Um reencontro há muito esperado

A cidade de Aveiro recebe este ano o 46.º Congresso da APAVT, um evento que construiu, desde há décadas, uma reputação consolidada, que o coloca como uma referência obrigatória entre os protagonistas da atividade turística em Portugal. E se todos os congressos da APAVT constituem marcos que ficam para a história desta atividade, o de 2021 será, por maioria de razão, uma referência, por acontecer num momento verdadeiramente decisivo para o Turismo.

O tema escolhido para o Congresso indicia a sua relevância. Esta vai ser a oportunidade para um reencontro entre os profissionais do turismo, depois de quase dois anos em que a sua atividade estagnou devido a uma pandemia que se nos atravessou pelo caminho.

O 46.º Congresso fará, necessariamente, o balanço destes dois anos difíceis, mas, ao mesmo tempo, irá apontar os caminhos do que está para vir. O futuro próximo da atividade turística será necessariamente diferente, uma vez que o mundo mudou nestes dois anos. Mas nem por isso será menos promissor.

Os números mais recentes dão conta que vivemos um momento de recuperação dos destinos nacionais, depois dos momentos difíceis que vivemos e que puderam à prova a resiliência dos nossos empresários. Esta recuperação é mais evidente em territórios turisticamente menos massificados, precisamente aqueles que estão em linha com as novas tendências da procura turística. O Centro de Portugal é um exemplo paradigmático desta realidade.

Só atraindo os visitantes para todo o país, e não apenas para os locais tradicionais, é que Portugal poderá ser mais competitivo e posicionar-se como destino preferencial. Durante demasiado tempo, Portugal posicionou-se como um destino de sol e praia, como um destino monoterritorial, o que provocou um desequilíbrio que ainda está longe de ser corrigido. Salvo raras exceções, as regiões mais afastadas do litoral não existiam no radar turístico do país, o que fez com que a projeção internacional de Portugal estivesse muito assente nesses dois produtos. Felizmente, hoje assistimos a uma mudança de paradigma e das expetativas dos mercados e caminhamos no sentido correto.

Os novos segmentos da procura por parte dos visitantes privilegiam produtos como a Cultura, o Património, a Natureza, o Turismo Ativo, a Gastronomia, os Vinhos e muitos outros subprodutos da atividade turística. O Sol e Praia mantêm um lugar de destaque, mas já não constituem o único fator de atração no nosso país. Como consequência, regiões que nunca estiveram na primeira linha da afirmação de Portugal estão agora a ocupar um lugar que é seu por direito. O Centro de Portugal, o Porto e Norte, o Alentejo ou os Açores apresentam, nos últimos anos, níveis de crescimento assinaláveis.

As novas tendências de procura turística são janelas de oportunidade que se abrem a territórios, a marcas e produtos que antes não eram valorizados. No verão de 2021, por exemplo, assistimos já a uma forte recuperação dos fluxos turísticos nos territórios de interior, ao invés da realidade dos grandes centros urbanos, que ainda procuram essa recuperação.

Mas este vai ser, seguramente, o Congresso de outros reencontros, não menos importantes: o reencontro de amigos, que as circunstâncias obrigaram a um afastamento; e o reencontro da APAVT com Aveiro, cidade que recebe sempre com grande orgulho este acontecimento e que já em 2016 tinha sido o palco do 42.º Congresso.

Poucas cidades em Portugal estarão tão preparadas para dar resposta às novas tendências de procura turística como aquela em que se realiza o 46.º Congresso da APAVT. Aveiro dispõe de uma posição geográfica privilegiada e de atrações turísticas únicas reconhecidas em todo o mundo. A ria de Aveiro, mais do que um postal ilustrado, é um exemplo de como um destino tradicional se pode reinventar e adaptar à modernidade. Hoje, são inúmeras as experiências que um visitante pode usufruir na ria e na sua envolvência, desde os desportos náuticos aos percursos pedestres e de cicloturismo. Mas há muito mais para conhecer e fazer nesta região, que tem uma costa oceânica magnífica e uma gastronomia e doçaria distintivas. Ao mesmo tempo, Aveiro é uma cidade inovadora e tecnológica, de que são evidência os vários eventos que aqui têm lugar.

O 46.º Congresso da APAVR será, não tenho dúvidas, um reencontro feliz e marcará o início de um novo tempo no Turismo.

Pedro Machado
Presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here