Madeira.

Além destes 43 filmes, o Turismo de Portugal desenvolveu ainda uma campanha para promover a realização da 63ª edição do Festival Eurovisão da Canção na capital portuguesa, exclusiva a meios digitais de Espanha, França, Alemanha, Reino Unido e Estados Unidos da América. Com ilustrações de Cristiana Couceiro, artista nacional com trabalhos publicados no New York Times, Vanity Fair, Le Monde e Wired, entre outros, esta campanha representa um investimento de 200 mil euros.

O Turismo de Portugal marca também presença na Eurovision Village, instalada no Terreiro do Paço, um espaço de entrada livre onde, até 12 de maio, das 10h00 às 24h00, são dinamizados passatempos de oferta de bilhetes e também momentos de lazer com a atuação de DJ’s, muita animação e a transmissão das apresentações do festival.

0

O Governo vai lançar um programa de capacitação turística dos destinos dirigido às câmaras municipais.

O programa de formação, desenvolvido pelo Turismo de Portugal, será ministrado nas Escolas de Hotelaria e Turismo de cada uma das NUT II (Norte, Centro, Área Metropolitana de Lisboa, Alentejo e Algarve) e também nas regiões autónomas.

A formação incidirá sobre capacitação dos destinos, estruturação de produtos turísticos, captação de investimento turístico, dinamização de redes locais, marketing territorial e digital, inovação em turismo, mercados, produção de conteúdos e instrumentos de apoio ao turismo.

Este programa surge como resposta a uma necessidade identificada de capacitação de recursos nas câmaras na área do turismo e será financiado em 50% pelo Turismo de Portugal. Esta capacitação dos municípios permitirá criar uma rede de técnicos especializados em turismo para promover o desenvolvimento turístico das zonas com menos tradição em termos de atividade turística, alargando cada vez mais o turismo a todo o território.

O programa vai desenrolar-se ao longo de três meses, entre setembro e dezembro.

As candidaturas para este programa estarão abertas a todos os municípios a partir de 7 de maio.

Para a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, este programa “é uma oportunidade para criar condições de atratividade e de estruturação de oferta em municípios que não são tradicionalmente destinos turísticos e em que o turismo pode assumir um papel importante na estratégia de desenvolvimento”.

O secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, sublinha que “o turismo pode ser um fator diferenciador para o desenvolvimento dos municípios e para a fixação de população, nomeadamente no interior”, pelo que este programa se reveste da “maior importância como instrumento de capacitação do setor”.