“O Web Summit 2016 é nosso!”

“O Web Summit 2016 é nosso!”

0

Por todo o mundo, e nos últimos anos, tem-se assistido a um assinalável crescimento da comunidade startup. Este poderá ser o resultado de uma cultura de estímulo ao empreendedorismo e ao arrojo, sustentada em conceitos como a inovação e no “pensar fora da caixa”. Sendo certo o fenómeno da globalização e a rapidez da evolução da tecnologia, é importante “pensar diferente”, “fugir à normalidade”, oferecer “soluções novas”, “diferenciadoras”. E esta é uma cultura que deve ser fomentada desde muito cedo, nas famílias, nas escolas e na sociedade em geral. Só assim será possível preparar as novas gerações para este que é o maior desafio que se lhes coloca: como se poderão afirmar, consolidar e ter sucesso num mercado com estas características, de enorme competitividade, e de rápidas e permanentes mudanças.

De acordo com dados da Informa D&B (empresa que, em Portugal e Espanha, é especialista de informação e conhecimento sobre o tecido empresarial), surgiram em Portugal, em cerca de 12 meses (março 2015 a fevereiro 2016), 37.999 startups, cerca de mais 3,3% do que no ano anterior. É importante destacar que cerca de 2,5% das mesmas são de caráter tecnológico. O setor dos serviços é o que mais se destaca no que respeita ao número de startups criadas, no entanto, setores como agricultura, pesca e caça aumentaram em 40% comparando com período homólogo.

Ainda que, compreensivelmente, atrás de distritos como Lisboa e Porto, o distrito de Aveiro – com uma Universidade que ocupa um lugar de destaque no ranking mundial das universidades com melhor prestação em termos de produção científica e tecnológica –, concentra 27 mil empresas e outras organizações, representando cerca de 6,2% em termos nacionais, à frente de Setúbal (5,8%), Leiria e Faro (ambas com 4,7%).

É com satisfação que verificamos que no Centro de Portugal esta tendência de crescimento também se verifica, realidade a que procuramos estar atentos e estimular, em particular, as “jovens” empresas e empresários, do setor do turismo.

Leia o artigo completo na edição de outubro (nº 354) da VIAJAR MAGAZINE – Disponível online

SEM COMENTÁRIO

Leave a Reply