Emirates anuncia segundo voo diário para Lisboa a partir do final do ano

Eduardo Cabrita, diretor geral da MSC Cruzeiros em Portugal (à esquerda), e David Quito, diretoral geral da Emirates para Portugal (à direita)

A Emirates vai passar a operar novamente dois voos à partida de Lisboa para o Dubai, a partir de 29 de dezembro, à semelhança do que já fazia até março de 2020, altura em que começou a pandemia.

A companhia aérea passara de 11 para 14 frequências semanais, passando de 33 mil para 43 mil voos mensais entre Portugal os Emirados Árabes Unidos, apesar de o objetivo ser voltar aos 50 mil lugares que dispunham mensalmente até 2019, altura em que também operavam quatro frequências semanais para o Porto.

“Ao dia de hoje estamos com 11 voos por semana para Lisboa e estamos cada vez mais a aproximar-nos dos 18 voos para Portugal. Dia 29 de dezembro vamos passar para 14 voos semanais, portanto Lisboa fica exatamente com o mesmo cenário que tinha em 2019”, frisou David Quito, diretor geral da Emirates em Portugal.

Apesar de ainda não avançarem para já para o Porto, o responsável garante que o destino “não está esquecido” e, segundo as previsões, “voltará a ser retomado a partir de 2024”.

Equipas MSC Cruzeiros e Emirates

Para já o objetivo da Emirates será criar “uma situação sustentável em Lisboa e com o tempo ir trabalhando o Porto”.

David Quito, que falava com os jornalistas, à margem do Roadshow da MSC Cruzeiros, da qual a Emirates é parceira, que se realizou, em Lisboa, no dia 8 de novembro, anunciou ainda que “outubro foi o melhor mês [para a Emirates em Portugal], atingindo taxas de ocupação altíssimas. As taxas de ocupação, em primeira classe e executiva, são as mais altas dos últimos 10 anos” neste mercado.

Para o diretor geral da Emirates em Portugal, esta crescente procura deve-se ao facto de os agentes de viagens procurarem “estabilidade”, sem correrem o risco de voos cancelados a toda a hora.

“Nós assegurámos sempre a operação em Portugal, efetuámos sempre todos os voos, claro que temos atrasos pontuais, mas nada dramático, de horas ou cancelamentos, e é isso que o mercado procura, a sustentabilidade e fiabilidade da operação em Portugal. É sempre isso que nós procuramos fazer na Emirates, crescendo gradualmente, começámos com três voos em agosto, estamos agora com 11, vamos chegar aos 14, mas não queremos prometer mundos e fundos, porque tudo ainda é uma incógnita”, explicou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here