Futuro da formação em turismo em debate

Recursos humanos resilientes e flexíveis, com funções transversais e competências digitais, é o futuro das profissões do turismo.  A formação deve assim apostar em novas formas de aprendizagem em contexto de trabalho e no desenvolvimento de redes colaborativas entre escolas e universidades, de forma a estimular a aprendizagem ao longo da vida. Estas são algumas das conclusões da 2.ª Reunião da Comissão Nacional de Formação para o Turismo, que reuniu os parceiros da Educação e Formação em Turismo, no dia 20 de abril, na FIL em Lisboa.

O encontro contou com a presença da Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, e do Presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, entre 50 representantes das associações dos setores do Turismo e Educação para fazer um balanço e perspetivar o futuro da formação em turismo.

Com 6,1% da população ativa em Portugal a trabalhar no setor do turismo, principalmente na área da Restauração e Similares (66,3%), na sua maioria (55%) com habilitações ao nível do Ensino Básico, é imperativo apostar na capacitação e na formação de novos recursos humanos, contribuindo para a valorização das profissões do turismo.

A aposta deve passar pela articulação da oferta entre os diversos agentes de formação do setor, uma aproximação da Escola às empresas com uma formação mais adaptada às necessidades do mercado de trabalho e por realizar e potenciar a inovação e a investigação de suporte à melhoria contínua da formação em turismo.

Esta é também uma das áreas estratégicas para o Turismo de Portugal que, em 2020, organizou um total de 737 ações de formação para mais de 75 mil participantes, e criou a Academia Digital, uma plataforma desenvolvida para fazer face à crescente procura por formação nesta área, que disponibiliza os cursos, workshops, seminários e serviços de formação à medida, das 12 Escolas do Turismo de Portugal. Entre outras, foram ministradas 199 ações de Formação Executiva certificada online, com 9.603 participantes; 178 ações de formação Clean & Safe para 25.257 participantes; e foram promovidas 284 ações BEST Live Online Training para 34.948 participantes. A procura continua a crescer em 2021 e, só no primeiro trimestre do ano, o Turismo de Portugal já realizou 487 ações de formação que envolveram 61.413 participantes.

O Turismo de Portugal continua a oferecer aos profissionais do setor uma série de programas de formação de excelência, a maioria gratuitos, destinados a dotar os participantes de estratégias e técnicas que lhes permitam adaptar-se e reagir, com a menor disrupção possível, a uma conjuntura que é particularmente desafiante para as empresas do turismo.

As 12 Escolas do Turismo de Portugal contabilizam este ano um total de 2.920 alunos em Formação Inicial e Especializada, preparando-os para que sejam agentes de adaptação à mudança e apresentando-lhes novos modelos de organização do trabalho, para que sejam flexíveis e levem para as empresas um conjunto de competências transversais que apoiem na readaptação que muitas delas estão a implementar para ultrapassar os desafios atuais.

Segundo a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, “a formação é a grande força transformadora para um futuro mais sustentável e mais próspero.  Há que identificar caminhos para a educação e formação em Turismo, já com olhos postos na retoma do setor. Este setor é de pessoas para pessoas, e só poderemos acolher o melhor turista se cuidarmos dos que querem trabalhar ou já trabalham no setor, ajudando a que sejam os melhores profissionais”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here