Terça-feira, Fevereiro 18, 2020
Tags Post com a tag "Algarve"

Algarve

0

O mercado britânico registou a principal descida (-16,3%) no mês de agosto no Algarve, segundo dados provisórios da AHETA – Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve. Uma descida atribuída à desvalorização da libra em 15% no último ano.

Por seu lado, o mercado nacional registou a maior subida (+10,0%), contrariando assim a tendência observada no último ano. Também o mercado alemão registou uma subida de +4,6%.

De realçar ainda as subidas registadas nos mercados com menor expressão, designadamente Polónia, França, Suécia, Bélgica, Dinamarca, Itália e todos os outros.

No que diz respeito à taxa de ocupação média/quarto, os mesmos dados da AHETA registam 93,9%, tendo-se situado ao nível do ano anterior.

Por zonas geográficas, as maiores subidas ocorreram nas zonas de Faro / Olhão (+4,1%) e Carvoeiro / Armação de Pêra (+2,3%). A maior descida verificou-se em Vilamoura / Quarteira / Quinta do Lago (‑3,1%), enquanto Albufeira, a principal zona turística do Algarve, registou uma subida de 1,7%.

Quanto ao volume de vendas aumentou 3,8 por cento durante o mês de agosto. Em termos acumulados, desde o início do ano, a taxa de ocupação quarto regista uma subida de 2,2% e o volume de negócios um crescimento acumulado de 9,1%.

0
Vítor Aleixo, Pres. Câmara Municipal de Loulé; Ilpo Kokila, Pontos Group; e Ville Tallbacka, Ombria Resort.

Fica a oito quilómetros de Loulé e a 20 quilómetros das praias e do aeroporto de Faro, no Algarve, chama-se Ombria Resort e conta com 153 hectares de terreno. Um investimento de 260 milhões de euros do Grupo Pontos, um fundo finlandês de private equity, que na passada sexta-feira, 25 de agosto, celebrou o lançamento da primeira pedra deste projeto, que deverá estar concluído em 2019.

Situado perto da paisagem protegida da Fonte Benémola e de aldeias típicas como Querença e Tôr, este complexo turístico, respeitará os mais elevados padrões internacionais de qualidade, cujo objetivo é ser pioneiro de uma nova geração de resorts em que o meio ambiente, a responsabilidade social e o apoio à natureza e património local são prioridades. Conceito e design arquitetónico de baixa densidade, serviço de alta qualidade, atividades indoor e outdoor e instalações de última geração serão os motores para alcançar estas metas.

Para já e numa primeira fase, o Ombria Resort inclui as infraestruturas e o campo de golfe de 18 buracos, já em construção desde outubro de 2016, contempla ainda o Viceroy at Ombria Resort, de 5 estrelas, com 76 quartos e as Viceroy Residences at Ombria Resort, que incluem 65 residências turísticas. O complexo hoteleiro inclui também um clubhouse, um centro de conferências, 5 restaurantes, spa, kids club, um observatório astronómico, piscinas aquecidas e várias outras instalações de lazer e fitness. Esta será, aliás, a primeira unidade da marca americana Viceroy Hotels & Resorts em Portugal.

Nesta primeira fase do projeto serão investidos 100 milhões de euros, mas o total do investimento, nas três fases previstas, irá ultrapassar os 260 milhões de euros, com o investidor Grupo Pontos a realizar este investimento com 60% em capitais próprios. Um cenário pouco usual e que atesta o compromisso do investidor em realizar o projeto dentro dos prazos estipulados.

Na cerimónia de lançamento da primeira pedra, em que estiveram presentes para além dos responsáveis ligados ao Ombria Resort –  Ilpo Kokkila (Chairman Pontos Group), Timo Kokkila (CEO Pontos Group), Anton Bawab (Regional President EMEA Viceroy Hotel Group), Ville Tallbacka (Diretor Ombria Resort), Julio Delgado (CEO Ombria Resort) – também a Secretária de Estado do Turismo, Ana Godinho, o Presidente da Câmara de Loulé, Vítor Aleixo e o presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva, entre outras entidades.

Ilpo Kokkila, Chairman do Pontos Group, mostrou a sua satisfação por esta nova etapa ao afirmar: “Estamos entusiasmados com o progresso do nosso projeto e estamos aqui, hoje, para celebrar, pois finalmente chegou o momento de começar. Foram 20 anos de trabalho árduo que concentraram muitos recursos e energias. Apesar dos riscos que assumimos, mantivemos sempre o foco neste projeto porque sempre acreditamos no Algarve e em Portugal”.

O mesmo responsável criticou a lentidão do processo burocrático em torno deste projeto, apesar de garantir que a cooperação com a autarquia local e as autoridades competentes “seja excelentes, mas o atraso deste processo é inacreditável. Esta morosidade prejudica gravemente o progresso no país.”

“A beleza natural das paisagens faz com que o nosso principal objetivo seja assegurar que este projeto seja altamente sustentável. Um dos nossos compromissos é também que o Ombria Resort seja totalmente aberto às populações locais. É nosso propósito trabalhar em conjunto com as pessoas e empresas das localidades circundantes, dando-lhes assim a oportunidade de usufruir, trabalhar ou fazer negócio”, refere ainda Ilpo Kokkila.

Também a Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, recordou ter participado neste projeto há 10 anos: “Foi um processo difícil, complicado, mas que teve a capacidade de pôr todas as pessoas a falar em conjunto, a ver que havia problemas, a identificá-los e a encontrar soluções através do diálogo. E é isso que está a marcar o nosso panorama hoje em Portugal. Estamos a crescer acima da Europa, a nossa economia está a crescer a um ritmo de 2,8%, o desemprego baixou aos níveis de 8,8% mais baixo que na Europa e estamos a um ritmo de procura dos investidores por Portugal, porque neste momento acreditam no que está a acontecer no país e nesta mudança de paradigma.”

A mesma responsável relembrou ainda que são projetos destes que trazem ao Algarve mais do que sol e praia: “O que estamos a sentir é que este crescimento se nota cada vez mais ao longo do ano, numa sustentabilidade que garante que a atividade tem capacidade de criar emprego ao longo de todo o ano e não é apenas sazonal. O Algarve é também disso exemplo e tem demonstrado essa capacidade. Em 2016 dois terços do crescimento da procura das dormidas aconteceu na época baixa no Algarve. Este ano no primeiro semestre temos mais 600 mil dormidas, de janeiro a junho, no Algarve e com grande crescimento também no tráfego aéreo, num grande trabalho articulado entre aeroporto, promotores e entidades públicas, no sentido de trabalharmos cada vez mais em conjunto no desenvolvimento sustentável da atividade turística ao longo de todo o ano e de todo o território. Também no Algarve o turismo claramente contribuiu para que fosse a região onde o emprego mais diminuiu, cerca de 29,6%. Ora isto não cai do céu, isto resulta de um trabalho de todos e de há muitos anos.”

“Acredito muito neste projeto, porque pode ser aqui uma âncora fundamental também para a promoção da coesão territorial que tanto precisamos, para mostrarmos que o Algarve não é só sol e praia, mas temos de mostrar os novos produtos”, remata.

Para Julio Degado, CEO do Ombria Resort, “este é um projeto inovador e ímpar em Portugal, é um empreendimento turístico de nova geração que visa afirmar-se como uma referência do setor no Algarve e no Sul da Europa. A sua localização única, a sua envolvente natural, com colinas e ribeiras, e o contacto com o verdadeiro Algarve permitem posicionar o nosso resort de forma diferenciadora. O Ombria Resort vai oferecer um estilo de vida singular, combinando sofisticação com experiências autênticas”.

À margem da cerimónia do lançamento da primeira pedra do projeto, o presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva, disse à Revista Viajar que este é um investimento “bom para o Algarve, porque é no interior e embora tenham sido necessários tantos anos para o pôr de pé é um projeto que traz uma oferta de um produto diferente. Temos uma região onde obviamente a questão maior é a preocupação de sustentabilidade. Sabemos que durante muitos anos nos focámos muito no sol e praia e no mar e no golfe, mas muito na fatia do litoral, ora é evidente que a preocupação da Região de Turismo é muito de desfocar um pouco o litoral, ou melhor não desfocando, mas focando a componente do barrocal e da serra e este investimento tem essa particularidade, de trazer riqueza para o barrocal, trazer uma oferta diferente, trazer uma ligação com a comunidade local e mais emprego”.

Ver texto na íntegra na edição em papel

0

A marca VidaMar Hotels & Resorts, que explora unidades cinco estrelas no Algarve e na Madeira e unidades de Alojamento Local de alta qualidade no Algarve, reforçou esta última com o aumento da oferta em 108 camas, tendo já em funcionamento um conjunto de Villas adicional em São Rafael, na unidade VidaMar Villas, Apartments & Guest House.

Neste alojamento em São Rafael, os hóspedes têm acesso a todas as facilidades e zonas comuns do VidaMar Resort Hotel Algarve, na praia dos Salgados e a apenas 10 minutos de distância, e podem beneficiar de três regimes de estadia distintos à sua escolha: desde o self catering, ao regime de Alojamento & Pequeno-Almoço, mas também em meia pensão com dine around, num dos quatro restaurantes do VidaMar Resort Hotel Algarve, na praia dos Salgados.

Para o Administrador Residente das unidades do Algarve, João Cardoso, “esta abertura reveste-se de especial importância, uma vez que a marca VidaMar no Algarve se tem posicionado, cada vez mais, como o destino ideal e preferencial de férias”, acrescentando que “esta nova unidade combina a emoção das férias com o conforto e descontração que os dias de descanso merecem, reforçando o tratamento personalizado.”

O Vidamar Villas, Apartments & Guest House, situado numa das mais bonitas zonas do Algarve, a apenas alguns metros da praia de São Rafael, dispõe de tipologias diversas que vão dos quartos com áreas de 30 m2, na Guest House, até às Villas T2 e T3 totalmente equipadas e algumas com piscina privativa.

Os quartos das Villas são suites e estão equipadas com ar condicionado silencioso, acesso à internet wi-fi, televisão ecrã plano full HD, entre outras comodidades deste alojamento tal como o estacionamento coberto, incluído na diária.

0

O Algarve aproximou-se pela primeira vez dos oito milhões de dormidas no primeiro semestre do ano, segundo revela o Instituto Nacional de Estatística (INE). Entre janeiro e junho de 2017, os estabelecimentos hoteleiros da região registaram um total de 7,96 milhões de dormidas, cerca de 600 mil pernoitas a mais do que em igual período do ano anterior (+8,1%).

Para esta performance semestral do destino contribuíram tanto as dormidas de turistas estrangeiros (+9,4%, para 6,65 milhões de dormidas), quanto as dos residentes em Portugal (+1,9%, para 1,31 milhões de dormidas).

“No primeiro semestre do ano, todas as regiões apresentaram evoluções positivas [no número de dormidas]. O Algarve captou 41,0% das dormidas de hóspedes vindos do estrangeiro”, pode ler-se no “Destaque Atividade Turística” de junho do INE.

No Algarve, a variação sinalizada pelos restantes indicadores no conjunto dos primeiros seis meses do ano é positiva: os hóspedes estão em alta (+3,9%, para cerca de 1,8 milhões de hóspedes) e os proveitos totais registam uma alta acentuada (+17,5%, para mais de 360 milhões de euros).

Para o presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva, “a hotelaria algarvia está de parabéns, assim como todo o setor turístico regional, que ano após ano tem vindo a alcançar máximos históricos”, acrescentando que os principais indicadores “estão a crescer de forma alinhada com o que acontece no país, e no final do ano aspiramos uma vez mais vir a celebrar o melhor ano turístico de sempre para o Algarve e para o turismo português”.

0

A AHETA – Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve revela que no mês de julho, as unidades de alojamento da região apresentaram uma taxa de ocupação global média/quarto de 86,5%, tendo-se situado ao nível de 2016 (-1,0%). O grande destaque vai, no entanto, para a subida do mercado alemão, com mais 11,7%, uma situação que vem acontecendo desde o início da época turística.

Por seu lado, o mercado britânico registou uma descida de menos 12,6%, no seguimento do Brexit e consequente desvalorização da libra em 15% no último ano. As estatísticas oficiais do Reino Unido confirmam uma redução no número de britânicos a viajar para o exterior (-4,6% em maio), tendência que deverá acentuar-se no futuro próximo.

No que diz respeito a zonas geográficas, os dados da AHETA indicam que as maiores subidas se registaram em Portimão/Praia da Rocha (+1,3%) e Lagos/Sagres (+1,2%).

As principais descidas verificaram-se em Faro/Olhão (-12,9%) e Vilamoura/Quarteira/Quinta do Lago (-10,1%). Albufeira, a principal zona turística do Algarve, registou uma ocupação semelhante à do ano anterior (+0,8%).

Quanto ao volume de vendas aumentou 4,5 por cento durante o mês de julho.

Em termos acumulados, desde o início do ano, a taxa de ocupação quarto regista uma subida de 2,8% e o volume de negócios um crescimento acumulado de 8,6%.

0

Nos primeiros cinco meses deste ano, a região do Algarve apresentou valores dos proveitos acumulados de 240 milhões de euros, contra cerca de 200 milhões de euros em 2016, o que corresponde a uma taxa de crescimento de 19,7% (19,2% no mês de maio), de acordo com os principais indicadores agora divulgados.

Nas dormidas, os valores acumulados de janeiro a maio de 2017 na Região foram acima dos 5,7 milhões contra 5,2 milhões no período homólogo de 2016, o que representa um crescimento de 9,5% (5,4% só em maio).

No que respeita ao número de hóspedes, no período em apreço estes aumentaram para 1,3 milhões nos primeiros cinco meses do ano (uma taxa de crescimento de 4,8% em valores acumulados e de 3,8% no mês de maio).

De realçar que em maio o Algarve acompanhou a tendência nacional, liderando o ranking das dormidas e alcançando um lugar de destaque nos proveitos totais gerados.

Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve, diz-se “orgulhoso e satisfeito” pela performance daquela Região nos primeiros cinco meses do ano, acrescentando que esta demonstra “o dinamismo, a diversidade e a qualidade do turismo algarvio. É também um incentivo para o Turismo do Algarve, para que continuemos com o empenho e o entusiasmo de sempre no trabalho que temos vindo a desenvolver em prol da Região”.

0

O município de Vila Real de Santo António inaugurou o passadiço pedonal da praia de Monte Gordo. A estrutura, que contou com um investimento de um milhão de euros, possui 3 quilómetros de extensão e constitui já o maior passadiço sobrelevado do Sotavento algarvio.

O evento decorreu em ambiente de festa, onde milhares de pessoas quiseram conhecer de perto aquela que será principal atração deste Verão e que constitui o primeiro passo da grande operação que renovará o rosto de Monte Gordo.

A estrutura foi batizada como Passeio Marítimo Dr. António Almeida Santos, em homenagem ao ex-presidente da Assembleia da República, frequentador assíduo desta localidade e que em muito contribuiu para a consolidação turística da praia de Monte Gordo, com a qual mantinha laços de afinidade.

O passadiço está orçamentado em um milhão de euros e está iluminado em toda a sua extensão, possuindo zonas de descanso, bem como um circuito pedonal e de lazer.

Também esta sexta-feira, o presidente da Câmara Municipal de VRSA anunciou a construção da fase II do passadiço, que irá ligar o troço já existente à praia de Santo António (perto da foz do Rio Guadiana, em VRSA).

O prolongamento está orçamentado em um milhão de euros e terá mais 4 quilómetros de extensão, sempre com o magnífico enquadramento da Mata Nacional das Dunas Litorais. Uma vez terminado, será o maior do Algarve e um dos mais extensos do país.

Além do acesso ao areal, o equipamento garante, este Verão, o acesso a todos os apoios de praia existentes em Monte Gordo, que poderão funcionar normalmente até ao dia 15 de outubro.

Após essa data, os concessionários terão até ao dia 8 de fevereiro de 2018 para demolir as antigas estruturas e proceder à construção das novas, que ficarão ao mesmo nível do passadiço e possuirão uma arquitetura uniformizada.

Para Luís Gomes, presidente da Câmara Municipal de VRSA «este é o passadiço de todos: da população, dos agentes económicos e empresariais e dos que escolhem a baía de Monte Gordo para passar férias».

«Queremos, pois, a reafirmação daquela que foi a primeira zona balnear do Algarve e onde nasceu o turismo algarvio, nos anos 60, com a construção do Hotel Vasco da Gama. O passeio marítimo obrigou a uma grande concertação, mas os bons resultados estão à vista», prosseguiu.

Requalificação da duna e do calçadão também em plano

Ao nível ambiental, será ainda recuperado o cordão dunar da praia, enquanto as construções a implementar serão sobrelevadas, de forma a evitar o pisoteio, e obedecerão a materiais e projetos sustentáveis.

A reabilitação da praia de Monte Gordo junta-se ao processo de requalificação da frente de mar (calçadão), promovido pela autarquia de VRSA e avaliado em 2,2 milhões de euros.

O passadiço será comparticipado pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos e pela Agência Portuguesa do Ambiente.

0

A TopAtlântico lançou esta terça-feira, 20 de Junho, uma nova campanha com ofertas para um dos destinos preferido dos portugueses: o Algarve. A campanha “Especial Algarve” contempla vários hotéis algarvios com preços em promoção, que atingem os 50% de desconto. A campanha tem a duração de uma semana e está disponível para reservas até dia 27 de Junho.

Com propostas que podem alcançar uma poupança de 200€ por pessoa, a campanha “Especial Algarve” contempla destinos como Vilamoura, Carvoeiro, Alvor e Salgados, com preços desde 27€ por pessoa (Hotel 4* em SA).

As estadias em promoção incluem os meses de Junho, Julho, Agosto, Setembro e Outubro, em hotéis de 4 e 5 estrelas. Algumas propostas oferecem, também, crianças grátis.

A campanha “Especial Algarve” é válida por uma semana, pelo que quem quiser aproveitar estes preços promocionais para as suas férias de verão pode fazê-lo até dia 27 de Junho.

 

0

O Centro Histórico de Vila Real de Santo António vai receber uma Pousada de Portugal. O investimento do Grupo Pestana, responsável pela gestão da rede nacional de pousadas, está cifrado em três milhões de euros e deverá gerar 30 postos de trabalho.

A nova unidade ficará sediada em quatro imóveis de interesse histórico – propriedade do município de VRSA e da empresa municipal Sociedade de Gestão Urbana – e irá contar com 57 quartos, distribuídos por três núcleos.

A obra terá início no terceiro trimestre de 2017, prevendo-se a sua abertura no Verão de 2018. Além do alojamento, o projeto inclui salas de eventos, spa, piscina exterior e restaurante.

O conceito hoteleiro do projeto, apresentado esta segunda-feira, estará alicerçado na história de Vila Real de Santo António, criando um novo segmento turístico baseado no património e na cultura local.

De acordo com Luís Gomes, presidente da Câmara Municipal de VRSA, este investimento permitirá dotar a cidade com uma nova unidade de cinco estrelas, que se somará ao hotel Guadiana, cuja requalificação em unidade de luxo deverá ficar concluído no Verão.

Para o autarca, «a instalação da pousada é também o culminar do processo de requalificação ambiental, patrimonial e urbanística do concelho, onde foram investidos mais de 120 milhões de euros nos últimos 10 anos».

Segundo José Theotonio, CEO e presidente da Comissão Executiva do Pestana Hotel Group, «o desenvolvimento turístico, assim como o trabalho de requalificação levado a cabo no Centro Histórico de VRSA e no seu património foram fatores que contribuíram para que o grupo hoteleiro escolhesse a cidade para ampliar o seu portefólio de investimentos».

Esta operação faz também parte da estratégia de recuperação do conjunto edificado da cidade e contribuirá fortemente para a notoriedade do concelho a nível nacional e internacional, promovendo a diferenciação do destino através de um turismo de qualidade superior e cultural.

«A futura Pousada de Portugal de VRSA é um produto diferenciador que não irá concorrer com as unidades hoteleiras já instaladas, trazendo novos segmentos turísticos e culturais para o município», remata Luís Castanheira Lopes, presidente do Grupo Pestana Pousadas.

0

O Algarve está a mudar e o setor das viagens e turismo na região também. Por isso, a Região de Turismo do Algarve (RTA) marca forte presença no Algarve Smart Region Summit – 1.º Encontro Nacional de Autoridades Intermunicipais de Transportes, evento organizado pela Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) que decorre no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão, nos dias 18 e 19 de maio.

«Durante dois dias a região está mobilizada para espreitar o amanhã, e o turismo, que é a principal atividade económica do Algarve, não podia deixar de associar-se a uma iniciativa que antecipa a mobilidade do futuro e a transformação digital», refere o presidente da RTA, Desidério Silva, que também integra o painel de abertura do Encontro Nacional de Autoridades Intermunicipais de Transportes, a realizar no dia 18.

Além das conferências com oradores internacionais de renome, outro ponto alto da iniciativa é a realização de um showroom de entrada gratuita com 15 mil metros quadrados, onde cerca de 60 expositores apresentam a mobilidade do futuro e soluções de eficiência. Integrado na exposição, a RTA dispõe de um stand de 50 metros quadrados partilhado com a Federação Portuguesa de Ciclismo, com a Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilização de Bicicletas e com a Almargem, promotora da Via Algarviana, a grande rota pedestre que liga Alcoutim ao cabo de S. Vicente. Rota Vicentina, Grande Rota do Guadiana, Eurovelo 1 (Ecovia do Litoral) e os circuitos de estrada do Algarve também serão promovidos.

«A Região de Turismo vai animar o showroom do evento com uma área dedicada ao produto Cycling & Walking Algarve, que ao longo do último ano temos vindo a trabalhar em conjunto com o Turismo de Portugal, a Associação Turismo do Algarve, o aeroporto, os municípios e as empresas de animação turística», destaca Desidério Silva. «Quem se deslocar ao autódromo vai receber, em primeira mão, um guia de percursos de ciclismo de estrada. E para as empresas de animação, agências de viagens e alojamentos foi editado um folheto com os requisitos bike & walk friendly», conclui.

O programa Cycling & Walking Algarve reforça a aposta do destino no Turismo de Natureza com os objetivos de diversificar a oferta da região, aumentar a sua competitividade e captar fluxos turísticos nas épocas média/baixa. O atendimento no stand da RTA decorre das 09h30 às 19h00.