Candidaturas abertas para as Escolas do Turismo de Portugal

0
22

Estão abertas as candidaturas às Escolas do Turismo de Portugal, até 20 de julho, através de um processo online e gratuito, disponível em http://escolas.turismodeportugal.pt/, para alunos nacionais e estrangeiros.

Cozinha, Pastelaria, Restauração e Bebidas, Turismo de Natureza e Aventura, Turismo Cultural e do Património, Hotelaria/ Alojamento e Gestão do Turismo são alguns dos cursos disponíveis, com uma forte componente ligada ao desenvolvimento pessoal, às soft skills e à preparação dos jovens para uma ação ambiental e socialmente responsável. No último ano, 93% dos candidatos conseguiu colocação no Curso/Escola da sua primeira opção.

No próximo ano letivo, é também reforçada a aposta na capacitação das empresas e formação dos profissionais em novas áreas emergentes do turismo, como o Turismo de Natureza – através de cursos dirigidos a Guias-Intérpretes Regionais e a formação dos agentes dos Geoparques da UNESCO -, o Turismo Literário, Turismo de Luxo, Turismo de Saúde e Bem-Estar, bem como, no segmento da alimentação saudável, com uma nova oferta em Cozinha e Pastelaria Vegetal.

As Escolas do Turismo de Portugal continuam empenhadas na resposta ao aumento crescente da procura por parte de candidatos estrangeiros e no reforço do serviço de apoio às especificidades do Estudante Internacional, sendo que, no último ano, foram 566 os candidatos provenientes de 20 países (destacando-se as candidaturas de Países de Língua Oficial Portuguesa).

Perante os desafios dos últimos meses, as 12 escolas da rede do Turismo de Portugal têm vindo a introduzir mudanças significativas na sua organização e metodologia de formação, adequando-as à mudança digital acelerada que pauta o setor. Em 2021/2022, as Escolas irão continuar a apostar no processo de transformação digital que consolidará as soluções de ensino à distância, a produção de suportes pedagógicos digitais e de apoio ao estudo. A modalidade de ensino online vai continuar a ser uma realidade para todos os cursos de especialização tecnológica, ocupando 15% a 20% da carga horária teórica.

Para preparar os profissionais do futuro com competências adequadas às exigências do setor do turismo, que acrescentem valor às empresas, que atuem com responsabilidade, ética e sustentabilidade e que assegurem um serviço de qualidade focado nos clientes e no desenvolvimento de experiências únicas, é essencial rever modelos e conteúdos, utilizar a tecnologia e os recursos digitais, mas também, criar projetos colaborativos com outras escolas e outras entidades e, sobretudo, com as comunidades locais e as empresas.

Neste sentido, as Escolas do Turismo de Portugal procuram dinamizar conteúdos nas áreas do digital, da sustentabilidade, da gestão, do marketing e vendas, novos conteúdos cognitivos nas áreas da análise de dados, do pensamento crítico e analítico e nas áreas colaborativas, gestão das emoções, da ética, da comunicação e relação social, da flexibilidade e adaptabilidade, da criatividade e autoaprendizagem.

Têm, igualmente, vindo a adicionar novos suportes tecnológicos e digitais, como softwares colaborativos, plataformas educativas e suportes digitais a processos de aprendizagem autónoma, mas também, criado parceiras colaborativas com outras escolas e universidades, empresas e as comunidades locais, ultrapassando as barreiras físicas da escola e estruturando um novo conceito de escola, enquanto comunidade de aprendizagem.

Paralelamente, têm vindo a ser introduzidas novas metodologias de educação-formação, com projetos piloto de aprendizagem baseada em projetos, de aprendizagem experiencial e de aprendizagem integrada, onde a formação deixa de estar focada na transmissão de conhecimento para estar focada na geração de competências através da resolução de situações concretas, do envolvimento em projetos reais, na resolução de questões identificadas nas empresas e nas comunidades. Através da concretização de experiências reais, os alunos vão desenvolvimento competências efetivas de pensamento analítico, de tomada de decisão, de liderança e de comunicação, adaptando-se e aprendendo a ser flexíveis, relacionais, focados nas soluções, empreendedores e inovadores.

Estão também em curso projetos piloto de customização curricular, que procuram dar uma maior liberdade de definição de percursos escolares, em função dos percursos profissionais que cada candidato pretende fazer.

O novo ano letivo 2021/2022 será focado na capacitação das equipas, em que se pretende enriquecer  a Bolsa de Formadores com mais talento, em que será feito um reforço das parcerias nacionais e internacionais com outros níveis de ensino, e um maior investimento em novos meios e recursos digitais e tecnológicos para consolidar a área de inovação da rede escolar com a dinamização efetiva dos Laboratórios Abertos de Experimentação, reforçando a missão das Escolas do Turismo de Portugal como espaços de inovação territorial de suporte à qualificação das pessoas e à capacitação das empresas do turismo.

Através da sua rede de 12 escolas, o Turismo de Portugal forma mais de três mil alunos por ano, sendo este um dos pilares da atuação da Autoridade Turística Nacional que contribui, assim, para a competitividade e qualidade do serviço prestado pelas empresas e agentes do setor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here