Terça-feira, Novembro 19, 2019
Tags Post com a tag "Açores"

Açores

0

A Delta Air Lines vai aumentar as frequências entre Ponta Delgada e Nova Iorque-JFK quando o serviço direto sazonal retomar no Verão de 2019. A partir de 24 de Maio de 2019, este seu voo sazonal passa das cinco frequências semanais este ano para uma operação diária, adicionando assim quase 400 lugares semanais entre os Açores e os Estados Unidos.

Ao todo, a Delta vai operar 21 voos semanais entre Portugal – incluindo os Açores – e os EUA no auge dos meses de Verão. Além do serviço diário em Ponta Delgada, a companhia vai operar 2 voos diários a partir de Lisboa, através da nova rota sazonal direta para Boston, efetiva a 24 de Maio de 2019, que vem complementar a existente rota anual direta para Nova Iorque-JFK. Todos os voos são operados em conjunto com os parceiros joint-venture Air France-KLM e Alitalia, usando aviões Boeing 757-200 de 199 lugares.

0

Marta Guerreiro, secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo dos Açores,considera fundamental o trabalho dos operadores turísticos e das agências de viagens portugueses na existência crescente de fluxos turísticos para os Açores.

A governante regional, que falava na sessão de abertura do 44º Congresso Nacional da APAVT, que decorre, até dia 25, em Ponta Delgada, defende que são estes os principais responsáveis pela diminuição da sazonalidade no arquipélago, numa altura em que o mercado nacional tem uma importância de 42% na hotelaria do país, com um acréscimo na época baixa para os 53%.

“Não posso deixar de realçar a importância dos operadores e agências de viagens nacionais nos fluxos turísticos para os Açores, especialmente nesta época do ano, que em muito tem contribuído para combater um dos nossos principais desafios, a sazonalidade do setor”, referiu.

Marta Guerreiro afirmou que é objetivo da economia açoriana consolidar o Turismo de forma definitiva e garante: “crescemos, queremos continuar com bons ritmos e temos ainda uma boa margem para fazê-lo”. Por outro lado, alerta que com estes crescimentos surgirão novos desafios, identificando como o principal “fazer com  que este setor se afirme, definitivamente, como um dos motores de desenvolvimento económico, ambiental, cultural e social dos Açores, com um papel, cada vez mais importante na economia da região, não só ao nível do produto gerado, mas também, em especial, ao nível das oportunidades de emprego e empreendedorismo criadas”.

Desde 2015 que o crescimento da procura levou a que existissem mais consistentes taxas de ocupação e Marta Guerreiro não deixou de frisar que os Açores foi “a região do país com o maior crescimento nas dormidas, com uma variação positiva de 20%, superando-se, em 2017, com grande margem, a desejada meta dos 2 milhões de dormidas”. Mas também no arquipélago se tem registado uma quebra no ano corrente. “Tal como tem vindo a ser verificado no todo nacional, [em 2018] registam-se taxas de crescimento nos fluxos turísticos mais baixas que as verificadas nos anos anteriores, em parte pela desaceleração conjuntural internacional dos fluxos turísticos já prevista desde fins de 2017, mas também, pelo ressurgimento de destinos de sol e praia com preços extremamente baixos”, referiu.

A governante admite que os Açores não são um destino de sol e praia, e muito menos um destino de preços low-cost, mas deixou o alerta que “em parte pela desaceleração conjuntural internacional dos fluxos turísticos, já prevista desde fins de 2017, mas também pelo ressurgimento de destinos de sol e praia com preços extremamente baixos”, a verdade é que “mesmo os turistas com algum perfil de turismo de aventura e de natureza estão a ser aliciados por promoção intensiva e preços muito baixos em destinos como Egito, Turquia ou Tunísia”.

No entanto, a profissional assegurav que “a verdade é que esta evolução, depois de um crescimento de 93% das dormidas, em apenas três anos, vem permitir um ritmo mais adequado à estratégia turística definida pelo Governo dos Açores, onde se pretende que a atividade cresça de forma sustentável e gradual, garantindo a boa gestão dos recursos físicos e humanos, a maximização de ganhos económicos para todos os agentes regionais, assegurando benefícios para a população e para a criação de valor cultural, mas sempre em harmonia com o nosso principal ativo diferenciador, a nossa natureza exuberante e preservada”.

A estratégia dos Açores pretende assim que “a atividade cresça de forma sustentável e gradual, garantindo a boa gestão dos recursos físicos e humanos, a maximização de ganhos económicos para todos os agentes regionais, assegurando benefícios para a população e para a criação de valor cultural”. Para isso, “temos em curso o processo de certificação do destino como sustentável, algo que prevemos alcançar já no próximo ano”.

 

* por Sílvia Guimarães, em Ponta Delgada, a convite da APAVT

 

0

Vai ser assinado esta tarde, em Ponta Delgada, o protocolo para a contratualização da Promoção e Comercialização Turística Externa para o período 2019-2021, que regula a promoção externa de Portugal.

Ao abrigo deste protocolo, os orçamentos das sete Agências Regionais de Promoção Turística (ARPT) vão ter um aumento anual de 37,5%, o que corresponde a 4,5 milhões de euros, passando dos atuais 12 milhões de euros para 16,5 milhões de euros anuais.

O orçamento das ARPT aumenta, assim, 13,5 milhões de euros no conjunto dos próximos três anos.

Com este aumento, todas as ARPT vão ter ao seu dispor mais verba para fazerem promoção externa do que aquela de que dispunham no triénio que agora termina.

Uma parte deste reforço de verbas, equivalente a 1,5 milhões de euros, será aplicado no reforço dos orçamentos das ARPT do Porto e Norte, do Centro, do Alentejo e dos Açores, para promover uma maior convergência face aos orçamentos das restantes agências regionais.

Haverá também um aumento de três milhões de euros, disponível para todas as ARPT, que será alocado ao financiamento dos Planos de Produto e Mercado. Trata-se de planos de promoção conjuntos das ARPT´s e empresas para uma atuação concertada e focada em produtos específicos ou mercados considerados prioritários.

A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, afirma que “este aumento de verbas, decidido em conjunto no Conselho Estratégico da Promoção Turística, é muito importante e vai permitir reforçar a promoção de Portugal no estrangeiro. Este reforço, válido para os próximos três anos, foi elaborado de acordo com os objetivos da Estratégia Turismo 2027, ao dedicar especial atenção às regiões que são tradicionalmente menos turísticas e ao criar um mecanismo que permite diversificar mercados e promover ativos estratégicos de cada região”.

 

0

“Quantos Açores vivem na sua Imaginação” é a nova exclusiva campanha que a Solférias, em colaboração com a Turismo dos Açores/ATA, comercializou para vendas de 01 de outubro 2018 a 31 de março de 2019 (exceto réveillon).

Indo uma vez mais ao encontro das preferências dos viajantes do Século XXI, que são cada dia mais ativos e sempre em busca de novas formas de viajar e conhecer cada destino, a Solférias e a Turismo dos Açores/ATA usaram o seu profundo conhecimentos deste maravilhoso arquipélago para criar um conjunto de Aventuras Temáticas que vão ao encontro do imaginário dos Açores que faz, certamente, parte de cada Português.

São 7 as temáticas das Aventuras, que integram vários serviços adicionais e diferenciados, a saber: Ecologia; Educação; Família; Gastronomia; Natureza; Radical; Romance.

0

A ilha de São Miguel, nos Açores, vai ser o destino anfitrião do 44º congresso nacional da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), que vai ter lugar de 21 a 25 de novembro em Ponta Delgada, anunciaram hoje a Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo dos Açores (SREAT), Marta Guerreiro, e o presidente da associação, Pedro Costa Ferreira.

Esperam-se cerca de 500 participantes, designadamente Agentes de Viagens e Operadores Turísticos, opinion leaders e jornalistas, além de outros stakeholders do setor turístico nacional.

Esta é a quarta vez que o congresso da APAVT, considerado o maior fórum de debate turístico de Portugal, decorre os Açores para sediar o seu congresso, depois de o ter feito em 1995, 2006 e 2013.

O anúncio foi hoje feito no Teatro Micaelense em Ponta Delgada, que será o palco das sessões de trabalho do congresso, no âmbito da assinatura de um protocolo entre a SREAT e a APAVT.

«Com o congresso, festejamos o “bom tempo” que se vive nos Açores, corolário de um trabalho de muito anos, congregando agentes de viagens, tutela Açoriana, e demais parceiros do sector. Trabalho próximo, constante e cúmplice! Trabalho que, com o congresso, continuará, em nome do sector e pensando na região autónoma. Estamos, naturalmente, entusiasmados e felizes!» firma o presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira

«Sabemos que o Congresso da APAVT é conhecido como um importante motor no aumento do fluxo de turistas, pelo que a realização deste evento nos Açores constituirá um momento muito importante de promoção, atendendo ao perfil da grande maioria dos participantes, concretamente, agentes de viagem que promovem e comercializam potenciais destinos» afirma, por seu lado, a Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo dos Açores, Marta Guerreiro.

0

A Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), com o apoio do Turismo dos Açores, asseguraram a organização, em Abril do próximo ano, das Jornadas Técnicas da Confederação Espanhola das Agências de Viagens (CEAV), evento hoje apresentado em Madrid.
Estas Jornadas, que reunirão mais de uma centena de agências de viagens de toda a Espanha, vão decorrer em Angra do Heroísmo – Ilha Terceira, constituindo uma oportunidade inédita de promoção deste destino junto do importante mercado espanhol.
O desafio foi originalmente apresentado pela APAVT à sua congénere espanhola, constituindo a primeira iniciativa no âmbito da criação da nova Plataforma Ibérica das Agências de Viagens pelas duas organizações, em inícios do passado mês de abril, tendo de imediato acolhido o interesse e apoio da Secretaria da Energia Ambiente e Turismo dos Açores.
«Contribuir para a promoção do nosso País enquanto destino turístico, tem sido, no âmbito das nossas relações internacionais, um dos pilares da atuação da APAVT. Fazê-lo, dando resposta ao acordo ibérico assinado com a nossa congénere CEAV, e envolvendo os Açores, que já foi nosso “Destino Preferido”, é, sem dúvida, circunstância especial de contentamento», afirma o presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, acrescentando que «existe enorme curiosidade da parte do trade espanhol, e grande entusiasmo por parte da Região Autónoma dos Açores. Só posso prever um enorme sucesso para este evento, traduzido em aumento da procura deste arquipélago por parte do mercado emissor espanhol».
Por seu lado, a Secretária da Energia, Ambiente e Turismo dos Açores, Marta Guerreiro, afirma que «a realização deste encontro reveste-se da maior importância para a promoção do destino, sendo, sem dúvida, mais uma oportunidade de os Açores e, em particular da ilha Terceira, se darem a experienciar através das emoções que hoje se podem vivenciar no arquipélago, cada vez mais ativo e reconhecido da Europa em qualquer altura do ano».
Finalmente, para o presidente da CAV, Rafael Gallego, «o objetivo da Confederação com estas Jornadas é a profissionalização do Agente de Viagens através da formação no Destino. Em particular, para que posteriormente o agente, já especializado nesse Destino, possa dispor de uma nova proposta, totalmente atualizada, para oferecer ao cliente final. Estas Jornadas vão “mergulhar” o agente de viagens na cultura, história, natureza e gastronomia do destino».

0

A Azores Airlines está a relançar o seu programa de Stopover nos Açores, que irá permitir aos passageiros das rotas de longo curso permanecerem em São Miguel ou Terceira entre uma e sete noites antes de partirem para o seu destino final.

Gavin Eccles, diretor Comercial da companhia aérea açoriana, afirmou aos jornalista, durante a BTL, que a nova aposta no programa deve-se ao aumento de tráfego sobretudo das rotas a América do Norte, mais propriamente dos EUA e Canadá.

O responsável assegurou que o programa foi criado há cerca de quatro anos, mas “nunca foi devidamente promovido”.

A companhia prepara-se ainda para lançar em breve um novo website para o programa Stopover, que irá contar com parceiros locais que “estão a ser desenvolvidas”, segundo Gavin Eccles.

As rotas que poderão usufruir do Stopover são as de e para Toronto, Montreal, Oakland, Boston e Providence com destino ou origem de Lisboa, Porto, Funchal, Barcelona, Gran Canária, Londres, Frankfurt e Cabo Verde.

A companhia encontra-se na BTL a promover o seu primeiro A321neo, que começou a voar a 27 de janeiro, sendo que a receção do segundo já está programa a para o final de março. A transportadora irá ainda receber quatro A321neo versão long range, com o primeiro a chegar no final de 2019, outro em 2020 e os dois últimos em 2021.

0

“Azores 2017 Towards Sustainability” é o nome da Conferência Internacional que, a 5 e 6 de dezembro, decorre no Nonagon – Parque de Ciência e Tecnologia de São Miguel, na Lagoa. Um evento que tem já lotação esgotada, numa sala com capacidade para 286 lugares. Entre os inscritos, estão grandes empresários do tecido económico dos Açores, associações culturais, parceiros dos Parques Naturais de ilha dos Açores e agentes do setor do turismo.

A sessão de abertura conta com a participação do presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, numa conferência cujo tema é fruto de “uma reflexão cuidada acerca do futuro que se pretende para região. O reconhecimento da afinidade natural entre os setores da Energia, Ambiente e Turismo, é um sinal claro da adoção de uma estratégia de prosperidade firmemente alicerçada nos princípios do desenvolvimento sustentável”, resume o programa, acrescentando que “atendendo à importância de preservar o nosso património natural e cultural, e de ao mesmo tempo criar riqueza equitativa e duradoura; dos imperativos internacionais de governação climática rumo a uma economia global de baixo carbono; e do aumento da pressão populacional no planeta e na região, torna-se imprescindível reforçar a estratégia turística dos Açores com uma orientação clara no sentido do turismo sustentável, adaptado à nossa realidade local e resiliente face aos desafios globais que se nos apresentam”.

Preocupações que vêm dar resposta à crescente procura do destino Açores, que este ano e segundo o diretor regional do Turismo, Filipe Macedo, que falava à Revista Viajar à margem do 29.º Congresso Nacional de Hotelaria e Turismo, que decorreu em Coimbra, deverá ter um crescimento de procura turística “entre os 18 e os 19%”, acrescentando: “Estamos a ter um crescimento da atividade que nos últimos três anos irá representar mais de 70% e a nível de receitas 90%, portanto estamos a conseguir capitalizar em valor também os números relativos à quantidade.”

Açores apostam na formação em 2018

Questionado sobre a falta de recursos humanos e de mão de obra qualificada que se tem verificado um pouco por todo o País, o mesmo dirigente sublinha: “Obviamente que este crescimento cria uma pressão que não existia nos nossos recursos. A parte de infraestruturas não é tão complexa, porque efetivamente estamos a utilizar capacidade que tínhamos instalada e estamos a melhorar índices de ocupação, taxa média de ocupação e de estadia. Agora é natural, e apesar de todo o esforço a nível de formação nos últimos anos, através do Fundo Social Europeu e também do Orçamento da Região, que haja neste momento uma dificuldade em ajustar os recursos humanos. 2018 no próximo plano e orçamento do turismo vai ter um reforço nesta vertente e vamos tentar fazer mais formação e muito direcionada. A formação inicial já é feita pelo Fundo Social Europeu, mas vamos tentar insistir mais na requalificação de formação, como por exemplo a ativos que estejam noutros setores e que queiram migrar para o setor de turismo e também fazer formação de ativos no turismo para se ajustarem às novas realidades, uma vez que é notório que o nosso mix de turista, de visitante, não é propriamente o mesmo de há 5 anos.”

Na mesma ocasião Filipe Macedo avançou ainda que o arquipélago açoriano vai contar com um reforço de unidades hoteleiras entre 2019 e 2020. Unidades de menor dimensão, que segundo o diretor regional de Turismo estarão espalhadas por diversas ilhas, com menor incidência em São Miguel, uma vez que a ilha já conta com vários hotéis.

Já no que diz respeito à sustentabilidade do destino, Filipe Macedo reforça que a Conferência “Azores 2017 Towards Sustainability” é um exemplo das atenções que estão a dar ao tema: “É ponto assente que vamos dedicar muita atenção às questões da sustentabilidade, nomeadamente à proteção ambiental sim, ao desenvolvimento económico também e depois nunca deixando a vertente do social, porque na realidade é preciso gerir o equilíbrio a quem nos visita e a quem lá está.”

Programa da Conferência

“Turismo para o Futuro do Planeta: A Visão da Organização Mundial de Turismo”, que será apresentado por Christopher Imbsen, da Organização Mundial de Turismo, “Critérios Global Sustainable Tourism Council para Destinos Sustentáveis”, por Luigi Cabrini, presidente do Global Sustainable Tourism Council, “Gestão de Destinos Sustentáveis”, com a participação de David Simmons, Professor de Turismo na Universidade de Lincoln e Presidente do Eartcheck Global Research Institute (Austrália) são os temas e oradores das palestras. Os trabalhos contam ainda com duas sessões de speed networking sobre “Líderes de Turismo Sustentável nos Açores” e “Líderes de Turismo Sustentável em Portugal e no Mundo”, assim como a participação de Marta Guerreiro, secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo, Ana Mendes Godinho, secretária de Estado do Turismo, entre outros.

0

Foi com evidente surpresa que a delegada da Direcção Regional do Turismo dos Açores em Lisboa, Cristina Ávila, recebeu, em Macau, durante o 43° Congresso da APAVT, o título de membro honorário da associação pelas mãos do presidente da mesma, Pedro Costa Ferreira.
Este título foi atribuído à profissional pelo seu contributo para o desenvolvimento turístico dos Açores, pela sua dedicação para com o setor do turismo e ainda pelo relacionamento que mantém com a APAVT e os agentes de viagens portugueses.

 

por Sílvia Guimarães – em Macau a convite da APAVT

0

O SNPVAC – Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil vem esclarecer, em comunicado, que o voo de ontem, 24 de agosto, da Azores Airlines/SATA Internacional, o S4 235, que deveria ter descolado da ilha Terceira com destino a Boston, não foi realizado porque, “ao abrigo da Lei Portuguesa e do Regulamento da Comissão Europeia (EU) n.º 83/2014, o Tempo Máximo de Trabalho diário do Comandante desse voo seria ultrapassado, caso descolasse”.

“Lamentamos que, mais uma vez, os Tripulantes de Cabine tenham sido utilizados para justificar mais um erro de planeamento das estruturas operacionais da SATA”, diz ainda o Sindicato, relembrando que caso o Comandante desse voo “tivesse realizado, o mesmo teria perdido a sua licença de voo e, consequentemente, a SATA poderia ficar inibida de voar para o Estados Unidos da América do Norte”.

“Infelizmente, a SATA continua sem assumir os seus erros reiterados, que este Sindicato há tanto tempo vem denunciando, e transforma em bode expiatório aqueles que não têm culpa, os seus Trabalhadores”, lê-se no mesmo comunicado.