Terça-feira, Abril 23, 2019
Tags Post com a tag "Vinci Airports"

Vinci Airports

0

O Aeroporto de Lisboa celebrou o seu 75.º aniversário, esta segunda-feira, 13 de novembro, numa altura em que vai registar o melhor ano de sempre, com a estimativa de mais de 26 milhões de passageiros processados no final de 2017, ou seja, mais 4.5 milhões de passageiros que em 2016.

Segundo um comunicado da ANA – Aeroportos de Portugal, nos últimos quatro anos, o Aeroporto de Lisboa cresceu 7,2 milhões de passageiros, enquanto nos oito anos anteriores o incremento registado foi de 4,6 milhões.

“Os sucessivos recordes de passageiros que têm vindo a ser alcançados ano após ano têm resultado num contributo inestimável para a cidade de Lisboa, que vive igualmente os melhores anos turísticos de sempre, numa altura em que o setor do turismo é um dos principais pilares da nossa economia e do desenvolvimento do país. Em Lisboa esse facto fica fortemente ligado ao desempenho do Aeroporto de Lisboa, uma vez que 95% dos turistas chegam à capital portuguesa por avião”. Um crescimento exponencial de tráfego que levou a ANA Aeroportos de Portugal e a VINCI Airports a investir continuamente em melhorias na infraestrutura, que permitiram gerar eficiências com os consequentes aumentos de capacidade.

Para o futuro próximo estão já projetados mais investimentos, que deverão estar disponíveis no verão IATA 2018. É o caso da duplicação de canais de embarque de todas as portas Schengen do Terminal 1 que ainda não possuem esta facilidade. Mas também da criação de duas novas portas de embarque Não Schengen, ou da instalação em curso de linhas automáticas no controlo de segurança, que permitirão aumentar significativamente o processamento de passageiros e a qualidade do serviço prestado. Dos investimentos previstos faz igualmente parte a renovação da zona de check-in.

Estes investimentos antecipam a necessidade de capacidade nos diferentes sistemas do aeroporto que decorrerá da disponibilização de mais espaço aéreo por parte das entidades responsáveis.

Na cerimónia que ontem teve lugar no terminal de chegadas do aeroporto e que contou com as presenças do ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, do CEO da VINCI Concessions e presidente da VINCI Airports, Nicolas Notebaert e do CEO da ANA Aeroportos de Portugal, Carlos Lacerda, falou-se também do futuro e na defesa da criação no Montijo de um novo aeroporto civil. Uma proposta da ANA Aeroportos de Portugal e VINCI Airports que será agora avaliada.

Segundo Nicolas Notebaert, CEO da VINCI Concessions e presidente da VINCI Airports, “um novo aeroporto no Montijo é a melhor solução para o país, para Lisboa, bem como para a região metropolitana de Lisboa, principalmente para o Sul desta área, e é a melhor solução para os passageiros e para as companhias aéreas”, referindo ainda que “é a solução que permite uma resposta atempada e minimização da perda de passageiros face à expectativa de crescimento de trafego aéreo, além de permitir estar concluído mais cedo, por prever uma infraestrutura existe que pode ser usada. É também a solução menos exigente na necessidade de desenvolvimento adicional de acessibilidades.”

Carlos Lacerda, presidente da Comissão Executiva da ANA Aeroportos de Portugal, confirmou que “já entregámos uma proposta para o aumento da capacidade aeroportuária de Lisboa, através do Aeroporto Humberto Delgado e de um novo aeroporto no Montijo” e esclareceu que “os próximos passos envolvem um trabalho de aprofundamento e detalhe das várias dimensões da proposta”, acrescentando ainda que “é só o primeiro passo do que sabemos que será um trabalho conjunto entre todas as entidades envolvidas, que continuará a correr com total empenho e com a atitude positiva que temos sentido até agora na solução, com vista aos objetivos da região e do país.”

Assista ao vídeo do Aeroporto de Lisboa 1942-2017.

 

0

A VINCI Airports acaba de anunciar o lançamento de um desafio de inovação dedicado a start-ups que ofereçam um serviço ou uma solução que contribua para recuperar o encanto da experiência dos passageiros no aeroporto, numa altura em que se prepara para receber milhares de passageiros que vão participar no Web Summit, entre 6 e 9 de novembro, em Lisboa.

Receção e orientação profissionais, processo de check-in fácil, acesso Wi-Fi simplificado para assegurar uma experiência sem quebras aos milhares de geeks vindos do mundo inteiro… Todas as capacidades da VINCI Airports serão postas em prática para que este evento seja um sucesso.

Os vencedores do concurso lançado agora pela VINCI Airports serão acelerados, ou seja, terão a oportunidade de receber apoio dos mentores e especialistas do grupo e a possibilidade de experimentar os serviços ou produtos inovadores que propõem sob condições reais num dos 35 aeroportos da rede. Os vencedores receberão uma dotação de 5000 € para dar um impulso ao seu projeto.

Para Nicolas Notebaert, CEO da VINCI Concessions e presidente da VINCI Airports, “uma visita ao aeroporto deverá significar mais do que apanhar um avião. Deverá significar uma experiência o mais interligada possível, num ambiente integrado, agradável e descontraído. Este desafio é um sinal claro da forma como estamos a digitalizar os nossos aeroportos e ilustra a prioridade que damos a fazer da inovação uma componente da nossa proposta de valor.”

Mais informações e candidaturas poderão ser consultadas em www.vinci-airports.com/innovation-challenge/.

0

A Vinci Airports, empresa proprietária da ANA – Aeroportos de Portugal, avançou, em comunicado, que dos aeroportos que têm sob sua gestão os portugueses foram os que registaram o maior crescimento de tráfego no segundo trimestre de 2017.

O crescimento de tráfego de passageiros dos aeroportos portugueses no período em análise, segundo a gestora de aeroportos, foi de 20,6% quando comprando com o mesmo trimestre de 2016. Para este incremento, a Vinci Airports afirma que a TAP tem sido fundamental, dado a transportadora aérea portuguesa e, consequentemente, os aeroportos têm vindo a beneficiar com a recuperação das rotas para o Brasil, assim como com a abertura de novos destinos.

Por outro lado, o crescimento do tráfego aéreo das companhias low-cost foi outra das razões apontadas pela Vinci Airports para o bom momento vivido pelas infraestruturas aeroportuários portuguesas no segundo trimestre deste ano, referindo que algumas dessas companhias registaram um crescimento de dois dígitos.

No total dos 35 aeroportos que gere pelo mundo, a Vinci Airports obteve um incremento de 14,1% no tráfego de passageirosdurante o período em análise e recebeu mais de 37,4 milhões de passageiros.