Quinta-feira, Junho 20, 2019
Tags Post com a tag "Pedro Machado"

Pedro Machado

0

Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, foi homenageado ontem à noite pela Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), que lhe atribuiu o prémio Excelência – Personalidade do Ano 2018, na gala dos Prémios AHRESP. O evento decorreu no Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa.

A gala dos Prémios AHRESP é um evento que distingue anualmente os Melhores do Ano nos setores da Hotelaria, Restauração e Promoção Turística, em Portugal.

Pedro Machado agradeceu a distinção à AHRESP, “na pessoa do seu presidente, Comendador Mário Pereira Gonçalves” e dedicou-o aos “amigos, colegas do Turismo Centro de Portugal e todos quantos contribuem com espírito e ação positivos para uma região Centro e um Portugal melhor”.

Na gala foi também premiada uma unidade turística de referência do Centro de Portugal: o Chão do Rio – Turismo de Aldeia, em Travancinha, Seia, venceu na categoria Sustentabilidade Ambiental.

0

Foram eleitos hoje os órgãos sociais da Agência Regional de Promoção Turística Centro de Portugal (ARPTC) para o triénio 2019-21. A ARPTC é uma entidade público-privada, sem fins lucrativos, que se destina à promoção externa do território do Centro de Portugal.

As eleições decorreram no Viseu Welcome Center, tendo concorrido apenas uma lista, liderada pelo anterior presidente, Pedro Machado, que foi assim reeleito no cargo para mais três anos. Como vice-presidente continua igualmente Jorge Loureiro.Paulo Fernandes foi reconduzido como presidente da Assembleia-Geral.

“É com renovado sentido de missão que esta lista recebe o voto de confiança dos nossos parceiros na Assembleia Geral da ARPTC para mais um triénio. Vão ser três anos de trabalho intenso, em que queremos dar a conhecer o Centro de Portugal a cada vez mais viajantes, em todos os cantos do mundo”, considerou Pedro Machado, após a tomada de posse. “O Centro de Portugal, como o país, enfrenta novos desafios, provocados pela conjuntura internacional. Encaramo-los como um estímulo e uma oportunidade para fazer crescer a notoriedade da região. Estamos certos de que os bons resultados vão continuar e agradecemos a quem confia em nós para essa tarefa”, acrescentou Pedro Machado que, recorde-se, é igualmente presidente do Turismo Centro de Portugal.

Principais linhas de orientação estratégica

A estratégia para 2019-2021 apresentada pela lista candidata foi validada pelo universo eleitoral, constituído pelos membros da assembleia geral da ARPCT. Os princípios em que assenta a estratégia têm como eixo fundamental impulsionar a região Centro de Portugal como um território em afirmação turística. Nesse sentido, um dos objetivos expressos consiste em “alavancar o desenvolvimento turístico da região, de forma a aumentar o número de hóspedes e a estada média”.

A ARPCT sublinha que a procura turística da região Centro de Portugal “está, em grande medida, relacionada com o mar, o touring e as atividades relacionadas com o bem-estar e a natureza”. Na oferta associada ao touring, a ARPCT considera ser de particular relevância a melhoria da experiência turística no património edificado, em particular dos quatro sítios/monumentos Património Mundial, bem como a valorização do património associado a contextos paisagísticos. “A oferta de surf é muito relevante e agrega valor a toda a região, pelo que se justifica que seja uma âncora”, sustenta também a ARPCT.

São três as principais Linhas de Orientação Estratégicas e Operacionais apresentadas pela candidatura. A primeira incide no “desenvolvimento de produto relacionado com as atividades de natureza, como walkingcycling e atividades náuticas, designadamente as que se realizam em albufeiras e rios, que têm uma grande procura internacional e que permitem disseminar fluxos turísticos para o interior da região”. A segunda Linha de Orientação destaca o Turismo Religioso, com “a consolidação dos eixos Fátima e Caminhos de Santiago, bem como a valorização e promoção do património judaico”. A terceira pretende “propiciar a inclusão de ações de captação de turismo M&I (reuniões, conferências e grandes eventos internacionais) para a região. Neste âmbito a constituição de um Convention Bureau com uma participação ativa da ARPCT é determinante”.

Lista completa

É a seguinte a composição dos órgãos sociais da Agência Regional de Promoção Turística Centro de Portugal para o triénio 2019-21.

Direção
Presidente
Pedro Manuel Monteiro Machado – Entidade Regional de Turismo Centro de Portugal
Vice-presidente
Jorge Manuel da Silva Almeida “Loureiro” – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal
Vogais
José Eduardo Arimateia Antunes – Empreendimentos Turísticos Montebelo – Sociedade de Turismo e Recreio SA
António Luís Vaz da Veiga Camões – NATURA IMB HOTELS
Alexandre Marto Pereira – Fátima Hotels Group
Cristina Maria de Jesus Durães – Hotel Moliceiro
João Manuel Pinto Pereira Tomás – Casas da Senhora da Estrela – Turismo Rural Lda.
Luís Miguel Rodrigo Sousinha – Hotel Maré – António Carepa Sousinha & Filhos Lda.
Maria Salomé dos Santos Costa – Aveiro City Lodge / The Bohemian Place – Sonetos d’Avenida – Actividades Hoteleiras, Lda
Vítor Jorge Paiva Leal – Termalistur – Termas de S. Pedro do Sul
Vítor Manuel Osório Gonçalves – Associação Portuguesa das Agências de Viagem e Turismo

Suplentes
Nuno Manuel Gouveia Alegre – Alegre Hotel – Alegre Hotel Bussaco – Nuno Manuel Alegre
Rui Fernando Anastácio Henriques – Letras e Borboletas – Ecoturismo Lda.

Mesa da Assembleia-Geral
Presidente
Paulo Alexandre de Faria Fernandes – Grupo NOV Turismo, E.H. Hotéis e Turismo SGPS, S.A.
Secretário
João Paulo Romão de Faria e Sampaio – Marialvamed Turismo Histórico e Lazer Lda – Casas do Coro TER
Vogal
Alexandre Pereira de Almeida – Hotéis Alexandre d’ Almeida, Lda

Conselho Fiscal
Presidente
Margarida Ferreira dos Santos – Hotel Grão Vasco
1.º Vogal
Victor Fernando Oliveira Claro – Sociedade Marialvotel, Lda.
2.º Vogal
Hélder Edgar Almeida – Restaurante Muralha da Sé – Hélder Edgar Almeida, Unipessoal Lda.
Suplente
Pedro José de Sousa Brilhante Pedrosa – Y Travel Lda. – Empresa de Animação Turística e Agência de Viagens e Turismo

0

Fátima Vila Maior, diretora de Feiras da FIL – Feira Internacional de Lisboa, acaba de anunciar, à margem do 43° Congresso da APAVT, que está a ter lugar em Macau, que o Centro de Portugal é o destino convidado da BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa no próximo ano.
A responsável adiantou, em conferência de imprensa, que, após os incêndios de junho e outubro que assolaram a maior região turística de Portugal, pretende-se que, por ocasião da BTL, “Lisboa viva o destino Centro de Portugal”, até porque este é o destino “que tem uma oferta enorme e muito diversificada”, que vai muito além das áreas afetadas pelos incêndios.
Pedro Machado, presidente da Turismo do Centro, adiantou, na mesma ocasião, que a aposta da região naquele que é o maior certame do turismo no país irá centrar-se mais em “produtos e experiências”, com destaque para o “património cultural e património imaterial”.
“Precisamos urgentemente de mudar a perceção que o destino Centro de Portugal foi todo atingido [pelos incêndios] e que neste momento não reúne condições para a fruição turística. A nossa primeira grande prioridade é mudar essa ideia de que o destino não deixou de reunir condições para receber todos os turistas, nacionais e estrangeiros. É importante dizer ao mercado interno que o Centro continua com infraestruturas, com equipamento, com oferta, com produtos, com marcas que podem e devem continuar a ser promovidos e que está em perfeitas condições para poder continuar a afirmar-se como um destino turístico”, adiantou o profissional.
Pedro Machado considera importante apostar “numa diferenciação”, através de uma “panóplias de produtos turísticos que permitam a região chegar a vários públicos, trabalhando com vários mercados em simultâneo (…) e apresentando-se como uma alternativa a destinos mais massificados”.
O presidente da Centro de Portugal afirmou ainda que irão dar destaque, durante a BTL, aos segmentos de saúde, bem-estar e turismo médico, assim como o turismo religioso.
Pedro Machado deixou presente à vontade de continuar a parceira com a APAVT, até porque é o Destino Preferido da associação em 2017, para poderem assim “reforçar a relação com as agências de viagens”.
Destacando que o Centro foi a região que mais cresceu, do ponto de vista percentual, em dormidas, com uma vantagem de cerca três vezes do que cresce a média nacional, Pedro Machado diz que a perspetiva para 2018 passa por “confirmar” esse crescimento.

 

por Sílvia Guimarães – em Macau a convite da APAVT

0

O Turismo Centro de Portugal (TCP) venceu um prestigiante prémio no Festival Internacional de Cinema de Turismo de Istambul, que decorreu entre 14 e 17 de junho, na cidade da Turquia. O TCP ganhou o galardão de Melhor Filme, na categoria de Destinos Turísticos, com o filme promocional “Turismo Centro de Portugal – Destino Preferido da ECTAA em 2017”.

Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, foi quem recebeu o prémio, que dedica às vítimas dos incêndios na Região Centro: “Este prémio surge num contexto de enorme adversidade para Portugal, em particular para a Região Centro de Portugal, dado ter sido entregue nas vésperas da enorme tragédia que assolou vários concelhos, de forma mais significativa em Pedrogão Grande. Assim, permitam-me que o dedique, inteiramente, a uma região e a uma população que não se resignam, apesar de todas as adversidades. Em especial, a todos os que perderam as suas vidas, bem como àqueles que, com alma e resiliência, estão já a trabalhar para fazer renascer a esperança e a recuperar o seu presente e o seu futuro”.

O mesmo filme, produzido pela Slideshow e realizado por Sara Reis para o Turismo Centro de Portugal, já tinha sido um dos grandes vencedores do Festival ART&TUR 2016, onde arrecadou o “Grand Prix – Nacional”, entre 109 filmes de produção nacional, e o 1.º Prémio na categoria “Destinos Turísticos – Região”.

“Termos ganho este prémio no Festival Internacional de Filmes de Turismo de Istambul é mais um sinal de reconhecimento, que reforça o posicionamento, nacional e internacional, da marca Centro de Portugal. Trata-se de um filme que já tinha sido premiado em duas das principais categorias do “ART&TUR”, realizado em Portugal, em 2016. O facto de ganharmos o prémio em Istambul representa uma forma incontornável e poderosa de promoção, em particular, no mercado internacional, pela projeção e o alcance destes circuitos. É mais um resultado positivo, a somar a tantos outros que, felizmente, são o resultado de uma estratégia bem delineada e de um trajeto que, paulatinamente, temos vindo consolidar desde há alguns anos a esta parte.​ Acreditamos que será desta forma que contribuiremos, de forma significativa, para partilhar, com Portugal e com o Mundo, o nosso Centro de Portugal, deixando-lhes o convite para que o tornem também seu”, considera Pedro Machado.

0

“Esta agenda assenta essencialmente na discussão do mercado interno. Quererá isto dizer que o Turismo Centro e a Agência de Promoção Externa do Centro de Portugal não têm motivações nem preocupações com o mercado externo?”, foi assim que Pedro Machado, Presidente do Turismo Centro de Portugal iniciou esta segunda-feira, 29 de maio, aquele que é já o 4º Fórum Turismo Interno “Vê Portugal”. Um congresso que, até ao próximo dia 31, discute em Leiria, um conjunto de iniciativas e preocupações deste sector em Portugal.
À questão colocada Pedro Machado responde com um “sim, por isso acompanhamos o trabalho que está a ser feito do ponto de vista nacional sobre a valorização da importância da internacionalização de todos os agentes envolvidos neste processo, mas entendemos que é muito importante não escamotear aquilo que verdadeiramente representa o mercado interno” e recordou que entre o primeiro fórum e o terceiro “percebemos algumas conclusões do Vê Portugal, que ainda hoje se mantêm válidas, existe uma consciência coletiva para a importância económica para o que é o Turismo em Portugal e que a atividade económica do Turismo não se esgota apenas naquilo a que normalmente associamos como atividade direta.”
“Se pensarmos nas atividades culturais que representam 16% da nossa indústria nacional, as agências de viagens 2,1%, os transportes 10,2%, o alojamento 6%, a restauração e bebidas 64% daquilo que é a atividade económica da Região Centro, facilmente percebemos como se mantêm válidas as premissas de uma abordagem àquilo a que significa o mercado interno”, sublinhou o mesmo responsável, perante a plateia do Teatro Lúcio da Silva.
O Presidente de Turismo do Centro de Portugal revelou ainda que durante a última reunião com a Confederação do Turismo de Portugal, que se realizou na passada semana, foram divulgados dados que “também nos obrigam a refletir sobre a importância que o mercado interno representa a par do mercado externo. Se pensarmos que em 2016 o Centro de Portugal valeu 270 milhões de euros em hotelaria, praticamente 100 milhões de euros em viagens, 40 milhões de euros entre jogo e casino e 1000 milhões de euros em restauração e bebidas, são números suficientemente fortes, que estão para além das estatísticas que normalmente recebemos sobre aquilo que é hoje a importância dos mercados emissores, mas acho que é relevante levarmos esta discussão por diante, quando se trata daquilo que é o mercado comprovar os objetivos.”
Segundo Pedro Machado, em 2016 “tivemos 38 milhões de dormidas de turistas estrangeiros e cerca de 15 milhões de dormidas de turistas nacionais, o que significa que estamos a falar num total de 11,4 milhões de hóspedes estrangeiros e praticamente 7,6 milhões de hóspedes portugueses. Se fizéssemos uma comparação percentual relativa sobre o investimento que a marca Portugal faz nos vários mercados e a correspondente participação financeira que faz no mercado nacional, perceberíamos, por exemplo, que contra os 7,6 milhões de hóspedes nacionais nós vamos buscar ao nosso principal mercado externo que é o Reino Unido 1,9 milhões de turistas. Vamos buscar à Alemanha 1,2 milhões de turistas e 624 mil turistas brasileiros, o que significa que o mercado interno, à falta de outra consideração, é objetivamente o nosso primeiro mercado.”
Para o mesmo responsável é sobre este mercado que “deve assentar também prioritariamente a ação, seja da marca Portugal, seja em concreto daquilo que é a função das organizações regionais, e é por isso que estamos a trabalhar e dar um passo em frente, comparativamente com aquilo que foi durante muitos anos, o paradigma da promoção turística do nosso país.”

 

* Leia o artigo completo na próxima edição da Revista Viajar

0

A tomada de posse como membro do Conselho Geral do Instituto Politécnico de Viseu (IPV), para o qual tinha sido proposto pelos representantes académicos, decorreu esta quinta-feira. Também os elementos do Conselho Geral elegeram como seu presidente António Correia de Campos, antigo ministro da Saúde e atual presidente do Conselho Económico Social.

O IPV, unidade de referência na região, integra 5.000 alunos e 360 professores e é composto por cinco escolas superiores: Escola Superior de Educação, Escola Superior de Tecnologia e Gestão, Escola Superior Agrária, Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego e Escola Superior de Saúde.

O Conselho Geral é o órgão máximo do IPV. Entre outras atribuições, estabelece as normas de funcionamento do Instituto, aprova os planos de atividades e define as medidas adequadas ao funcionamento das unidades orgânicas do Instituto. É composto por representantes de docentes, estudantes, funcionários e por nove personalidades externas de reconhecido mérito não pertencentes à instituição, com conhecimentos e experiência relevantes para o Instituto. Foi nesta qualidade de personalidades externas que Pedro Machado e Correia de Campos, entre outros, foram convidados, e aceitaram, integrar o órgão.

“Fiquei extremamente honrado com o convite para integrar o Conselho Geral do Instituto Politécnico de Viseu, ao lado de personalidades de tanto valor e prestígio. Tudo farei para que a minha experiência e conhecimentos adquiridos ao longo de dez anos como responsável pela Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal possam ser úteis para o desenvolvimento do Instituto Politécnico de Viseu, instituição que tem muito para dar ao Centro de Portugal e ao país”, considerou Pedro Machado.

0

Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, passou a integrar, no dia 29 de março, o Conselho do Departamento de Economia, Gestão, Engenharia Industrial e Turismo (DEGEIT) da Universidade de Aveiro.

O DEGEIT é o maior Departamento da Universidade de Aveiro em número de alunos – 1500 diretos, aos quais se juntam, em algumas cadeiras, centenas de discentes de outros departamentos. É uma unidade orgânica de ensino e investigação, com autonomia dentro da Universidade. No presente ano letivo apresenta quatro cursos de 1.º Ciclo (Economia; Engenharia e Gestão Industrial; Gestão; Turismo), cinco cursos de 2.º Ciclo (Economia; Engenharia e Gestão Industrial; Gestão; Sistemas Energéticos Sustentáveis) e quatro cursos de 3.º Ciclo (Contabilidade; Engenharia e Gestão Industrial; Marketing e Estratégia; Turismo).

O Conselho do Departamento, entre outras atribuições, pronuncia-se, a título consultivo, sobre os planos de estudo dos vários ciclos, a composição dos júris das provas e de concursos académicos e sobre o plano, orçamento e relatório de atividades do DEGEIT. É composto por representantes de docentes, estudantes, pessoal não docente e duas personalidades externas, cooptadas pelos restantes membros. Foi nesta qualidade de personalidade externa que Pedro Machado foi convidado, e aceitou, integrar o órgão.

“Foi com muita orgulho que aceitei integrar o Conselho do Departamento do DEGEIT da Universidade de Aveiro. Este departamento é responsável por um dos mais prestigiados cursos de Turismo do país, pelo que vejo como potencialmente enriquecedora a minha participação no órgão consultivo. Espero que a minha experiência de dez anos como responsável pela Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal possa igualmente ser útil à DEGEIT”, considerou Pedro Machado.

0

Ano após ano, governo após governo, o tema da “descentralização” impõe-se, recorrentemente, na ordem do dia. O “Documento Orientador Descentralização Aprofundar a Democracia Local”, foi um dos primeiros documentos que o atual governo lançou sobre o assunto, onde são apresentados um conjunto de pressupostos para concretizar esta reforma. Nele, refere-se que as Comunidades Intermunicipais (CIMs) serão um “instrumento de reforço da cooperação intermunicipal, em articulação com o novo modelo de governação regional resultante da democratização das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regionais (CCDRs) da criação de autarquias metropolitanas,” e pretende assim rever “as atribuições, os órgãos e modelos de governação e de prestação de contas”. De acordo com este documento, a “promoção turística”, seria uma das competências a transferir da administração central para as CIMs.

Com o tema da descentralização de competências para as autarquias locais e entidades intermunicipais no topo da agenda, foi solicitado, recentemente, o parecer à Associação Nacional de Municípios Portugueses sobre a proposta de lei sobre descentralização defendida pelo Governo. Este documento contempla uma proposta de restruturação das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) que, entre outros aspetos, passam a ser eleitas pelo conjunto dos autarcas das regiões. Em reunião do Conselho de Concertação Territorial (do passado dia 08 de fevereiro), decidiu-se que os presidentes das CCDR serão eleitos pelos autarcas das regiões já em 2018, mantendo as mesmas competências, acumulando a responsabilidade dos fundos europeus regionais.

Esta proposta pressupõe a descentralização de competências para autarquias e entidades intermunicipais prevendo a transferência nos domínios, entre outros, da educação, formação profissional, ação social, saúde, proteção civil, cultura, património, habitação, áreas ribeirinhas ou marítimas fora da atividade portuária e gestão territorial.

por Pedro Machado, presidente da Turismo do Centro

Leia o artigo completo na edição de março (nº 359) da VIAJAR – Disponível online (aqui)

0

De acordo com Pedro Machado, presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal, “foi com enorme satisfação e regozijo que recebemos hoje a confirmação através de comunicado da Presidência da República, da deslocação do Papa Francisco a Fátima, nos dias 12 e 13 de maio de 2017, no âmbito do Centenário das Aparições”.

A Turismo Centro de Portugal associa-se a este evento através de todo um conjunto de ações a realizar, nomeadamente e em particular, a produção de um vídeo promocional sobre o produto “Turismo Religioso”, estratégico para o Centro de Portugal, e que, no âmbito de uma parceria com o grupo Solférias, irá ser transmitido nos voos charter que a TAP organiza para várias cidades do Brasil, no período de Natal e de Fim de Ano, pretendendo atingir milhares de passageiros.

O referido vídeo será oficialmente apresentado em Fátima, na quinta-feira, dia 22 de dezembro, altura em que será igualmente assinado um protocolo de colaboração entre a Turismo Centro de Portugal e a ACISO – Associação Empresarial Fátima-Ourém.

Por esta ocasião, serão conhecidas todas as medidas e atividades a desenvolver e a implementar com vista à promoção conjunta do projeto “Fátima 2017 – Ações para consolidar uma marca”.

0

O presidente da ERT Centro de Portugal, Pedro Machado, visitou nos dias 20 e 21 de outubro, a região da Estremadura, em Espanha, a convite do diretor-geral de Turismo da Estremadura, Francisco Martín Simón, com o objetivo de reforçar uma parceria estratégica de cooperação entre ambas as instituições, na promoção turística do Centro de Portugal e da Estremadura.

Francisco Martín-Simón aproveitou para apresentar o “I Plano Concertado de Promoção Turística da Estremadura 2016”, um documento que, na sua elaboração, envolveu pela primeira vez, entidades públicas e privadas. Apresentou, igualmente, as Jornadas Profissionais “Extremadura Gourmet”, que procuram gerar conhecimento para os empresários da região e ser um mote para a partilha de experiências inovadoras da Estremadura, mas também de outras regiões.

Reconhecendo a inovação, diversificação e especialização de alguns projetos da Região Centro Portugal, e a convite de Pedro Machado, estão já confirmados nestas jornadas, nomes como: Jorge Sampaio, Presidente Associação Rota da Bairrada, bem como, um representante da Rota do Dão (Jornadas Vinho, a 22 novembro, em Almendalejo); Paulo Fernandes, Presidente Câmara Municipal do Fundão (Jornadas da Cereja e Pimentão, a 08 novembro, em Jarandilla de la Vera); Filomena Pinheiro, Diretora Departamento Operações Turísticas da TCP (Jornadas Sabores Gourmet, a 29 novembro, em Plasencia).

Também no âmbito do I Encontro Iberoamericano sobre Turismo Rural, que se realizará em Mérida, de 03 a 05 de novembro (Palácio de Congressos e Exposições), o empresário Paulo Romão, das Casas do Côro, apresentará a 17 de novembro, em Cáceres, este que é um projeto turístico diferenciador e de reconhecida qualidade, na valorização do território.

Reconhecendo a importância da aproximação entre ambas as regiões, esta parceria pretende efetivar-se noutras valências, em particular, na estruturação e promoção de rotas, num mapa transfronteiriço, onde se promova o Turismo Cultural (em particular, o Património Mundial da UNESCO), o Turismo Ativo e de Natureza, o Golfe, o MICE, e a Gastronomia e Vinhos.

Pedro Machado aproveitou o encontro com o Francisco Martín-Simón, em Mérida, cidade onde decorre o Festival Internacional de Teatro Clássico de Mérida (um dos mais importantes do seu género), para apresentar as mais-valias de uma cooperação futura com o município de Condeixa, onde se encontram as ruínas romanas de Conimbriga (a principal estação arqueológica portuguesa), bem como, o Museu Monográfico e o PO.RO.S., Centro de Interpretação Dedicado ao Romano.